Facebook Twitter Instagram

Agerp intensifica programa de capacitação para atender gestores e agricultores

A Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão, Agerp/MA, órgão ligado à Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Sedes -, intensificou programa de capacitação voltado a gestores da Agerp e agricultores familiares.

Para compor esta etapa do projeto,   a coordenação de Capacitação organizou dois Encontros envolvendo este público, tendo sido encerrado o primeiro esta semana, cujo tema tratou sobre:  “Orientações para ações de assistência técnica pública e o uso de ferramentas e metodologias participativas nas atividades de Ater da Agerp”.

Capacitação AgerpForam incluídos neste processo, os profissionais  das regionais de São Luis, Rosário, Viana, Santa Inês, Timon, Zé Doca, Caxias, São João dos Patos e Pinheiro.  A qualificação  serviu como intercâmbio entre os técnicos que na oportunidade, trocaram experiências de assistência técnica e discutiram estratégias para o desenvolvimento de atividades  de combate à pobreza rural no Maranhão.

“O curso integra uma série de ações que ocorrem desde o ano passado por meio do convênio 024/2007 e do Pacto Federativo, ambos firmados entre a Agerp e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), cujo intuito é capacitar os nossos profissionais para atender bem o  público da Agerp, que é o agricultor familiar”, ressaltou o presidente da Agerp, Jorge Fortes, afirmando ser esta uma das preocupações, que o governo do estado tem com quem trabalha no campo.

Ele lembra ainda que, além de capacitar os gestores e agentes, a Agerp e o Governo promovem também,  desde 2012, diversas atividades envolvendo o agricultor familiar.  O presidente exemplifica, destacando os diversos cursos  voltados a este público específico dos municípios que constituem os territórios da cidadania   tais como: Cururupu, Pinheiro, Viana, Itapecuru- Mirim, Chapadinha, Zé Doca, Rosário, Morros, Caxias, Cantanhêde e Pedreiras.

Foram contemplados  na ocasião, segundo Jorge Fortes,  indígenas, jovens, mulheres, pescadores artesanais, quilombolas e gestores públicos municipais. O objetivo, ainda segundo ele foi promover e incrementar a economia, além de universalizar programas básicos por meio de estratégia de desenvolvimento territorial sustentável.

Recursos do PPA

Ainda na perspectiva de elevar a qualidade de vida dos agricultores  familiares maranhenses por meio de treinamento e capacitação,  a  Agerp realiza paralelamente ao Convênio Agerp/MDA, cursos, seminários, jornadas e oficinas, por meio de recursos disponibilizados pelo Plano Plurianual do Governo do estado (PPA), cuja previsão é de atender a demanda identificada por meio de levantamento feito no campo, de acordo com ações de assistência técnica,  no período de 2012 a 2015.

Além de atender aos agricultores, a Agerp programou aos agentes,  capacitações com diversos temas relacionados ao desenvolvimento da assistência técnica. Já para os agricultores familiares, estão sendo ministrados cursos sobre melhoramento da farinha de mandioca, associativismo e cooperativismo, gestão de empreendedorismo industrial-produção de polpa de frutas-, galinha caipira, dentre outros.

Foto capacitaçãoA equipe de Capacitação da Agerp realizará até o final do próximo mês, novo intercâmbio profissional entre gestores, dia de campo, diversos cursos  e seminários .  Todos  direcionados para técnicos, gestores, agricultores e parceiros municipais.

Para o gestor do Escritório Regional de Rosário, Walter Costa Sousa, o curso teve uma enorme utilidade pelo fato de ter conhecido gestores de outras regionais e podendo  discutir soluções  e estratégias para o desenvolvimento de ações  de ater.

“Houve interatividade entre os colegas técnicos da Agerp. Foi fundamental para conhecermos a realidade  de cada região, apresentar ideias e também aprender com o que foi apresentado tanto pela direção da Agerp, quanto pelos participantes”, ressaltou Walter, se dizendo ansioso para novo encontro.

Sedes informa que 15.928 agricultores familiares maranhenses podem receber Garantia Safra

Levantamento feito pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes) indica que 15.928 agricultores familiares no Maranhão estão aptos a receber os benefícios do Programa Garantia Safra do Governo Federal. Resultado de uma ação da Sedes, esses agricultores vão receber R$ 760,00 em caso de perda de suas safras, ocasionada pela estiagem ou excesso de água (enchentes).

Fernando Fialho“O importante é que estamos garantindo ao agricultor familiar uma renda mínima”, declarou o secretário de Desenvolvimento Social, Fernando Fialho, ao explicar que o Garantia Safra é uma das ações do Programa Nacional de Apoio à Agricultura Familiar (Pronaf), executado pelo Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA).

Fernando Fialho contabilizou ainda que, num esforço do Governo do Estado, este ano,o número de agricultores foi ampliado de 12.890 para 15.928 e o número de municípios cresceu de 28 para 30.

O coordenador estadual do Garantia Safra, Giancarlo Pinheiro Rosa, informou que para ter acesso ao programa, o agricultor familiar necessita preencher alguns requisitos, como plantar entre 0,6 a 5 hectares de arroz, feijão, milho, algodão e mandioca, não irrigados, e ter uma renda bruta familiar mensal de até um salário mínimo e meio, excluindo a aposentadoria rural.

Oscar Valois Filho, também da Coordenação Estadual do Garantia Safra, complementa que o Garantia Safra é um fundo solidário, formado por contribuições dos agricultores (taxa de adesão), dos municípios, dos estados e da União, que juntos formam o Fundo Garantia Safra (FGS), administrado pela Caixa Econômica Federal (CEF).

O Fundo é solidário porque quando um município não sofre com estiagem ou enchentes, os recursos arrecadados nesse município são utilizados em outro onde ocorreu a perda de safra do agricultor familiar.

No Maranhão, os 15.928 agricultores familiares aptos ao benefício estão situados nos municípios de Afonso Cunha (350), Anapurus (798), Belágua (392), Brejo (1.034), Buriti (1.473), Cantanhede (799), Capinzal do Norte (146), Chapadinha (1.834), Codó (382), Coelho Neto (426), Coroatá (471), Dom Pedro (318), Duque Bacelar (408), Itapecuru-Mirim (891), Mata Roma (839), Matões do Norte (624), Miranda do Norte (223), Nina Rodrigues (669), Paulino Neves (59), Pedreiras (200), Pirapemas (152), Presidente Vargas (179), Santa Rita (465), São Benedito do Rio Preto (516), São João do Sóter (654), Timbiras (74), Timon (322), Trizidela do Vale (202), Tutóia (334) e Vargem Grande (694).

Sagrima e Agerp estão concluindo distribuição de sementes de hortaliças

A secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima) está concluindo a distribuição de 689 quilos de sementes de hortaliças a 2.440 agricultores familiares de todas as regiões do Maranhão. A distribuição das sementes está sendo feita pelos 19 escritórios regionais da Agência de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp).

O secretário da Sagrima, Cláudio Azevedo, explicou que esta ação faz parte do Programa Viva Sementes, que para a safra 2012/2013 Para matéria distribuição de sementesdistribuiu também 1.505 toneladas de sementes de arroz e milho para cerca de 150 mil famílias. “Na primeira quinzena do mês de abril iremos iniciar a distribuição de mais 400 toneladas de sementes de feijão”, anunciou o secretário.

Os tipos de sementes distribuídas pelo governo estadual são melancia, cebolinha, alface, pepino, quiabo, coentro, maxixe, abóbora e pimentão. A previsão é de que os 689 quilos de sementes sejam plantadas numa área de aproximadamente 1.220 hectares.

O presidente da Agerp, Jorge Fortes, disse que o programa permite que o agricultor adquira um material de qualidade, porque muitos deles têm dificuldades no acesso aos grandes centros onde são vendidas as sementes. “Algumas hortaliças podem ser aproveitadas como mudas, mas com outras, o recomendável é o plantio de novas sementes”, explicou Jorge Fortes.

O escritório da Agerp de São Luís, que recebeu cerca de 80 quilos de sementes da Sagrima, já distribuiu mais de 90% dos insumos aos agricultores familiares de São Luís, São José de Ribamar, Raposa e Paço do Lumiar.

A presidente da Associação de Pequenos Produtores Rurais de Raposa, Maria Luísa Silva Correa, disse que recebeu 48 latas de sementes para distribuir entre os associados e muitos deles já colheram a produção. “Essas sementes ajudam muito porque o dinheiro Distribuição de sementesque nós produtores iríamos gastar comprando-as, investimos na compra de adubo e outros materiais necessários para utilizar no nosso plantio de hortaliças”, conta a agricultora Maria Luísa.

A distribuição das sementes está contribuindo, também, com o aumento da produção de hortaliças feita pelos agricultores familiares que fornecem a produção para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), desenvolvido pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e Ministério do Desenvolvimento Social.

O Programa consiste na compra de alimentos produzidos por agricultores familiares com isenção de licitação, por preços de referência que não podem ser superiores nem inferiores aos praticados nos mercados regionais.

A agricultora Maria Luísa informou que os produtores comercializam as hortaliças nas feiras e também fornecem para o PAA, que este ano destinou cerca de R$ 2,376 milhões aos projetos desenvolvidos exclusivamente por mulheres, um aumento de 80%, comparado ao ano de 2010.

Em relação à produção oriunda de mulheres que trabalham com agricultura, na semana passada a Região do Médio Mearim foi destaque nacional, quando o Clube de Mães Palmares de Santa Bárbara, do Povoado Catucá, localizado no município de Bacabal, ficou entre os 10 grupos vencedores do Prêmio Mulheres Rurais que produzem o Brasil Sustentável, iniciativa da Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

As mulheres que fazem parte do Clube de Mães Palmares de Santa Bárbara, também, foram beneficiadas com as sementes de hortaliças do Programa Viva Sementes.

O gestor da Agerp de Bacabal, Manoel Joaquim Viana, disse que Bacabal, Bom Lugar, São Luís Gonzaga, Paulo Ramos e Lago Verde são os municípios que mais produzem hortaliças na região. “Somente no município de Bacabal temos 188 famílias que trabalham com hortaliças e nós estamos distribuindo as sementes de acordo com as necessidades dos produtores”, informou ele.

 

Fonte: Sagrima.