Facebook Twitter Instagram

Aberto edital para seleção de bolsistas

 A Fapema lançou o edital para Seleção de Bolsistas para Ações Estratégicas da Agerp. Serão disponibilizadas 57 bolsas, sendo 52 destinadas aos profissionais de nível médio – Bolsas Agerp-1, no valor de R$ 724,50 e cinco para profissionais de nível  superior  – Bolsas AGERP-2, no valor de R$ 1.532,60. Os interessados em concorrer ao edital têm até o dia 10 de fevereiro para se inscrever.

 

Engenheiros_agrnomos_classificados_-_Cpia

 A Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) lançou na página da Fundação – www.fapema.br  – o edital para Seleção de Bolsistas para Ações Estratégicas da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp). Serão disponibilizadas 57 bolsas, sendo 52 destinadas aos profissionais de nível médio – Bolsas Agerp-1, no valor de R$ 724,50 e cinco para profissionais de nível  superior  – Bolsas AGERP-2, no valor de R$ 1.532,60. Os interessados em concorrer ao edital têm até o dia 10 de fevereiro para se inscrever.

Engenheiros_agrnomos_classificados_-_Cpia

 

O público alvo, segundo informou a diretora presidente da Fapema, Rosane Nassar Meireles Guerra, são profissionais de ensino médio e de ensino superior completo atuantes nas áreas de Agronomia, e profissionais com formação de nível médio ou técnico em Agropecuária com disponibilidade para atuar no interior do Estado e habilidade para assistir tecnicamente agricultores familiares.

 

Com a contratação dos bolsistas, o governo espera incrementar as ações da Agerp nos Territórios da  Cidadania. auxiliando o desenvolvimento  de  projeto,  ações  e  programas,  por  meio  de  atividades  de laboratório, de campo e afins, como forma de construir novas tecnologias e solucionar problemas  concretos,  considerando  o  processo  de  trabalho  científico  e  tecnológico como  ferramenta  determinante  para  impactar  a  cadeia  produtiva  no  Estado.

 

Os profissionais selecionados por meio do edital atuarão em conjunto com os técnicos da agência durante 10 meses, nos municípios dos seguintes  Territórios  da  Cidadania:  Alto  Turi  e  Gurupi,  Baixada  Ocidental, Baixo Parnaíba, Campos e Lagos, Cocais, Lençóis Munim, Médio Mearim e Vale do Itapecuru. A carga horária de trabalho será de 30 horas semanais.

 

Saiba mais: http://www.fapema.br/site/index.php?option=com_content&view=article&Itemid=54&id=1824:lancado-edital-para-selecao-de-bolsistas-para-acoes-estrategicas-da-agerp&catid=43:noticias-de-sao-luis 

 

 

Em 31/01/12

Agerp empossa novo Diretor de Pesquisa

Wellington Matos assumiu na quarta-feira (25) o cargo de Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento (PeD) da Agerp. A cerimônia foi comandada pela Presidente em exercício do órgão e Diretora de Assistência Técnica e Extensão Rural, Thelma Aragão Portela.

 

Thelma_Arago_e_Wellington_Matos_-_Cpia

Wellington Matos assumiu na quarta-feira (25 de janeiro) o cargo de Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento (PeD) da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp). A cerimônia foi comandada pela Presidente em exercício do órgão e Diretora de Assistência Técnica e Extensão Rural, Thelma Aragão Portela.

Thelma_Arago_e_Wellington_Matos_-_Cpia

 

Após receber as boas vindas de Portela, Wellington Matos destacou em seu discurso de posse o trabalho que desenvolverá na agência e sua contribuição para o fortalecimento da agricultura familiar no Estado. “Quero me integrar à equipe da Agerp para juntos garantirmos melhores resultados para a Agricultura Familiar e para o Maranhão. É um desafio, pois a Diretoria de PeD trabalha principalmente com a informação, com tomadas de decisão. O programa Brasil Sem Miséria do Governo Federal, por exemplo, destaca a inclusão produtiva para a redução das desigualdades sociais”, pontuou o diretor acerca da importância das atividades desenvolvidas pelo setor e o programa federal que atua em cima do diagnóstico feito em cada unidade de produção familiar, trabalhando com projetos de estruturação produtiva e social, com tecnologias adequadas à realidade local, ao perfil do público beneficiado e à sustentabilidade ambiental.

 

A Diretoria conduzida por Wellington Matos tem como objetivo planejar, apoiar, coordenar, acompanhar e avaliar as ações de pesquisa agropecuária além de realizar, especialmente, a pesquisa aplicada. Para executar tais atividades, a equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da Agerp é formada por quatro coordenadorias: as de Pesquisa Agroextrativista e Florestal, a Agroindustrial, a Agropecuária e a Pesqueira, comandadas, respectivamente, pelos engenheiros agrônomos Adelana Santos, Alessandra Araújo, Rogério Salles e Sônia Marques.           

 

A agência – Vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, a Agerp promove a política de assistência técnica e extensão rural e de pesquisa agropecuária e desenvolvimento visando atender os produtores rurais de forma sustentável, procurando por meio da diversidade e da integração proporcionar o aumento da produção e da produtividade dos setores agrícola, pecuário e pesqueiro do Estado, com ações voltadas para o fortalecimento da agricultura familiar, a competitividade do agronegócio e a viabilização de mercados.

 

Além da sede, o órgão possui 19 Escritórios Regionais instalados em Rosário, São Luís, Itapecuru, Chapadinha, Codó, Caxias, Timon, Presidente Dutra, Santa Inês, Zé Doca, Viana, Pinheiro, Bacabal, Pedreiras, Barra do Corda, Imperatriz, Açailândia, Balsas e São João dos Patos. Essas unidades são responsáveis pelo atendimento dos 217 municípios maranhenses desenvolvendo ações de assistência técnica e extensão rural, sistemas agroecológicos, produção de culturas bioenergéticas, arranjos produtivos locais, pesquisa agropecuária e produção de material genético.

 

Currículo – O novo Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Agerp é bacharel em Administração Rural e Cooperativismo pela Universidade Federal de Lavras – UFLA (MG) e especialista em Georreferenciamento de Imóveis Rurais (PUC/Goiás), em Desenvolvimento Territorial (UFSC/SEAD) e em Comercialização Agrícola (UFLA/MG). Desde de 2008, Matos atua como consultor do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), como Articulador Estadual de Territórios Rurais pela Secretaria de Desenvolvimento Territorial do Ministério de Desenvolvimento Agrário-MDA , com estada na Delegacia do MDA – Maranhão.

 

 

Em 25/01/12

Agricultores familiares estão finalizando plantio de milho

Em algumas regiões do Maranhão os agricultores familiares estão finalizando o plantio de milho que este ano prevê uma produção de 646.209 toneladas do grão, segundo os primeiros levantamentos do IBGE. Parte dessa produção está sendo cultivada por 883 mil agricultores familiares que receberam 883 toneladas de sementes selecionadas de milho, adquiridas pela Sagrima e distribuídas pela Sedagro/Agerp.

 

Foto_2_-_plantio_de_milho

Em algumas regiões do Maranhão os agricultores familiares estão finalizando o plantio de milho que este ano prevê uma produção de 646.209 toneladas do grão, segundo os primeiros levantamentos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Parte dessa produção está sendo cultivada por 883 mil agricultores familiares que receberam 883 toneladas de sementes selecionadas de milho, adquiridas pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e distribuídas pela Secretaria de Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (Sedagro)/Agerp.

Foto_1_-_plantio_de_milho

 

Com a distribuição das sementes, o governo estadual espera contribuir com a produção maranhense de grãos em 44 mil toneladas de milho. “A estimativa é de que os 883 mil agricultores que receberam as sementes selecionadas de milho plantem uma área de aproximadamente 44 mil hectares”, informou o secretário da Sagrima, Cláudio Azevedo.

 

A maior parte do plantio de milho no Maranhão ocorre no período de novembro a janeiro, e, em alguns casos, como na região do Baixo Parnaíba, produtores rurais que cultivam grandes áreas de soja, plantam no mês de fevereiro. Já na região Sul do Maranhão, o plantio de milho – utilizando o sistema de irrigação – é feito em meados do mês de setembro e também em fevereiro, após a colheita da soja.

 

No entanto, este está sendo considerado um ano atípico, pois somente nesses últimos dias começou a chover de forma mais intensa e regular em algumas localidades. Na Região Tocantina, por exemplo, choveu no mês de novembro, mas em seguida teve um período de estiagem, que terminou há cerca de 15 dias, com o início das chuvas.

 

O gestor da Agerp da regional de Imperatriz, José Ribamar Araújo da Silva, afirmou que muitos municípios já iniciaram o plantio, como é o caso de Ribamar Fiquene e Imperatriz. “Apesar do inverno irregular, as sementes estão com um índice acima de 90% de germinação”, disse ele.

Foto_2_-_plantio_de_milho

 

João Bezerra dos Santos, que mora no município de Alto Alegre do Pindaré, para onde o governo estadual destinou 7,1 toneladas de sementes selecionadas de arroz e milho, plantou uma área de cerca de quatro hectares de milho, arroz e mandioca. “No final de dezembro, quando começou a chover na região, eu plantei logo”, disse ele.

 

O agricultor conta que 80% da colheita será utilizada para consumo próprio, na ração para as galinhas, patos e animais de montaria, além de quebrar o milho para alimentar os peixes. “Eu também uso esse milho para fazer o cuscuz aqui em casa”, contou João Bezerra dos Santos.

 

 

Plantar e Colher

 

As sementes doadas pelo Governo do Estado fazem parte do Programa Plantar e Colher no Maranhão, que tem como objetivo ofertar um insumo de qualidade para agricultores que não possuem condições financeiras de adquirir as sementes selecionadas. “Ao todo são 1.883 toneladas de sementes de arroz e milho que foram destinadas a agricultores familiares, comunidades quilombolas e indígenas e assentamentos rurais. Geralmente eles utilizam o grão da safra passada e quando isso acontece a produtividade é muito baixa”, explicou Cláudio Azevedo.

 

João Bezerra dos Santos contou que a espiga do milho plantado com a semente selecionada é bem melhor do que quando ele utiliza o grão guardado de uma safra para outra. “A espiga nasce bem mais cheia”, constatou o produtor.

 

O gestor da Agerp de Santa Inês, José Laércio Ferreira, disse que praticamente 90% da semente de milho já foi plantada nos 12 municípios pertencentes à regional de Santa Inês. Ele afirmou, ainda, que as novas embalagens de 10 quilos que foram confeccionadas para armazenar as sementes facilitaram bastante na hora da distribuição aos produtores. “As embalagens de 50 e 60 quilos dificultavam um pouco porque tínhamos que abrir o saco e sair dividindo para cada produtor. Essa embalagem é mais prática porque é melhor para o agricultor transportar, além de ser mais resistente”, contou ele.

 

Foram distribuídas pela Sagrima e Sedagro, 250 toneladas de milho da variedade AL bandeirantes, 200 BRS caatingueiro, 233 da BR Asa Branca e 200 da BR 106. “Adquirimos quatro tipos de variedades, indicadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Embrapa e distribuímos de acordo com a região em que elas se adaptam melhor”, explicou Antônio Jorge Dino, superintendente de Políticas de Desenvolvimento Rural da Sagrima.

 

A distribuição das sementes está sendo finalizada pelas prefeituras municipais e sindicatos rurais que receberam as sementes nos 19 escritórios regionais da Agerp. O gestor de Codó, Feliciano Marques da Conceição, esteve esta semana no município de Coroatá para visitar algumas áreas de cultivo do milho. “Estamos acompanhando o plantio e devemos enviar um técnico agrícola para verificar como está a germinação do milho em algumas áreas do município”, contou ele.

 

Uma das áreas que serão visitadas pela Agerp da Região dos Cocais é a do agricultor familiar Ocimar Alves Magalhães, de Coroatá. Ele plantou meio hectare de milho com as sementes doadas pelo governo estadual. “Recebi as sementes no final de dezembro e plantei nestes últimos dias, que foi quando começou a chover aqui em Coroatá”, contou ele.

 

Agricultura Empresarial

 

Atualmente, no Maranhão, os cinco principais municípios produtores de milho são Alto Parnaíba, Buriticupu, Santa Luzia, Tasso Fragoso e Balsas, município que lidera esta lista, com uma previsão de colher cerca de 68 mil toneladas de milho na safra 2011/2012.

 

O produtor e empresário de Balsas, Idone Grolli, que já colheu 5% de uma área de 460 hectares de milho, utilizando o sistema de irrigação, afirmou que a produção maranhense deve ficar acima das 646 mil toneladas estimadas pelo IBGE. “A agricultura empresarial maranhense produz cerca de 300 mil toneladas de. Aqui na região, muitos agricultores irão colher a soja no final de fevereiro e, em seguida, iniciar o plantio do milho que será colhido nos meses de maio e junho”, contou ele.

 

Para o vice-presidente da Associação de Produtores de Soja do Meio Norte, Wilson Ambrozi, a perspectiva em relação à comercialização do milho está melhor do que há 60 dias. “Quem plantou milho no Maranhão vai ter uma boa colheita porque na Região Sul do Brasil e na Argentina houve uma perda da produção em virtude da estiagem, o que vai acarretar numa oferta menor do grão”, avaliou Wilson Ambrozi, que é produtor de soja e milho na região do Baixo Parnaíba.

 

Ainda de acordo com Wilson Ambrozi, a previsão é de que seja plantada na Região do Baixo Parnaíba, em meados do mês de fevereiro, uma área de 1,5 mil a dois mil hectares de milho, com expectativa de colher 12 mil toneladas do grão.

 

Parte da produção de milho colhida do Maranhão é exportada para os outros estados da Região Nordeste, como o Ceará, Piauí e Pernambuco. O milho comercializado no estado é utilizado para a produção de ração de aves.

 

Em 22/01/12

Agerp faz doação à Funac

No último dia 10 de janeiro, em cumprimento a uma parceria firmada com a Fundação da Criança e do Adolescente do Maranhão (FUNAC), a Agerp iniciou a entrega de legumes e verduras à instituição. A ação objetiva enriquecer o cardápio das unidades de atendimento com produtos vindos diretamente da agricultura familiar.

 

No último dia 10 de janeiro, em cumprimento a uma parceria firmada com a Fundação da Criança e do Adolescente do Maranhão (FUNAC), a Agerp iniciou a entrega de legumes e verduras à instituição. A ação objetiva enriquecer o cardápio das unidades de atendimento com produtos vindos diretamente da agricultura familiar.

 

funac_e_agerp

 

Em novembro de 2011, foi renovada a parceria do projeto de doação de hortaliças, que faz parte do Programa Compra Antecipada, tendo como proposta o fornecimento semanal de hortaliças às unidades da fundação.

 

A Funac está cadastrada na Agerp e tem como referência para fornecimento o pólo de Itapera, que atualmente atende 102 adolescentes e jovens restritos e privados de liberdade.

 

Na ocasião, a diretora técnica Ruth Mary Gonçalves destacou a importância da parceria. “Com os alimentos doados e a possibilidade de recebermos 26 tipos de frutas e verduras semanalmente, nós podemos oferecer uma alimentação muito mais saudável para nossas crianças e adolescentes”.

 

O Programa

 

O programa de Compra Direta da Agricultura Familiar (CDAF), da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), é um instrumento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que tem por finalidade garantir, com base nos preços de referência, a compra antecipada de produtos agropecuários de agricultores enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), inclusive os Povos e Comunidades Tradicionais qualificados de acordo com o Decreto nº 6.040, de 07/02/2007 – extrativistas, quilombolas, famílias atingidas por barragens, trabalhadores rurais, comunidades indígenas e agricultores familiares em condições especiais. 

 

Saiba mais: http://www.conab.gov.br/conabweb/download/moc/titulos/T29.pdf 

 

 

Em 11/01/12

 

Fonte: Ascom Agerp/Funac

Agerp de Presidente Dutra planeja execução do Programa Balde Cheio

A fim de implantar em Presidente Dutra uma Unidade Demonstrativa do Programa Balde Cheio, esteve em São Paulo participando do curso de Manejo de Rebanho na Embrapa Pecuária Sudeste, o médico veterinário José Francisco Bezerra Filho, da AGERP do município.

 

Balde_Cheio

A fim de implantar em Presidente Dutra uma Unidade Demonstrativa do Programa Balde Cheio, esteve em São Paulo participando do curso de Manejo de Rebanho na Embrapa Pecuária Sudeste, o médico veterinário José Francisco Bezerra Filho, da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (AGERP) do município.

Tecnicos_EMBRAPA_e_AGERP

Zaira Freitas, chefe do escritório de Presidente Dutra, destaca que o Programa Balde Cheio é uma metodologia inédita de transferência de tecnologia que contribui para o desenvolvimento da pecuária leiteira em propriedades familiares. Seu objetivo é capacitar profissionais de extensão rural e produtores, promover a troca de informações sobre as tecnologias aplicadas regionalmente e monitorar os impactos ambientais, econômicos e sociais, nos sistemas de produção que adotam as tecnologias propostas.

Balde_Cheio

 

A unidade demonstrativa (UD), que será implantada em parceria com a Embrapa Meio-Norte, será uma espécie de sala de aula montada na propriedade rural, aonde ocorrerá a capacitação dos agricultores, serão ministradas aulas teóricas e haverá troca de informações, sempre administradas por técnicos da agência e profissionais da Embrapa.

 

A agência já implantou unidades demonstrativas nos municípios de Imperatriz, Açailândia e Porto Franco, beneficiando diretamente centenas de produtores familiares maranhenses.

 

 

Em 18/01/12

 

Coordenação do Programa Garantia-Safra comemora aumento de adesões no Maranhão

A Coordenação Estadual do Programa Garantia Safra, que faz parte da Sedagro, divulgou o resultado geral da Safra 2011/2012. A ação, executada pela Agerp comemora a adesão de 12.947 agricultores familiares, um aumento de mais de 1.500 em relação à passada.

 

mates_do_norte_2

A Coordenação Estadual do Programa Garantia Safra, que faz parte da Secretaria de Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (SEDAGRO), divulgou o resultado geral da Safra 2011/2012. A ação, executada pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp) comemora a adesão de 12.947 agricultores familiares, um aumento de mais de 1.500 em relação à passada.

 

mates_do_norte_2

 

Tal fato, segundo Oscar Valois, da coordenação estadual do Garantia Safra, se deu pela boa divulgação nos municípios que compõem as 19 regionais da agência. Foram realizados seminários, palestras e reuniões com gestores municipais no sentido de mostrar a operacionalidade e o conseqüente sucesso do Programa.

 

A Agerp, presidida por Jorge Fortes, iniciou as atividades em maio do ano passado, período em quem houve a apresentação e divulgação do Garantia Safra 2011-2012. Na ocasião, apresentou-se objetivo e os requisitos necessários para participação no programa.

 

O Programa

 

O Garantia-Safra é uma ação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) que cobre perdas da safra provocadas por escassez ou excesso de chuvas na área de abrangência da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

 

Ele atende aos agricultores familiares dos municípios localizados na região Nordeste, norte do Espírito Santo, norte de Minas Gerais, Vale do Jequitinhonha e Vale do Mucuri, com renda até 1,5 salários mínimos e que cultivam arroz, feijão, algodão, mandioca e/ou milho, em áreas de 0,6 a 10 hectares que sofrem com as perdas por excesso de chuva ou seca.

 

Os agricultores que aderiram ao programa pagaram 1% do valor do seguro a ser recebido em cinco parcelas por meio de cartão eletrônico da Caixa Econômica Federal ou pelo cartão do Bolsa Família.

 

Estado e Municípios também contribuíram para a adesão. A União arcou com o restante, que correspondeu a, no mínimo, 20% do valor total do benefício. No Maranhão, os municípios de Chapadinha, Buriti e Anapurus foram os que tiveram o maior número de agricultores aderidos à ação.

 

Maiores informações podem ser obtidas na AGERP pelo telefone (98) 3249-9877, ramal 220.

 

Em 12/01/12

 

Agerp e Sedagro discutem ações e projetos para 2012

A  Secretária da Sedagro, Conceição Andrade, juntamente com a Diretora de Assistência Técnica e Extensão Rural da Agerp, Thelma Aragão, reuniram-se no início desta semana na sede da Agência para discutirem, analisarem e programarem ações e atividades para o exercício de 2012 dos órgãos estaduais ligados aos sistema Sedagro (Agerp, Nepe e Iterma).

 

Reunio_coordenadores__na_Agerp

A  Secretária de Estado do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (Sedagro), Conceição Andrade, juntamente com a Diretora de Assistência Técnica e Extensão Rural, da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), Thelma Aragão, reuniram-se no início da semana (dias 9 e 11) na sede  da Agência (Outeiro da Cruz) para discutirem, analisarem e programarem ações e atividades para o exercício de 2012 dos órgãos estaduais ligados aos sistema Sedagro (Agerp, Nepe e Iterma).

 

Reunio_coordenadores__na_Agerp

O ponto alto do encontro foi o ajuste interno do orçamento de cada órgão para, finalmente, potencializar as ações com projetos e programas específicos, a fim de garantir o melhor resultado possível no decorrer deste ano.

 

Segundo Conceição Andrade, a partir do encontro com profissionais dos órgãos, será possível buscar parcerias internas (Fapema e Sectec) para a apresentação de diversas propostas na área da agricultura familiar.

 

“Neste primeiro momento vamos compatibilizar os orçamentos, para logo depois buscarmos junto aos órgãos estaduais e federais condições para a viabilidade de projetos”, afirmou a secretária.

 

 

Participaram da reunião o Secretário Adjunto da Sedagro, Paulo Roberto Moreira, a Diretoria da Agerp, representantes do Núcleo Estadual de Programas do Estado do Maranhão (Nepe) e do Instituto de Colonização e Terra do Maranhão (Iterma).

 

Em 12/01/12

Sedagro disponibiliza documentos da reunião de celebração dos convênios do Edital 01/2011

A Sedagro está disponibilizando os documentos produzidos na reunião de celebração de convênios com associações e cooperativas para o financiamento dos projetos produtivos de agricultura familiar do Edital 01/2011. A reunião foi realizada em 28 de dezembro de 2011.

 agricultura

 

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (Sedagro) está disponibilizando os documentos produzidos na reunião de celebração de convênios com associações e cooperativas para o financiamento dos projetos produtivos de agricultura familiar do Edital 01/2011. A reunião foi realizada em 28 de dezembro de 2011.

 agricultura

Os documentos são a Apresentação da Etapa de Execução do Edital 01/2011 e o Formulário Relatório do Projeto Empresa concernente aos projetos conveniados – Sedagro.

 

O Edital de nº 01/2011 – da Sedagro apóia por meio de seleção pública, projetos produtivos demandados pela Agricultura Familiar e empreendimentos de Economia Solidária, focados nos Arranjos Produtivos Locais (APL’s).

 

Na reunião, a Sedagro e 12 associações e cooperativas rurais assinaram o convênio para o financiamento dos projetos produtivos selecionados. Participaram da seleção pública 337 projetos produtivos da agricultura familiar e de empreendimentos econômicos solidários, tendo sido classificados os 12 primeiros projetos.

 

Confira os anexos:

 

 Formulário Relatório do Projeto Empresa concernente aos projetos conveniados objeto do Edital de nº 01/2011

 

 Apresentação da Reunião realizada no dia 28/12/2011, na sala de Reunião da Vice Governadoria

 

 

Em 05/01/12