Facebook Twitter Instagram

NOTA SAGRIMA

NOTA DE UTILIDADE PÚBLICA

 

A Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), por meio da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged), comunica aos criadores maranhenses que foi alterado o período da realização da Primeira Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa, do mês de maio para o período de 1º a 30 de junho.

A Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), por meio da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged), comunica aos criadores maranhenses que foi alterado o período da realização da Primeira Etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa, do mês de maio para o período de 1º a 30 de junho.

A alteração no calendário de vacinação é uma determinação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em razão do processo de sorologia do rebanho maranhense, que será iniciado no mês de maio, em 340 propriedades rurais de 146 municípios.

A sorologia faz parte do projeto do Governo do Maranhão para que o estado alcance o status sanitário de Zona Livre de Febre Aftosa com vacinação, e a participação dos criadores é de extrema importância nesse processo.

Comitê de Indicadores Rurais

Reuniu-se nesta quarta-feira (25) na sede da Agerp, o grupo que forma o Comitê de Trabalho sobre Indicadores Rurais do Maranhão (CIRMA). A medida é de iniciativa da Agerp e tem como objetivo aproximar as instituições participantes  criando um ambiente favorável de discussão e encaminhamento dos indicadores agroeconômicos, sociais  e geoambientais.

Reuniu-se nesta quarta-feira (25), na sede da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), o grupo que forma o Comitê de Trabalho sobre Indicadores Rurais do Maranhão (CIRMA).

wellington

A medida é de iniciativa da Agerp e tem como objetivo aproximar as instituições participantes  criando um ambiente favorável de discussão e encaminhamento dos indicadores  agroeconômicos, sociais  e geoambientais a fim de que possam subsidiar técnicos (pesquisadores, agrônomos e técnicos  agrícolas), estudantes e a sociedade de modo geral, para o desenvolvimento de pesquisa, com ferramentas que proporcionam qualificação à assistência técnica e aos agricultores familiares.

De acordo com o diretor de Pesquisa da Agerp  e articulador do CIRMA, Wellington Matos, a idéia de criar a comissão é incrementar formas de pesquisa e de comercialização dos produtos colhidos no meio rural maranhense, haja vista  não haver nenhuma outra iniciativa do gênero que acompanhe os trabalhadores rurais nesse quesito para fins de fomentar seus negócios.

“A criação do Comitê tem como pressuposto subsidiar equipe de pesquisadores, de técnicos e de trabalhadores  quanto à informações  que ajudem no desenvolvimento de projetos de Assistência Técnica no Maranhão”, destacou o diretor de Pesquisa, atentando para o fato do projeto ter sido aprovado pelo diretor-presidente da órgão, Jorge Fortes.

Revista virtual

Apoiando o projeto de Wellington Matos, o engenheiro de Pesca da Sagrima, Hélio dos Santos Jr., disse ser essa uma experiência inédita  e desponta como uma ferramenta importante  que é a busca por informações  básicas para o agricultor familiar. “Com o Comitê e a revista virtual (blog), teremos condições de fazer uma análise setorial e conjuntural do comércio e serviços sempre com foco no resultado que é a melhoria da qualidade da agricultura familiar e da produção com base na informação”, afirmou ele.

Outra medida tomada pela direção de Pesquisa da foi a criação e publicação do Blog Indicadores Rurais do Maranhão. A ferramenta é direcionada ao público final desta Agência e está diretamente ligada ao no link – Indicadores Rurais do Maranhão (no site), e tem como foco central mostrar números, atividades econômicas, resultados de pesquisa, análises, dados e informações úteis para diagnosticar e planejar as  unidades familiares de produção, elaborar projetos de crédito rural, estudar a situação geoeconômica e social do meio rural e avaliar o impacto da introdução de inovações tecnológicas, além de permitir o planejamento e a avaliação do impacto de políticas agrícolas.

Podem ser encontradas ainda na referida página, informações sobre o CIRMA, agricultura familiar, clima e tempo, sistemas, publicações e outros serviços voltados para a produção rural, seus projetos e pesquisas.

Para saber mais, basta clicar no ítem Serviços – Indicadores Rurais Maranhão, na página inicial desse site.

Secretário fala sobre Combate à Pobreza

 

O secretário de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar Fernando Fialho, atendendo ao convite do presidente do Poder Legislativo, deputado Arnaldo Melo, proferiu palestra na Assembleia Legislativa (AL), nesta quinta-feira (26), sobre as metas contidas no Projeto de Combate à Extrema Pobreza no Maranhão determinadas pela governadora Roseana Sarney.

O secretário de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Fernando Fialho, atendendo ao convite do presidente do Poder Legislativo, deputado Arnaldo Melo, proferiu palestra na Assembleia Legislativa (AL), nesta quinta-feira (26), sobre as metas contidas no Projeto de Combate à Extrema Pobreza no Maranhão determinadas pela governadora Roseana Sarney. Vinte e quatro deputados estaduais participaram da sessão e perguntaram ao secretário sobre as ações do Projeto destinadas a reforma agrária, titularização de terra, incentivo aos pequenos produtores, assistência técnica e compra de maquinário, dentre outros temas.

fialho_na_assemb

Fernando Fialho afirmou que as ações do Projeto vão reduzir os indicadores de vulnerabilidade social no estado. Em uma breve retrospectiva histórica, o secretário lembrou que a extrema pobreza no Brasil foi substancialmente reduzida entre 2000 e 2010.

“Mas, em 2010, ainda se concentra fortemente nas Regiões Norte e Nordeste. Há focos remanescentes de extrema pobreza em duas áreas litorâneas, nos Estados do Maranhão e do Pará, no entorno das regiões de influência de São Luís (MA) e de Belém (PA)”, afirmou o secretário.

As etapas do Projeto de Combate à Pobreza envolvem a integração e otimização da ação governamental; investimentos em estradas vicinais e intermunicipais, armazenamento, agroindústria; além da Gestão, monitoramento e avaliação. Porém, para que o Projeto atinja os objetivos é fundamental o engajamento dos prefeitos e de representantes de entidades na zona rural.

Fialho informou aos parlamentares que a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes) está sendo reestruturada através da elaboração de novos projetos, assim como, a continuidade dos projetos já desenvolvidos. “Buscaremos parcerias com a Universidade Federal do Maranhão (Ufma), Universidade Estadual do Maranhão (Uema) e o Instituto Federal de Educação Tecnológica do Maranhão (Ifma) para combatermos a pobreza extrema no Maranhão”, garantiu Fialho.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo, afirmou que a secretaria pode contar com o apoio dos parlamentares da Casa. “O Maranhão se prepara para esta grande cruzada. Foram inúmeras as tentativas para reduzir o percentual de pobreza em nosso estado. Portanto, precisamos convocar nossos prefeitos, vereadores para que possamos dar mais dignidade e mudarmos a vida de todos os maranhenses”, ressaltou Arnaldo Melo.

Congresso virtual discute agricultura familiar

 

O Brasil sediará entre os dias 20 e 22 de junho de 2012 a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável – a Rio+20, um processo intergovernamental dirigido pelos Estados-Membros das Nações Unidas com a participação plena do Sistema ONU. O evento marca o 20º aniversário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (UNCED), que ocorreu no Rio de Janeiro em 1992.

O Brasil sediará entre os dias 20 e 22 de junho de 2012 a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável – Rio+20, um processo intergovernamental dirigido pelos Estados-Membros das Nações Unidas com a participação plena do Sistema ONU. O evento marca o 20º aniversário da Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (UNCED), que ocorreu no Rio de Janeiro em 1992, e o 10º aniversário da Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável (WSSD), ocorrida em Johanesburgo em 2002. Com a presença de Chefes de Estado e de Governo e outros representantes, a expectativa é de uma Conferência do mais alto nível, visto que dela resultará a produção de um documento para orientar as políticas públicas de desenvolvimento sustentável no mundo.

Desse modo, o objetivo da Conferência é assegurar um comprometimento político renovado para o desenvolvimento sustentável, avaliar o progresso feito até o momento e as lacunas que ainda existem na implementação dos resultados dos principais encontros sobre desenvolvimento sustentável, além de abordar os novos desafios emergentes.

Nessa perspectiva, o Instituto Interamericano de Cooperação para Agricultura (IICA) e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) vem realizando desde o dia 9 de abril, o Congresso Virtual Internacional Reflexões para Rio + 20 Economia Verde e Inclusão Socioprodutiva: o papel da Agricultura Familiar. Francisco Sales, da Coordenadoria de Assistência Técnica e Extensão Rural da Agerp, vem participando ativamente do debate virtual, levando sugestões e tirando dúvidas junto aos participantes do evento preparatório que reunirá subsídios técnicos que fortalecerão posições institucionais junto a Conferência Mundial.

Os temas Economia Verde e Inclusão Socioprodutiva foram destaques de duas conferências magnas do congresso. Estão sendo realizados ainda fóruns com foco nos eixos temáticos: Desenvolvimento Rural Sustentável; Recursos Naturais e Soberania Alimentar; e Produção e Consumo Sustentável. Cada eixo oferece rodadas de debates virtuais, com duração de uma semana, e contam com a participação de palestrantes e comentaristas renomados.

Os resultados do Congresso que será encerrado dia 30 próximo serão consolidados em um informe técnico e uma revista especial que conterão a sistematização dos debates temáticos e as principais reflexões acerca dos temas da Rio + 20. Para saber mais sobre a conferência acesse www.congressorio20.org.br 

 

 

Em 26/04/12 

Governo do Estado e BNDES: edital Nº 01/12

O Governo do Estado e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) disponibilizaram, para consulta, o manual de orientação e o edital Nº 01/2012 que tratam da seleção pública de projetos produtivos de agricultura familiar e empreendimentos de economia solidária, com propostas de inclusão produtiva nos Arranjos Produtivos Locais (APLs), para financiamento.

O Governo do Estado e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) disponibilizaram, para consulta, o manual de orientação e o edital Nº 01/2012 que tratam da seleção pública de projetos produtivos de agricultura familiar e empreendimentos de economia solidária, com propostas de inclusão produtiva nos Arranjos Produtivos Locais (APLs), para financiamento.

Os documentos estão disponíveis nesse site, no portal do Governo do Estado (www.ma.gov.br) e nos sites das secretarias de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (www.seplan.ma.gov.br ) e da Agricultura, Pecuária e Pesca (www.sagrima.ma.gov.br ).

A iniciativa é coordenada pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes), com a Seplan, por meio do Fundo Maranhense de Combate à Pobreza (Fumacop), e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Podem participar da seleção pública de projetos produtivos de agricultura familiar e empreendimentos de economia solidária, associações de agricultores familiares, assentados da reforma agrária, remanescentes de quilombos rurais, produtores rurais, extrativistas, silvicultores, mulheres agricultoras, indígenas, pescadores artesanais, aquicultores e associações da economia solidária. Também se enquadram outras formas associativas sem fins lucrativos, regidos pelo Decreto-Lei n.º 594/ 74, de 7 de novembro, e Decreto-Lei n.º 71/77, de 25 de fevereiro, e cooperativas de produção, comercialização, de beneficiamento e de serviços regidos pela Lei 5.764/1971.

Dentro do total de recursos destinados (R$ 19 milhões), o valor de cada projeto aprovado será estabelecido obedecendo aos seguintes limites: 60% serão destinados a projetos com valores de até R$ 150 mil; e 40% serão para projetos com valores de R$ 150.000,01 até R$ 300 mil. Cada organização associativa ou cooperativa pode submeter apenas uma proposta de projeto produtivo. A proponente deve oferecer contrapartida de, no mínimo, 10%.

A validade do edital é de 16 de abril a 16 de julho. Para alcançar um número maior de inscritos, serão disponibilizadas 19 mesas técnicas que auxiliarão no estudo das propostas.

 

Confira o Edital 01/12:  EDITAL.pdf

Confira o Manual:  MANUAL.pdf

Agerp participa da I Conferência Nacional de ATER em Brasília

Uma equipe da AGERP participa, desde a manhã de terça-feira (24) da I Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (I Cnater), evento que o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) promove em Brasília em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf) e do Comitê Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Cnater).

   conf_de_ater

Uma equipe da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (AGERP) participa, desde a manhã de terça-feira (24), da I Conferência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (I Cnater), evento que o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) promove em Brasília em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf) e do Comitê Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Cnater).

conf_de_ater

A conferência reúne delegados de todo o país para discutir e definir propostas que constituirão as estratégias, diretrizes e prioridades para o Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pronater). Algumas dessas propostas têm à frente a Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer), da qual a Agerp faz parte.  

O consenso entre as Emateres e agências executoras de assistência técnica e extensão rural (Ater) do país foi estabelecido a partir dos indicativos reconhecidos por Conferências Estaduais. A do Maranhão foi realizada em março passado, em São Luís, reuniu 306 delegados e elegeu 36 para participarem da I Cnater, entre eles representantes de entidades não governamentais e de entidade governamental executora de ater (Agerp), representantes do Poder Público, de instituições de agricultura familiar e do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (Cedrus).

Brasília – O presidente da Asbraer, Júlio Zoé de Brito, defendeu em seu discurso a necessidade da construção de um sistema que organize os recursos disponíveis para a Ater. Brito lembrou que a Lei Orçamentária da União (LOA) tem R$ 1,6 bilhão e o Departamento de Ater do MDA foi contemplado com R$ 400 milhões. No entanto, a maior parte desses recursos está pulverizada pelos diferentes órgãos de governo pela falta de uma coordenação única. Jorge Fortes, presidente da Agerp, também destaca esse ponto como o principal da conferência. “A conferência vai discutir a Política Nacional de Ater e destacar a importância de fortalecer as entidades públicas de assistência técnica e extensão rural com a criação de um órgão que trate especificamente disso”.

A cerimônia de abertura foi presidida pelo ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, e contou também com a participação da ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, do deputado federal Zé Silva (MG), representantes da Secretaria de Agricultura Familiar e de organizações de diferentes segmentos sociais do meio rural brasileiro.

Em seu discurso, Vargas fez coro ao da ministra Eleonora, que destacou a importância da mulher no meio rural e em outros cenários. Segundo ela, não há como falar em sustentabilidade econômica, social e ambiental quando não se reconhece a importância da mulher no campo e meio urbano. Pepe Vargas afirmou que a missão do governo é buscar o protagonismo da mulher no meio rural nos programas do MDA.

“É preciso ter um sistema e, assim, sonhar com a universalização das políticas públicas”, disse Júlio Zoé, que fez um apelo para que a 1ª Conferência de ATER seja “um momento histórico, um espaço de convergência, que permita a construção de políticas mais densas para o campo”.

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Alberto Broch, avaliou a conferência como uma conquista da sociedade. Ele afirmou que a Contag deseja uma assistência técnica pública, gratuita e de boa qualidade e não somente estatal. Para ele, é necessário recuperar a caminhada antes da extinção dos serviços de ATER no país, bem como garantir a troca de saberes na formulação das políticas públicas.

A 1ª Conferência de Ater prossegue até quinta-feira (26). Os participantes estão divididos em grupos nos quais ocorrem os debates sobre os eixos: Ater e desenvolvimento rural sustentável; Ater para a diversidade da agricultura familiar e a redução das desigualdades; Ater e políticas públicas; Gestão, financiamento, demanda e oferta de serviços de Ater; Metodologia de Ater – abordagem de extensão rural.

 

 

Em 26/04/12

 

 

 

Sedes discute Brasil sem Miséria

Com o objetivo de alinhar as ações do Governo do Estado com os programas previstos no plano “Brasil sem Miséria” do Governo Federal, o secretário da Sedes, Fernando Fialho, se reuniu na manhã desta terça-feira (24), no Palácio dos Leões, com o secretário extraordinário para Superação da Extrema Pobreza (Sesep), Tiago Falcão, vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Com o objetivo de alinhar as ações do Governo do Estado com os programas previstos no plano “Brasil sem Miséria” do Governo Federal, o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Agricultura Familiar e Inclusão Sócio-Produtiva (Sedes), Fernando Fialho, se reuniu na manhã desta terça-feira (24), no Palácio dos Leões, com o secretário extraordinário para Superação da Extrema Pobreza (Sesep), Tiago Falcão, vinculado ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). A reunião foi coordenada pelo secretário Luís Fernando Silva (Casa Civil) e contou ainda com a participação de assessores da Sedes.

reuniao_fialho

 

Reestruturação para combater a pobreza

De acordo com Tiago Falcão, a criação da pasta assumida pelo secretário Fernando Fialho, que tem como finalidade específica o combate e a erradicação da pobreza extrema no Maranhão, já é um passo importante para a integração de ações entre governos. “Eu vim aqui para conhecer a estruturação da secretaria e aprofundar as discussões em torno do plano Brasil sem Miséria. É um momento muito interessante para alinharmos nossas iniciativas e trabalhar de forma conjunta para superar a extrema pobreza no Maranhão”, ressaltou Tiago Falcão.

O secretário Luís Fernando Silva destacou a importância da reunião com um técnico do Ministério do Desenvolvimento Social diante o atual posicionamento do Governo do Estado para enfrentar a pobreza extrema, que fez uma reestruturação administrativa para atender essa difícil demanda. “De acordo com os dados do IBGE, o Maranhão vem reduzindo a uma taxa de 3% ao ano a proporção da população em situação de extrema pobreza, mas a governadora Roseana Sarney não está satisfeita com esse número. Ela que uma taxa maior de redução para que em 2015 o estado tenha uma proporção de pelo menos um dígito. Vamos sair da faixa de 10 a 20% para a margem de 9% da população em situação de extrema pobreza”, frisou.

Brasil sem Miséria

Durante a reunião foram discutidos os três eixos que estruturam o Brasil sem Miséria (Garantia de Renda, Inclusão Produtiva e Acesso a Serviços), e a possibilidade de ajustes específicos para a realidade maranhense. Dentro do eixo Garantia de Renda, foram analisados os dados e informações relativas ao Bolsa Família no estado, além de estudada a possibilidade de aprimoramento do programa. Quanto à Inclusão Produtiva, foram abordadas questões relativas à qualificação profissional no âmbito urbano; a assistência técnica rural e as possibilidades de crédito tanto no campo quanto na cidade. Sobre o eixo Acesso a Serviços Públicos, foi debatido o aprimoramento do acesso aos programas de educação, saúde e assistência social dentro do estado do Maranhão.

Para o secretário Fernando Fialho, o Governo do Estado vem fazendo um esforço diferenciado para acelerar o processo de redução da extrema pobreza no Maranhão. “O Governo Federal entendeu que com a criação da secretaria específica para trabalhar o tema, o Maranhão tomou uma providência efetiva no sentido de concentrar as ações para reduzir a condição de pobreza extrema. Em função disso, nós estamos recebendo a visita do secretario Tiago Falcão do Ministério do Desenvolvimento Social, para observar e trazer informações a respeito de todos os programas em torno do plano, e de como podemos dar celeridade na captação de recursos federais para aplicarmos no combate a pobreza no Maranhão”, finalizou.

 

 

 

Em 24/04/12

Sedes e Sebrae promovem capacitação

 

Representantes de empresas maranhenses de assistência técnica participaram de capacitação em “Elaboração de Projetos Produtivos de Agricultura Familiar e Empreendimentos de Economia Solidária”, promovida pela Sedes em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). O curso, realizado de 16 a 20 deste mês, foi ministrado pelo consultor em Orientação Empresarial do Sebrae, João Conrado Carvalho.

Representantes de empresas maranhenses de assistência técnica participaram de capacitação em “Elaboração de Projetos Produtivos de Agricultura Familiar e Empreendimentos de Economia Solidária”, promovida pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). O curso, realizado de 16 a 20 deste mês, foi ministrado pelo consultor em Orientação Empresarial do Sebrae, João Conrado Carvalho.

capac_sedes

O secretário de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Fernando Fialho, informou que as empresas qualificadas foram responsáveis pela elaboração dos projetos produtivos que participaram da seleção pública do edital 01/2011, lançado no ano passado pelo Governo do Estado e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para apoiar financeiramente projetos produtivos e empreendimentos de economia solidária focados nos Arranjos Produtivos Locais (APLs) no Maranhão. “São ações fundamentais para fixar o homem ao campo assegurando-lhes produtividade e inserção no mercado local”, enfatizou Fialho.

As empresas foram capacitadas ainda na elaboração dos projetos que vão participar da seleção pública do edital 01/2012, lançado pelo governo do Maranhão e BNDES, no início do mês. Também participaram do curso as empresas que prestam consultoria ao Sebrae nas regiões em que a instituição trabalha com os Arranjos Produtivos Locais, visando o fortalecimento de uma parceria com a Sedes.

“A necessidade do curso surgiu a partir da análise dos projetos apresentados no primeiro edital, lançado no ano passado. A perspectiva é melhorar os projetos apresentados para contribuir com o desenvolvimento local, obedecendo ao que preconiza o edital 01/2012, de que sejam projetos produtivos e empreendimentos de economia solidária, visando a inclusão produtiva”, declarou o gerente de Operações do Sebrae, Mauro Borralho de Andrade.

De acordo com o consultor João Conrado Carvalho, “os técnicos das empresas foram treinados para fazer o diagnóstico inicial nas associações e cooperativas, identificando as suas necessidades; a projeção de investimentos aproveitando as potencialidades da região de acordo com os Arranjos Produtivos Locais; definição de objetivos e meta a serem alcançadas pelos investimentos, além de fazer o levantamento da viabilidade econômica e financeira dos projetos para que sejam auto sustentáveis”.

 

Em 23/04/12

MDA e Agerp monitoram programas federais em municípios do Alto Itapecuru

Com o objetivo de ajustar procedimentos de rotina na aplicação dos programas do governo federal (Pacto Federativo e Convênio 024/2007), uma equipe formada pelo Analista  do Ministério do Desenvolvimento Agrário, Alex Paulo de Souza, e pelos coordenadores da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão Josenildo Cardoso de Araújo e Durval Ribeiro Alves, visitou essa semana comunidades localizadas nos municípios de Itapecuru-Mirim, São João dos Patos, Buruti Bravo e Lagoa do Mato.

 

mda_no_ma

Com o objetivo de ajustar procedimentos de rotina na aplicação dos programas do governo federal (Pacto Federativo e Convênio 024/2007), uma equipe formada pelo analista  do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Alex Paulo de Souza e pelos coordenadores da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), Josenildo Cardoso de Araújo e Durval Ribeiro Alves, visitou essa semana (de terça a sexta), comunidades localizadas nos municípios de Itapecuru-Mirim, São João dos Patos, Buruti Bravo e Lagoa do Mato

 

mda_no_ma

 

No primeiro dia de viagem, os técnicos vistoriaram projetos no povoado Sumaúma (Itapecuru-Mirim). Na ocasião, conversaram com agricultores familiares e técnicos da regional local acerca do processo de aplicação de projetos que tem a finalidade de produzir hortaliças para consumo e venda na própria comunidade. 

 

Seguindo a orientação da agenda nacional do MDA, o grupo continuou a viagem visitando os municípios de São João dos Patos, Lagoa do Mato e finalmente, Buruti Bravo, todos localizados na região Altos Itapecuru, na zona centro-oeste do Maranhão.

 

De acordo com Cardoso, coordenador de Assistência Técnica e Extensão Rural da agência, a supervisão dos projetos em desenvolvimento faz parte da rotina do órgão, que além da referida região monitora metas  nas demais regionais do Estado. Ainda de acordo com Josenildo, o contato com os agricultores, técnicos e gestores, fortalece o vínculo Agerp/comunidades, além de servir como fator de orientação àqueles que incrementam a sua renda a partir do cultivo de hortaliças e da produção de gado leiteiro e de corte, galinha caipira, artesanato ou outros assistidos pelo Pronaf B e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), entre outros.

 

O coordenador de Ater  revelou ainda que a aplicação de recursos por intermédio dos programas governamentais  tem acelerado o processo da melhoria da qualidade de vida, dada a importância  da assistência técnica uma vez que vem sendo capacitados constantemente profissionais para atuarem no campo.

 

“A nossa passagem pelos municípios visa o acompanhamento técnico dos gestores e profissionais que atendem ao público da Agerp, que é o agricultor familiar”, disse ele, ao tempo que parabenizou o MDA pelo profissionalismo com que vem conduzindo a parceria para o progresso da agricultura familiar.

 

No entendimento do analista do MDA, a visita ao Maranhão é fundamental porque tem caráter de prestação de contas e constatação de que o empreendimento está sendo tocado com responsabilidade e que o governo maranhense está realmente empenhado em acelerar o fim da pobreza extrema. “A nossa visita ao Maranhão é justamente para haver um acompanhamento dos programas federais aplicados pela Agerp com a intenção de reduzir a pobreza extrema por meio da agricultura familiar”, destacou Alex Paulo, enquanto conferia o sucesso dos programas junto aos produtores rurais e o engenheiro agrônomo Salvador Saraiva, em Lagoa do Mato.

 

 

Em 20/04/12

Maio 2012Edital de convocação de audiência pública

O presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão – Agerp/MA, no uso de suas atribuições legais e em cumprimento ao que dispõe o artigo nº 69, inciso V, alínea “i” e parágrafo 3º, alíneas “a”,”b” e “c”, da Lei Estadual nº 9. 579, de 12 de abril de 2012, faz saber a quem possa interessar que fará AUDIÊNCIA PÚBLICA para a apresentação e debate público do Termo de Referência para a contratação por dispensa de licitação do Instituto de Agronegócios do Maranhão – INAGRO, no seguinte local, data e horário:

Local: Auditório da Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar – Sedes, localizado na Rua do Giz, nº 249 – Praia Grande – Centro, São Luis – MA.
Data: 30 de maio de 2012.
Horário: 15:30h.

 

São Luis, 23 de maio de 2012.
Jorge Luiz de Oliveira Fortes
Presidente da Agerp/MA.