Facebook Twitter Instagram

Agerp e UEMA realizam pesquisa para identificar melhor período de plantio no Maranhão

A Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão – Agerp, órgão da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar – Sedes-, em parceria com o Núcleo Geoambiental da Universidade Estadual do Maranhão (Nugeo/UEMA), deu início esta semana ao processo de zoneamento agroclimático na Bacia do Itapecuru.

Foto_12-BO estudo tem por objetivo, analisar os fatores climáticos que influenciam diretamente o desenvolvimento da agricultura familiar, tendo por base riscos climáticos, como por exemplo, estiagem e degradação de solo.

O procedimento visa apoiar as ações de planejamento e orientação aos agentes no desenvolvimento da atividade rural, por meio da troca de experiências e da geração de conhecimentos técnico-científicos, que resulte no apoio e incremento da agricultura familiar do estado.

Servirá ainda para definir o período mais adequado para a realização de plantios. Para isso, o grupo de pesquisadores se prepara para, no período médio de um ano analisar todas as bacias hidrográficas incluindo as do Mearim, Munim, Turiaçu, Maracaçumé, Preguiça e Periá.

Acordo de Cooperação Técnica

Para o desenvolvimento do projeto, a Agerp e a UEMA firmaram Acordo de Cooperação Técnica, cujo objetivo é reunir esforços para promover estudos e implantar o projeto piloto de monitoramento de chuvas e construção de calendário agrícola em nível de bacia hidrográfica no estado do Maranhão.

O Termo de Cooperação prevê as instituições envolvidas a organização, viabilização e participação nas ações para aquisição de conhecimento e uso dos produtos utilizados no planejamento agrícola.

Foto_17Prevê ainda a divulgação do projeto nos escritórios regionais desta Agência, nos municípios e nas comunidades. Outra incumbência é quanto à promoção de estratégias para a coleta e uso de informações que promovam um sistema de monitoramento dos resultados obtidos na fase em que será implantado o programa.

De acordo com o diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Agerp, Wellington Matos, o estudo é fundamental para o desenvolvimento social, econômico e ambiental do Maranhão. O projeto, segundo ele, contribui de forma direta com o Plano Brasil sem Miséria do governo Federal que tem como base o combate à pobreza extrema.

“Nesse sentido e considerando a importância das informações climáticas, principalmente as chuvas e as características geoambientais, como solos, relevo e outros elementos, é que a Uema e a Agerp fortalecerão, por meio dessa atividade, levantamento e coleta de dados a fim de estruturar um projeto piloto de monitoramento de chuvas para construção de calendário agrícola em nível de bacia hidrográfica no estado”, destaca ele.

Estas ações integram o planejamento do Comitê de Trabalho sobre Indicadores Rurais – CIRMA, entidade de apoio que reúne Foto_04instituições que discutem e planejam ações dos indicadores agroeconômicos, sociais e geoambientais, cuja função é subsidiar pesquisadores, estudantes e sociedade de modo geral, para o desenvolvimento de pesquisa, com ferramentas que proporcionam qualificação à assistência técnica e aos agricultores familiares.

Governo cria Agência para assistência técnica e extensão rural

A presidenta Dilma Rousseff assinou no início deste mês, o projeto de lei que cria a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater). O objetivo, segundo o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, é garantir que produtores rurais aumentem a produtividade e renda por meio do acesso à assistência técnica e extensão rural em todas as etapas da atividade.

DSC05520O documento foi assinado durante lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar, no Palácio do Planalto, e será encaminhado ao Congresso.

Ao discursar durante a solenidade, o ministro Pepe Vargas destacou que a criação da agência representa um importante marco para o setor. “É um novo marco para a agricultura brasileira, que vai permitir levar mais conhecimento e tecnologia aos agricultores brasileiros e consequentemente ajudá-los a produzir mais alimentos, fortalecendo a vocação do Brasil como grande produtor, como país que constrói sua soberania alimentar e tem todas as condições de dar contribuição para o fornecimento de alimentos ao conjunto do planeta”, disse.

Pepe Vargas enfatizou que, para garantir a aproximação da pesquisa agropecuária à extensão rural e à transferência de tecnologia aos agricultores, a Anater atuará em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Segundo o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade, o setor sentia falta de um órgão capaz de fazer a ponte entre as duas áreas. “Sentíamos muita falta de uma agência que ligasse a assistência técnica às pesquisas desenvolvidas pela Embrapa.  Vai ajudar muito a agricultura tanto empresarial quanto familiar”, destacou.

 

Fonte: Secom/ Presidência da República

 

Ministério contrata Assistência Técnica para 1.440 mulheres de seis estados

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) vai contratar Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para 1.440 mulheres dos estados do Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Piauí, Paraná e Rio Grande do Norte. A ação integra o Plano Brasil Sem Miséria e tem o objetivo de desenvolver, produtivamente, agricultoras familiares, pescadoras artesanais e extrativistas que tenham renda familiar até R$ 70 por pessoa.

Para ter acesso às ações de inclusão produtiva rural, as mulheres devem possuir a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) e estar Gilvanete Martins e filhas - Curralinho - terr marajo- PA ©LMelginseridas no Cadastro Único (CadÚnico) para programas sociais do governo federal. As ações de Ater exclusivas a esse público vão ser desenvolvidas em seis territórios da cidadania. O contrato tem a duração de dois anos e prevê desde a mobilização e identificação das mulheres até o acompanhamento dos projetos desenvolvidos pelo núcleo familiar.

“O objetivo da assistência técnica específica para as mulheres é fortalecer os grupos produtivos, buscando qualificar a produção, a comercialização e a gestão. Por meio dessa visibilidade é possível reduzir a desigualdade de gênero, dando a elas autonomia no meio rural”, explica a coordenadora-geral de Organização Produtiva e Comercialização do MDA, Renata Leite.

Podem participar da chamada pública, as entidades credenciadas no sistema de Ater do MDA. As propostas devem garantir, entre outras questões, ações que fomentem e qualifiquem a produção agroecológica, com destaque para a criação de pequenos animais, quintais produtivos, extrativismo e beneficiamento de produtos agrícolas. O prazo para o envio da proposta vai até o dia 18 de julho.

Inclusão Produtiva Rural

Para promover a inclusão produtiva de famílias em situação de extrema pobreza, o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), oferece dentro do Plano Brasil Sem Miséria, assistência técnica diferenciada para agricultores familiares, mulheres e povos e comunidades tradicionais. Desde o início da ação, em 2011, mais de 259 mil produtores foram beneficiados com os serviços de acompanhamento técnico que consiste nas visitas à propriedade, na troca de conhecimento, na elaboração de projetos de fomento, entre outras ações.

Territórios contemplados

Território Sertão do Apodi – RN

Território Sertão do Canindé – CE

Território Médio Mearim – MA

Território Baixo Jequitinhonha – MG

Território Carnaúbas – PI

Território Vale do Ribeira – PR.

 

Fonte: Ascom/MDA

Dia de Campo em Matinha atrai centenas de pessoas de todo Estado

O secretário de Estado de Infraestrutura, Luis Fernando Silva, representou a governadora Roseana Sarney, na manhã deste sábado (15), no Dia do Campo sobre Piscicultura Sustentável, realizado no Povoado Itans, no município de Matinha. Ele estava acompanhado Lf no Dia de Campodos secretários de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes), Fernando Fialho; e Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima), Cláudio Azevedo; presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), Jorge Fortes; e do prefeito de Matinha, Marcos Robert (Beto Pixuta).

A programação incluiu café da manhã, exposição, ciclo de palestras e visitas a cinco estações, cada uma com abordagem de um tema. O secretário Luis Fernando acompanhou atentamente às explanações sobre cada estação e afirmou que o trabalho realizado na comunidade, com apoio do Governo do Estado, de valorização do produtor com a garantia da assistência técnica, comprova que o Maranhão pode ser cada vez melhor.

“Podemos ver aqui que o trabalho, muda para melhor a realidade de vida das pessoas e por isso o Governo do Estado incentiva e fortalece ações como essa. Parabenizo a todos os piscicultores e aos técnicos da Agerp que contribuíram para esse sucesso que deve servir de exemplo para todo estado e para o país. Isso dar orgulho de ser maranhense”, declarou Luis Fernando.

Dia de caMPO - LuisO secretário informou outras ações do Governo do Estado em benefício da Baixada Maranhense, como a construção do primeiro dique, por meio do Programa Viva Maranhão, bem como a construção de 50 pequenas barragens. Ele também anunciou mais estradas para região. “Logo, iremos assinar ordem de serviço para a estrada que liga Cujupe, Pinheiro e Santa Helena, e a realidade da Baixada será outra”, afirmou.

À comunidade de Itans, Luis Fernando informou que incluirá o povoado no programa de pavimentação de estradas. “Trabalhamos com responsabilidade e não com promessas. Trabalhamos com orçamento que já foi fechado para este ano, mas ano que vem Dia de campo Marlúcioincluiremos a estrada de Itans e faremos esse sonho de todos, se transformar em realidade, a exemplo do que estamos fazendo em outros regiões do estado”, garantiu.

O prefeito Marcos Robert agradeceu e lembrou que a parceria do Governo do Estado, se estende a outras áreas, a exemplo da saúde. Em breve o município receberá um hospital construído pelo governo. “É uma grande satisfação receber o secretário Luis Fernando neste Dia de Campo. Aproveito a oportunidade para agradecer a parceria com o Governo do Estado”, pontuou.

Dia de Campo

Realizado às margens do Lago Itans, o Dia de Campo foi promovido pela Sedes e Agerp e teve como objetivo divulgar a piscicultura desenvolvida por agricultores familiares da comunidade e ainda demonstrar os resultados positivos da assistência técnica prestada pelo Governo do Estado.

O secretário de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Fernando Fialho, ressaltou a vocação da comunidade para a produção do pescado. “A ação do Governo do Estado aqui, com a assistência técnica, valoriza a vocação local para a piscicultura e fortalece a atividade, contribuindo para a transformação da realidade da comunidade”, avaliou.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Cláudio Azevedo, ressaltou que o exemplo de trabalho da comunidade Itans deve ser seguido, porque mostra bem como fazer inclusão produtiva. “Um trabalho de união de parceiros que deu certo e que deve servir de exemplo para toda a Baixada, assim como para todo o Maranhão”, observou.

O presidente da Agerp, Jorge Fortes, disse que a presença dos técnicos do órgão e Secretrários no Dia de Campoparceiros foi fundamental para o sucesso da iniciativa. “A presença do Governo do Estado, assim como dos parceiros, foi indispensável na inclusão produtiva para que todos conseguissem os ganhos esperados”, assinalou.

O Dia de Campo contou com a participação de centenas de agricultores familiares, empresários rurais, técnicos, pesquisadores, moradores de Itans e comunidades vizinhas além de prefeitos da região, como o de Viana, Francisco Gomes; de Cajari, Joel Dourado Franco; de Nova Olinda do Maranhão, Edson Barros Costa Junior, Costinha; e de São Vicente Férrer, Maria Raimunda Sousa, além de lideranças políticas, comunitárias e rurais.

 Itans

Itans possui cerca de mil habitantes distribuídos em 125 moradias sendo 95% delas em casas de alvenaria com fossas sépticas e água encanada, realidade alcançada após o desenvolvimento do projeto de piscicultura implantado pelo Governo do Estado, Sebrae e Banco do Brasil. São cerca 121 produtores de peixes em 300 tanques.

“Hoje temos a felicidade estampada no peito pelo resultado da nossa união e trabalho. Quero agradecer ao governo do estado e aos parceiros pelo apoio dado, que mudou a nossa realidade. Temos, agora, a garantia da estrada, que nos foi dada pelo secretário Luis Fernando”, destacou o presidente da Associação de Piscicultores de Itans, Elizeu Gomes Silva.