Facebook Twitter Instagram

Técnicos da Agerp recebem treinamento sobre a cadeia produtiva da mandioca em Chapadinha

A Agerp realizou entre os dias 27 e 29, o curso de capacitação Cadeia Produtiva da Mandioca, na cidade de Chapadinha, a 256 quilômetros de São Luis. A iniciativa foi direcionada aos vinte e oito técnicos que atendem aos escritórios regionais de Itapecuru- Mirim e Chapadinha e teve como objetivo atender a uma necessidade apresentada pela região, uma vez ser esta uma das principais produtoras da mandioca do Estado.

 

CURSO_CHAPAD_3

A Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e  Extensão Rural do Maranhão (Agerp) realizou entre os dias 27 e 29 de março, o curso de capacitação Cadeia Produtiva da Mandioca, na cidade de Chapadinha, a 256 quilômetros de São Luis. A iniciativa foi direcionada aos vinte e oito técnicos que atendem aos escritórios regionais de Itapecuru- Mirim e Chapadinha e teve como objetivo atender a uma necessidade apresentada pela região, uma vez ser esta uma das principais produtoras da mandioca do Estado.

 

CURSO_CHAPAD_3

 

A ação faz parte do Convênio 024 firmado entre a Agerp  e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), para atender 30 mil famílias nos 217 municípios do Maranhão e encerra o ciclo de 04  cursos  sobre o aproveitamento da mandioca. Nessa etapa, a Agerp  contou com a parceria do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e do Instituto para o Desenvolvimento Sócio Ambiental (Idesa), além da coordenação local e regional da Agência.

 

Durante os três dias do encontro, o instrutor Dorival Silva Araújo tratou de questões relacionadas aos aspectos da plantação da mandioca, da tecnologia para investimento, comercialização e melhoria do produto, dentre outros temas.

 

CURSO_CHAPAD_2

 

Além de aulas práticas, a coordenação levou a equipe a uma visita à comunidade Vila União (povoado Ladeira), quando foi recebida pelo agricultor Antônio dos Santos Abreu (presidente da Associação dos Moradores da Vila União) e associados, para treinamento  com as técnicas avançadas da produção da farinha de mandioca e seus subprodutos.

 

“Bastante positiva a experiência no sentido de passar conhecimento aos técnicos da Agerp das duas regionais, para que assim eles possam se aperfeiçoar cada vez mais nesse processo de assistência técnica e extensão rural”, destacou Dorival Araújo, ao tempo que completou dizendo que “as informações que foram repassadas, compõem o básico para que os profissionais recém contratados tenham conhecimento da nova Política de Assistência Técnica e Extensão”.

 

CURSO_CHAPADINHA

 

“Para mim foi bastante positivo. Descobri novas experiências e novos conhecimentos. Funcionou como uma forma de interação, além do mais foi uma excelente iniciativa da Agerp, sem contar que o instrutor tem conhecimento amplo sobre o assunto. Ganhei muito ao participar, haja vista que, a partir de agora, poderei repassar aos agricultores familiares que assisto”, ressaltou Marcos Adriano, da regional de Itapecuru- Mirim.

 

No entendimento do coordenador do IDESA, Osvaldo Albuquerque, todos os momentos da capacitação foram importantes, mas destaca principalmente, a visita técnica à comunidade Vila União. “A visita à comunidade para mim foi o ponto alto. Para mim, ficou acima do esperado”, disse, afirmando ser a parceria com a Agerp nesta ação extremamente satisfatória, tanto por parte da coordenação local, quanto da regional.

 

 

 

Em 29/03/12

 

Sedagro se reúne com bancos em Brasília

 

Uma comitiva do Governo do Maranhão esteve, nesta quarta-feira (28), em Brasília, reunida com diretores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bird), do Banco Mundial, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco do Brasil (BB). O objetivo foi a viabilização da implementação de diversas ações no estado. 

Uma comitiva do Governo do Maranhão esteve, nesta quarta-feira (28), em Brasília, reunida com diretores do Banco Interamericano de Desenvolvimento (Bird), do Banco Mundial, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Banco do Brasil (BB). O objetivo foi a viabilização da implementação de diversas ações no estado. 

 

“São projetos que, sem dúvida, irão alavancar a economia do Maranhão, elevar os indicadores sociais do estado e gerar emprego e renda aos maranhenses”, ressaltou o coordenador da missão maranhense, em Brasília, o secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão, Fábio Gondim.

 

Nas reuniões foram apresentadas várias demandas do Maranhão, que englobam ações de combate à pobreza, segurança pública, saneamento básico, gestão pública e infraestrutura, dentre outras.

 

Os secretários Fábio Gondim (Planejamento), Aluisio Mendes (Segurança Pública), Cláudio Trinchão (Fazenda), Conceição Andrade (Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar), o adjunto de Saúde, José Márcio Leite, e técnicos da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) explanaram os projetos do Maranhão e demonstraram a sua viabilidade econômica e técnica de implantação.

 

Entre as propostas apresentadas destacam-se o Programa de Combate à Pobreza Rural, videomonitoramento de São Luís pela Secretaria de Estado de Segurança Pública, construção de rodovias e estradas vicinais em cerca de 20 municípios, garantindo acesso asfaltado a uma rodovia estadual ou federal, e investimentos em sistemas de abastecimento de água.

 

“São investimentos em áreas essenciais para a geração de emprego e renda aos maranhenses e aquecimento da economia com a conseqüente elevação da qualidade de vida e dos índices de desenvolvimento humano no Maranhão”, ratificou Gondim ao final das reuniões.

 

O encontro deu continuidade à conversa com o BNDES. Na semana passada, o presidente do banco, Luciano Coutinho garantiu, durante encontros com a governadora Roseana Sarney, secretários e empresários, no Palácio dos Leões, que o banco vai investir cerca de R$ 10,5 bilhões no Maranhão até 2014.

 

 

Em 29/03/12

 

 

BNDES visita comunidades rurais

O gerente da área do Agronegócio e Inclusão Social, Guilherme Franco Montoro, e o assessor jurídico Caetano Torres, do BNDES, visitaram, na quinta-feira (22), com uma equipe do Governo do Estado, as comunidades rurais Piqui da Rampa (Vargem Grande) e Cariongo III (Miranda do Norte).

O gerente da área do Agronegócio e Inclusão Social, Guilherme Franco Montoro, e o assessor jurídico, advogado Caetano Torres, do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), visitaram, na última quinta-feira (22 de março), com uma equipe do Governo do Estado, as comunidades rurais Piqui da Rampa (município de Vargem Grande) e Cariongo III (Miranda do Norte).

 

bndes_no_MA

 

A comitiva, liderada pela secretária de Estado do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Conceição Andrade, e pelo superintendente do Núcleo Estadual de Programas Especiais (Nepe), César Rodrigues Viana, apresentou aos representantes do BNDES o trabalho realizado pelas comunidades rurais.

 

As comunidades tiveram projetos selecionados e aprovados pelo Edital 01/2011, lançado em, 28 de outubro de 2011, de empreendimentos da agricultura familiar e de economia solidária, com propostas de inclusão produtiva nos Arranjos Produtivos Locais (APL).

 

Os recursos disponibilizados pelo Edital foram demandados por associações de agricultores familiares, assentados da reforma agrária, remanescentes de quilombos rurais, produtores rurais, pescadores artesanais, extrativistas, silvicultores, indígenas, aquicultores, economia solidária  e cooperativas de produção, garantindo a democratização do acesso aos recursos do Fundo Maranhense de Combate a Pobreza (Fumacop/Seplan) e aos recursos de eventuais fontes adicionais  não reembolsáveis do BNDES.

 

A parceria do Governo do Estado e BNDES, para o biênio 2012/2013, aponta para uma nova forma de incentivar o desenvolvimento de bases produtivas familiar do meio rural, dando-lhes uma maior mobilidade de interiorização e territorialização dos arranjos produtivos locais, tendo como vetor a geração de renda e trabalho, proporcionando novas oportunidades nas dimensões do desenvolvimento local sustentável e que podem contribuir para valorização das vocações locais e regionais, capazes de tornar o seu espaço geográfico, com diversos pólos sociais e econômicos bem dinâmicos.

 

Participam do trabalho de combate à pobreza rural, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (Sedagro), o Nepe, a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma) e as secretarias de Estrado de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Desenvolvimento Social (Sedes) e Igualdade Social (Seir).

 

“Estamos sentido avanços sociais nas comunidades Pique da Rampa e Cariongo III. Trabalhamos no sentido de conseguir recursos federais, de convênio e transferências, estaduais e do Fumacop, que serão fundamentais para o desenvolvimento do Maranhão, na ordem de R$ 500 milhões” afirmou a secretária Conceição Andrade.

 

O superintendente do Nepe, César Viana, destacou o excelente nível de organização da comunidade de Piqui da Rampa e levou a comitiva para conhecer os trabalhos de construção de uma barragem, viabilizada pelo Nepe, que vai garantir água para a lavoura.

 

“Aqui existe uma produção significativa e bastante diversificada de hortaliças, melancia, feijão, milho, quiabo, pepino, couve-flor, pimentão, abóbora e que já abastece as feiras de Vargem Grande, Nina Rodrigues e até São Luís, além de comercializar esses produtos com a Conab, através do programa de Aquisição de Alimento e com a prefeitura municipal para a Merenda Escolar. com o apoio do prefeito municipal”, disse o superintendente.

 

César Viana apontou os benefícios que a parceria Sedagro /BNDES vem propiciando à comunidade do Cariongo III, como a compra de um trator, a ampliação e melhoria de três pequenas barragens, aquisição de duas estufas e fertilizantes. No Cariongo III a produção de acerola, banana, mandioca, arroz e macaxeira vai para as feiras de Miranda do Norte e Anajatuba, além da Conab.

 

O gerente do BNDES, Guilherme Montoro, considerou positivas as visitas e destacou as comunidades pelos trabalhos apresentados, união e motivação. “Essas comunidades deverão servir de referência para outras comunidades, pois as mesmas terão o nosso apoio”, concluiu.

 

Participaram da comitiva o secretário adjunto da Sedagro e gestor do projeto, Paulo Roberto Lopes, o presidente da Agerp, Jorge Fortes, o diretor do Fumacop, Nairo Balata e o prefeito de Vargem Grande, Miguel Fernandes.

 

Em 23/03/12

140 famílias recebem títulos de terra

O Governo do Estado entregou, na sexta-feira (23), no município de Humberto de Campos, títulos de terra de domínio comunitário a 140 famílias dos povoados Achui e Papagaio, dos municípios de Humberto de Campos e Primeira Cruz. Com isso o governo dá um passo importante garantindo o acesso das famílias a políticas públicas e a créditos agrícolas, estimulando a produção, gerando oportunidade de trabalho e a melhoria da qualidade de vida no campo.

O Governo do Estado entregou, na sexta-feira (23), no Auditório da Escola Erundine Silva, no município de Humberto de Campos, títulos de terra de domínio comunitário a 140 famílias dos povoados Achui e Papagaio, dos municípios de Humberto de Campos e Primeira Cruz, respectivamente. Com isso o governo dá um passo importante garantindo o acesso das famílias a políticas públicas e a créditos agrícolas, estimulando a produção, gerando oportunidade de trabalho e a melhoria da qualidade de vida no campo.

 

ttulos_entrega

 

“Este é o objetivo maior da governadora Roseana Sarney, que encontra no prefeito Ribamar Fonseca, de Humberto de Campos, e no prefeito Sérgio Albuquerque, de Primeira Cruz, pontos de apoio para que programas, projetos e ações do Governo do Estado possam acontecer e possam ser vitoriosos”, disse o secretário chefe da Casa Civil Luis Fernando Silva.

 

O secretário chefe da Casa Civil, que representou a governadora Roseana Sarney na solenidade, estava acompanhado do secretário de Assuntos Políticos, Hildo Rocha, e do diretor presidente do Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma), Luis Alfredo.

 

Ao todo são mais de 2.700 hectares de terras entregues às famílias, beneficiando mais de 800 pessoas. Luis Fernando destacou que não se pode falar em desenvolvimento, em melhoria de qualidade de vida, sem a valorização do pequeno agricultor, e é isso que o governo está fazendo com a entrega dos títulos de propriedade de terra.

 

O prefeito de Humberto de Campos, Ribamar Fonseca disse que a entrega dos títulos de posse da terra representa tranquilidade para as famílias, que tinham como um dos grandes problemas trabalhar em áreas onde havia certeza do domínio. “Tenho certeza que esses trabalhadores rurais a partir de hoje se sentiram outros, porque trabalharão com a segurança de que ninguém vai disputar a posse de sua terra.”, destacou.

 

O secretário Hildo Rocha lembrou que desde o seu primeiro mandato Roseana Sarney vem trabalhado na promoção da reforma agrária no estado e que no governo atual está retomando este programa. “Agora, por meio do Iterma, o governo está beneficiando várias famílias, dando um primeiro passo para que o Estado possa incluir esses produtores rurais no mercado, na economia moderna, para que eles possam contribuir para o desenvolvimento do Maranhão”, disse.

 

Meta

 

A regularização das terras devolutas do estado faz parte de uma programação que deve ser concluída até 2015. “Estamos fazendo esta regularização com recursos próprios do Estado ou em convênio com o Governo Federal. Hoje o Maranhão já tem o maior número de assentamentos de terras, totalizando mil, beneficiando cerca de 200 mil famílias em todo o estado”, informou diretor presidente do Iterma, Luis Alfredo.

 

Para quem há anos esperava o título da terra, o momento foi de alegria e agradecimento. A agricultora Adelaide Pereira Mota, de 92 anos, fez questão de participar do evento e com um sorriso no rosto disse estar muito feliz em ter agora a posse definitiva da terra. “Trabalhei minha vida toda em uma terra que não era de fato minha, agora estou feliz com o título da terra”, disse.

 

Os presidentes da Associação de Moradores do povoado Papagaio, Enesio Pereira, e do povoado Achui, Raimunda Carneiro Barros, também agradeceram o benefício e destacaram o que ele representa para as comunidades. “Este título vai fortalecer a associação e o trabalho das comunidades com acesso a créditos para melhorar a produção”, disse Enesio Pereira.

 

Para Raimunda Carneiro a posse da terra é um estimulo para as famílias que agora vão produzir em uma área que ninguém mais poderá questionar a posse. A solenidade contou com a participação de produtores rurais, presidentes de associações comunitárias, secretários municipais, ex-prefeitos e vereadores.

 

 

Em 26/03/12

Governo entrega títulos de terra

Duzentas e dezenove famílias dos povoados de Tiririca, Bebedouro e Tabocas, no município de Barreirinhas, foram beneficiadas no último sábado (24) com a titulação de quase três mil hectares de terra. A entrega dos títulos é mais uma etapa do Programa de Regularização Fundiária, colocado em prática pelo Governo do Estado, por meio do Iterma. A meta do governo é beneficiar 400 mil famílias até 2015.

 

Duzentas e dezenove famílias dos povoados de Tiririca, Bebedouro e Tabocas, no município de Barreirinhas, foram beneficiadas no último sábado (24) com a titulação de quase três mil hectares de terra. A entrega dos títulos é mais uma etapa do Programa de Regularização Fundiária, colocado em prática pelo Governo do Estado, por meio do Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma). A meta do governo é beneficiar 400 mil famílias até 2015.

 

entrega_ttulos_de_terra

 

A garantia da posse da terra aos trabalhadores se insere no Programa de Combate à Pobreza que está sendo desenvolvido pelo Governo do Estado, que entende ser impossível melhorar a qualidade de vida das famílias maranhenses e promover o desenvolvimento do Maranhão, sem valorizar o produtor rural, o agricultor familiar.

 

A solenidade de entrega dos títulos, realizada na Quadra Poliesportiva Valdir Soares Santos, em Barreirinhas, foi presidida pelo secretário chefe da Casa Civil, Luis Fernando Silva, que representou a governadora Roseana Sarney, que estava acompanhado do secretário de Assuntos Políticos, Hildo Rocha, e do prefeito Albérico Filho.

 

Também presentes à solenidade, o diretor presidente do Iterma, Luis Alfredo; o presidente da Câmara Municipal; Charles Enoque; o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e representante da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Maranhão (Fetaema), Francisco Ferreira, presidentes de associações, secretários municipais e agricultores familiares.

 

“A governadora reafirma aqui o seu compromisso com os agricultores familiares, garantindo a posse da terra para que eles possam produzir cada vez mais, melhorando sua qualidade de vida e contribuindo para o desenvolvimento do estado. Ao entregar, agora, títulos de regularização fundiária a 219 famílias, em parceria com a prefeitura de Barreirinhas, o governo está resgatando a dignidade dessas famílias e elevando sua autoestima. É assim que a gente caminha no sentido de combater a pobreza no estado”, afirmou Luis Fernando Silva.

 

Com o título de terra, as famílias passam a ter mais facilidade de acesso a políticas públicas, tanto estaduais como federais, proporcionando o desenvolvimento das comunidades. Durante seu pronunciamento o secretário Luis Fernando, falou sobre o Programa de Combate a Extrema Pobreza no Estado. Ele classificou o programa como de inclusão produtiva, destacando que o mesmo vai fazer com que agricultores familiares de todo o estado possam ter mais oportunidade de geração de renda, de trabalho e melhoria da qualidade de vida.

 

A ênfase do programa, segundo o secretário, é o combate à pobreza no campo. Para isso serão destinados recursos para a regularização fundiária, assistência técnica, extensão rural, apoio à comercialização, distribuição e mobilização de municípios para que a produção e a renda no campo possam aumentar de modo sustentável, garantindo qualidade de vida e inclusão produtiva das famílias. “O programa contempla também infraestrutura com a construção de estradas vicinais, diques, açudes e barragem para que a produção possa ser escoada para seu destino final”, destacou o secretário.

 

Compromisso

 

O prefeito de Barreirinhas, Albérico Filho, afirmou que a entrega dos títulos aos trabalhadores demonstra a preocupação do governo com os trabalhadores rurais, possibilitando o crescimento das comunidades. “Esse momento representa muito para todas essas famílias beneficiadas”, disse.

 

Para o presidente da Associação dos Agricultores Rurais de Tabocas, Jailton Constantino Pereira, este é um momento muito importante para a comunidade. “A partir de agora acreditamos que virão mais benefícios, como habitação e projetos agrícolas visando o desenvolvimento da agricultura familiar”, observou Jailton.

 

Barreirinhas, segundo o presidente do Iterma, Luiz Alfredo, é um dos municípios com ações mais fortes do governo em termo de assentamento. “Aqui temos mais de 40 assentamentos e estamos agregando mais essas áreas, beneficiando 219 famílias, que terão acesso a políticas públicas do governo”, enfatizou.

 

 

Em 26/03/12

 

Agerp coordena entrega de produtos da agricultura familiar em Codó

No último dia 23 de março, agricultores familiares da Vila Fomento, localizada no município maranhense de Codó, que fazem parte do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), entregaram produtos à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A entrega foi acompanhada pela equipe da AGERP, órgão vinculado à Sedagro, que executa o programa no Estado e presta assistência técnica e extensão rural direta à comunidade a fim de garantir a qualidade da produção.

 

P_AA_CODO_-_Cpia

 

No último dia 23 de março, agricultores familiares da Vila Fomento, localizada no município maranhense de Codó, que fazem parte do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), entregaram produtos à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 

 

A entrega foi acompanhada pela equipe da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (AGERP), órgão vinculado à Sedagro, que executa o programa no Estado e presta assistência técnica e extensão rural direta à comunidade a fim de garantir a qualidade da produção.

 

P_AA_CODO_-_Cpia

 

O Programa

 

O programa criado em 2003 é uma das ações do Fome Zero e tem como objetivo adquirir, com dispensa de licitação, produtos agropecuários produzidos por agricultores familiares que estejam enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com destinação ao atendimento das necessidades de suplementação alimentar e nutricional das pessoas atendidas por programas sociais, instituições governamentais ou não governamentais integrantes da rede socioassistencial.

 

CODO_VILA_FOMENTO_-_Cpia

       

Assim, os produtos adquiridos pela Conab diretamente dos agricultores familiares de Codó, como banana, quiabo, vinagreira, milho-verde, cebolinha, coentro, alface, maxixe e pepino, serão doados a entidades socioassistenciais. É a chamada modalidade compra direta local da agricultura familiar com doação direta que promove a diminuição do êxodo rural, a geração de trabalho e renda familiar, a organização da produção, a melhoria do poder aquisitivo da população rural, a diversificação das atividades e a agregação de valores aos produtos agrícolas.

 

Em 27/03/12

 

Termina I Conferência Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural

 Foi encerrada em São Luís a I Conferência Estadual de Ater – I Ceater, que teve como tema a Assistência Técnica e Extensão Rural para a Agricultura Familiar e Reforma Agrária e o Desenvolvimento Sustentável do Maranhão Rural. Os debates foram realizados na sexta (23) e sábado (24), no auditório do Centro de Estudo Sindical Rural (Cesir/Fetaema).

 

conf_ater_2_-_Cpia

 Foi encerrada em São Luís a I Conferência Estadual de Ater – I Ceater, que teve como tema a Assistência Técnica e Extensão Rural para a Agricultura Familiar e Reforma Agrária e o Desenvolvimento Sustentável do Maranhão Rural. Os debates foram realizados na sexta (23) e sábado (24), no auditório do Centro de Estudo Sindical Rural (Cesir/Fetaema), na Estrada do Araçagi.

 

conf_ater_2_-_Cpia

 

Participaram 306 delegados das mais diversas regiões do estado, sendo 50 representando o poder público, 132 de instituições da agricultura familiar, 55 técnicos da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), 47 de entidades não governamentais prestadoras de serviços de Ater e 21 conselheiros do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (Cedrus).

 

“Sentamos todos para discutir uma política de assistência técnica para construir propostas que beneficiassem a agricultura familiar. Elas vão ser apresentadas na I Conferência Nacional e vão influenciar as proposições para a política nacional de Ater”, destacou o secretário de Apoio Institucional da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar (Sedagro) e secretário executivo do Cedrus, e um dos coordenadores da conferência, Jadson Medeiros do Lago.

 

Ele informou que dos 36 delegados maranhenses eleitos para participarem da conferência nacional, 2/3 representam a sociedade organizada (24 delegados) e 12 representam o poder público, além do secretário executivo do Cedrus que também irá a Brasília representado o Maranhão na conferência nacional.

 

conf_ater_-_Cpia

 

Jadson Medeiros adiantou também que do total de instituições participantes, 24 representam o poder público, 22 as instituições de agricultura familiar, 29 representam entidades não governamentais executoras de Ater, 01 entidade governamental executora de Ater (Agerp-MA) e 21 conselheiros do Cedrus.

 

 

“A conferência foi um momento importante para o nosso Estado, existe uma confluência de interesses para essa discussão sobre a criação de uma lei e de um sistema estadual de assistência técnica, pontos que estão sendo referendados neste debate”, disse o delegado federal do Desenvolvimento Agrário no Maranhão, Ney Jefferson Teixeira.

 

“Por ter sido a primeira conferência, esse acontecimento foi um marco, com uma participação muito ativa do governo, das empresas privadas, movimentos sociais e sociedade civil. Já é um sucesso, um começo que pode ser traduzido em avanços para a assistência técnica no Estado. Está sendo bem representativo, bem participativo, a base está discutindo”, destacou o presidente da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura n Estado do Maranhão (Fetaema), Francisco Sales.

 

“Foi uma ação preparatória. Discutimos um documento base encaminhado pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário, fazendo proposições que vão ser apreciadas na conferência nacional em Brasília, em abril. Foi uma discussão com todos os parceiros, o documento sai mais fortalecido”, informou o presidente da Agerp, Jorge Fortes.

 

 “Paramos durante dois dias para refletir as coisas boas e também o que não está bem, as ações e os instrumentos legais para melhorar a assistência técnica e implantar a política nacional de Ater. Há um compromisso de todos pela criação da Lei de Ater no estado e pela revisão da gestão e dos papéis do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável”, falou a representante do Sistema de Assistência Técnica (Rede Sisater), Marluze Pastor.

 

“A conferência reuniu agricultores familiares de vários segmentos, indígenas, quilombolas, extrativistas, organizações de mulheres rurais, técnicos do Estado, prestadoras de serviço de Ater e a intenção é rever e estabelecer um novo sistema de Ater com mais compromisso com a agricultura familiar. É preciso efetivar o compromisso do Governo Brasileiro com a agricultura familiar e com o reconhecimento do trabalho das prestadoras de serviço não governamentais de Ater, para que o Estado possa dar a elas melhores condições de trabalho”, completou Marluze Pastor.

 

A coordenação do evento foi feita pelos Governos Estadual e Federal, por meio da Sedagro, Cedrus, Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário no Maranhão (DFDA-MA) e MDA, com execução do Instituto Terra, em parceria com diversas instituições.

 

Ao final da conferência foi aprovada a reivindicação da garantia aos agricultores familiares a elaboração do projeto e o acompanhamento gratuito para acesso às linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), a necessidade de realização de concurso público e implementação de um plano de cargo, carreiras e salários e criação do cargo/função de extensionista rural de nível médio e superior na Agerp, além de uma série de reivindicações com relação à merenda escolar, para que as alterações que estão sendo gestadas na Coordenação Nacional de Alimentação Escolar e no Ministério da Educação não promovam mudanças que prejudiquem a inclusão social e produtiva da agricultura familiar.

 

Em 26/03/12

 

Agerp capacita pescadores

Na última semana a Agerp Cocais, em parceria com o Senar-MA, promoveu um curso de capacitação para 12 piscicultores do município de Coroatá.

Durante dois dias os piscicultores puderam aprender técnicas para melhor desenvolverem sua atividade, visando a geração de renda, a preservação do meio ambiente e, consequentemente, a melhoria na qualidade de vida de agricultores familiares que vivem dessa prática.

Na última semana a Agerp Cocais, em parceria com o Senar-MA, promoveu um curso de capacitação para 12 piscicultores do município de Coroatá.

 

Durante dois dias os piscicultores puderam aprender técnicas para melhor desenvolverem sua atividade visando a geração de renda, a preservação do meio ambiente e, consequentemente, a melhoria na qualidade de vida de agricultores familiares que vivem dessa prática.

 

Os temas discutidos no curso foram a construção de tanques, a qualidade da água, o arraçoamento e engorda do tambaqui e da tilápia  A AGERP, semanalmente, oferece assistência técnica aos piscicultores, sob coordenação do técnico Francisco Ximenes, além de ser parceira em relação aos materiais utilizados na construção dos tanques. 

 

 pisc_coroata_-_Cpia

 

piscic_curso_coroata_-_Cpia

 

 

Em 26/03/12

 

 

I Conferência de Ater é aberta com participação de agricultores familiares e de autoridades

“Quero dizer que essa Conferência que está acontecendo aqui, foi pensada e organizada por várias entidades sociais que querem ver o desenvolvimento  da Assistência Técnica e Extensão Rural voltada para  a melhoria da Agricultura Familiar no Maranhão”, com estas palavras,  foi aberta pela Secretária da Sedagro, Conceição Andrade, a I Conferência  de Ater – Etapa Estadual no Maranhão (I Ceater).

 

Conferncater

“Quero dizer que essa Conferência que está acontecendo aqui, foi pensada e organizada por várias entidades sociais que querem ver o desenvolvimento da Assistência Técnica e Extensão Rural voltada para a melhoria da Agricultura Familiar no Maranhão”, com estas palavras, foi aberta pela Secretária de Desenvolvimento Agrário e Desenvolvimento Familiar (Sedagro), Conceição Andrade, a I Conferência de Ater – Etapa Estadual no Maranhão, (I Ceater).

 

Conferncater

 

A I Ceater teve início  na manhã desta sexta-fera (23), no Centro de Estudo Sindical Rural (Cesir/Fetaema), e segue por todo o sábado (24), com a participação de centenas de agricultores familiares, representantes da sociedade civil organizada,  dos governos  estadual e federal.

 

Ainda na abertura – logo depois da execução dos hinos nacional e do Maranhão pelo cantor maranhense Fernando de Carvalho, Conceição Andrade falou que muita gente ainda trabalha e tira o seu sustento e da família a partir da agricultura familiar na zona rural. Por isso é necessário, segundo ela, um esforço muito mais comprometido por parte dos poderes organizados, para melhorar o perfil desses trabalhadores rurais no Maranhão.

 

“E é nesse espaço democrático que queremos garantir políticas públicas para fortalecer a assistência técnica aos trabalhadores do campo. Por isso, parabenizo a todos aqueles que arregaçaram as mangas para que fosse possível essa Conferência”, disse ela, ao tempo que afirmou ser preponderante gerar renda e trabalho com dignidade para os agricultores familiares.

 

Confernc4

 

Assistência Técnica e Extensão Rural

 

A I Conferência Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural (I Ceater) debaterá, nos dois dias, o tema:  Assistência Técnica e Extensão Rural para Agricultura Familiar e Reforma Agrária e o Desenvolvimento Sustentável Brasil Sustentável. O objetivo da I Ceater é propor diretrizes, prioridades e estratégias para o Programa Nacional e Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural, tendo como referência a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural – PNATER, em atendimento à Lei nº 12.188 de janeiro de 2010 (Lei de ATER), e suas regulamentações e eleição dos 36 delegados (as) para a I CNATER, que ocorrerá no próximo mês de  abril deste ano em Brasília (DF).

 

No Maranhão, o evento é coordenado pelos Governos Estadual e Federal, por meio da Sedagro e do Conselho Estadual de Desenvolvimento Agrário no Maranhão (Cedrus), Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário no maranhão (DFDA-MA) e Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA). A execução do evento é de responsabilidade do Instituto Terra.

 

Representando a governadora Roseana Sarney, estava presente na abertura da I Ceater, o vice-governador. Washington Luiz de Oliveira. Ele destacou que o Maranhão somente será sustentável por meio da Agricultura Familiar. Mas, segundo ele, essa sustentabilidade se dará por meio de investimento na Assistência Técnica. “Por isso é que o governo do Estado prioriza e investe em eventos dessa natureza”, afirmou o vice-governador.

 

Washington Oliveira ressaltou ser  prioridade para o governo, o  campo, uma vez que o Maranhão é eminentemente agrícola. “Precisamos investir em  novas técnicas que possibilitem a melhoria da qualidade do trabalho do trabalhador rural e consequentemente a melhoria da qualidade de vida”.

 

I CNATER

 

A 1ª Conferência Nacional sobre Assistência Técnica e Extensão na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária – 1ª CNATER acontece em um momento de intensas discussões e debates na sociedade civil e no governo a cerca do papel da Ater na disponibilização de diferentes políticas públicas para a Agricultura Familiar e em como estruturar um serviço de Ater que seja efetivo para a promoção do desenvolvimento rural sustentável a partir dos princípios e objetivos da Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural – Pnater, institucionalizada na Lei 12.188 de 11 de janeiro de 2010, a Lei de Ater.

 

 A construção da Pnater surgiu  no início do primeiro Governo Lula, com ampla participação social, a aprovação da Lei de Ater em 2010, e a inserção da Ater como serviço chave para a erradicação da pobreza extrema no campo, no âmbito do Plano Brasil Sem Miséria, demonstram o compromisso político do Governo Federal em garantir que nos próximos anos todos os agricultores e agricultoras familiares do país tenham acesso a serviços públicos de Ater gratuitos e de qualidade, o que só será possível com o apoio e envolvimento das entidades governamentais e não governamentais de Ater, das representações da agricultura familiar, dos governos e da academia.

 

No entendimento do presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), Jorge Fortes, a I Ceater é o momento ideal para serem construídas propostas que serão  levadas á Brasília. “De forma clara e objetiva por que esse é um problema da sociedade e todos precisamos nos envolver”, convocou ele, enquanto apresentava  as estratégias do governo estadual por meio da Agerp para o avanço das políticas da Agricultura Familiar no Maranhão.

 

Estiveram presentes  na solenidade de abertura da I Ceater, o Secretário de Estado do trabalho e Economia Solidária (José Antônio Heluy), Secretário de Estado do Desenvolvimento Social (Francisco Gomes), presidente da Federação dos Trabalhadores em Agricultura do Estado do Maranhão- Fetaema (Francisco Sales), representante do  Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA, (Hur Bem), presidente da Agerp (Jorge Fortes), Delegado Federal do Desenvolvimento Agrário – DFDA (Ney Jeferson),  Superintendente Regional do Incra/MA (José Inácio Sodré Rodrigues), dentre outros convidados e apoiadores.

 

Em 24/03/12

Divulgado resultado de bolsistas da AGERP

A FAPEMA divulgou o resultado do edital para Seleção de Bolsistas para Ações Estratégicas da Agerp. No total foram disponibilizadas 57 bolsas, sendo 52  destinadas aos profissionais de nível médio e cinco para profissionais de nível  superior.

 

A Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA) divulgou o resultado do edital para Seleção de Bolsistas para Ações Estratégicas da Agerp. 

 

No total, foram disponibilizadas 57 bolsas, sendo 52  destinadas aos profissionais de nível médio  – Bolsas AGERP-1, no valor de R$ 724,50, e cinco para profissionais de nível  superior  – Bolsas AGERP-2, no valor de R$ 1.532,60.

 

O objetivo do edital é incrementar as ações da AGERP nos Territórios  da  Cidadania,  a  partir  da  concessão  de Bolsas  de  Extensão  Tecnológica  destinadas  a  profissionais  técnicos  para  auxiliar o desenvolvimento  de  projetos,  ações  e  programas,  por  meio  de  atividades  de laboratório, de campo e afins, como forma de construir novas tecnologias e solucionar problemas  concretos,  considerando  o  processo  de  trabalho  científico  e  tecnológico como  ferramenta  determinante  para  impactar  a  cadeia  produtiva  no  Estado.

 

Os bolsistas atuarão em conjunto com os técnicos da agência Agência Estadual de Pesquisa durante 10 meses, nos municípios  dos  seguintes  Territórios  da  Cidadania:  Alto  Turi  e  Gurupi,  Baixada  Ocidental, Baixo Parnaíba, Campos e Lagos, Cocais, Lençóis Munim, Médio Mearim e Vale do Itapecuru. A carga horária de trabalho será de 30 horas semanais.

 

 Saiba mais, clique aqui: http://www.fapema.br/site/index.php?option=com_content&view=article&Itemid=54&id=1824:lancado-edital-para-selecao-de-bolsistas-para-acoes-estrategicas-da-agerp&catid=43:noticias-de-sao-luis

 

 

RESULTADO Edital FAPEMA Nº 006/2012

SELEÇÃO DE BOLSISTAS PARA AÇÕES ESTRATÉGICAS DA AGÊNCIA ESTADUAL DE PESQUISA AGROPECUÁRIA E EXTENSÃO RURAL DO MARANHÃO – AGERP/MA

 

TÉCNICOS EM AGROPECUÁRIA NOME

Afonso Celso Castro Bezerra

Aley Silva Chaves

André Luiz Sousa Nascimento

Antonio Alves Santos

Antonio Carlos Chagas Galvão

Daniele Sara Farias Silva

Ernandes Furtado Bruzaca

Evaldo Soeiro Serra

Felipe Fonseca Saita

Franciogildo Mendes Garreto

Francisco das Chagas de Sousa Santos

Francisco de Assis Sousa Silva

Francisco Raimundo Ferreira dos Santos

Georlan Augusto Bezerra Souza

Graciléia de Brito Sousa

Iracema Nunes de Sousa

Jaime malheiros Carneiro

João Mandu da Silva

Joaquim Oliveira Ferreira

Jocivam Gomes Sales

Jonatas Andrade Silva

Jose Antonio Soeiro Soares Filho

José Osman Silvino Santos

José Ribamar Pinto Teixeira

José Sousa de Andrade

Joselia de Souza Batista

Kátia da Conceição Nunes

Leopoldina Alves das Neves

Luis Ribeiro Silva Neto

Maria de Jesus dos Santos

Maria Francisca dos Anjos Silva

Marizio Valentim Gomes

Moises Soares Santana

Pedro Esmeraldo Fernandes de Sousa

Reinaldo Martins de Sousa

Ronyklésio Rodrigues Lopes

Victor Carvalho de Almeida

Walter Cavalcante Filho

 

ENGENHEIROS AGRÔNOMOS

NOME

Adenilson Kerlisson Carvalho Oliveira

Antonio Eudes de Sousa Oliveira

Kelly Jane Correia Cavalcante

Maria Alves de Araújo

Maykon Sousa Barbosa

 

 

Em 22/03/12