Facebook Twitter Instagram

Equipe das Chamadas Públicas da Agerp discute Programa de Aquisição de Alimentos

20131218_161344Equipe técnica das Chamadas Públicas das regiões Campos e Lagos e Baixo Parnaíba da Agerp participaram nesta quarta-feira, (18), na sede desta Agência, de uma reunião sobre o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) – política pública de responsabilidade da Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes) -, que atende aos agricultores familiares de todo o Maranhão.

A assembleia teve como principal objetivo integrar ambas as coordenadorias tendo por base, a apresentação de ações e atividades desenvolvidas pelo Programa ao longo do ano, bem como propostas elaboradas para 2014. Para desenvolver o tema, a Agerp convidou a Superintendente de Agricultura Familiar da Sedes, Fabíola Ewerton, responsável pela pasta aqui no Estado.

“A assistência técnica é o elo que vai possibilitar aos agricultores familiares o acesso às políticas públicas e o técnico precisa estar com essas informações para levar aos agricultores”, ressaltou Fabíola, destacando a importância do PAA aos produtores rurais deste Estado.

Durante a reunião, a superintendente destacou as ações que a Sedes está implementando  para a melhoria de infra-estrutura rural, o acesso dos agricultores aos locais de comercialização, melhorando o sistema de abastecimento d’água e  a construção de barragens em cidades que sofrem com  inundações no período chuvoso.

Uma das ações destacadas foi a criação do “Programa Produzindo Mais, Comercializando Melhor”, que visa ampliar a comercialização de produtos produzidos pelos agricultores familiares nos municípios da Ilha de São Luís. O programa atende 300 deles que são capacitadas em inovação tecnológica, gestão e comercialização.

“Essa troca de informações é de grande importância para sabermos o que está sendo desenvolvido para erradicar a pobreza na Baixada e conhecermos programas que combatam a pobreza”, disse o coordenador da Chamada Pública em Cajari, Diolindo Eduardo.

Roseana entrega kits de apicultura a produtores rurais de 9 municípios

Foto 5 Governadora entrega kits foto Handson ChagasCom a meta de que nos próximos cinco anos o Maranhão se transforme no maior produtor de mel do país, o Governo do Maranhão e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Paraíba (Codevasf) estão fomentando o arranjo produtivo local na área de apicultura e meliponicultura em municípios do estado. Uma das ações foi realizada nesta segunda-feira (16), com a entrega de 279 kits de apicultura a pequenos produtores rurais dos municípios de Alto Alegre do Maranhão, Anajatuba, Bacabeira, Buriti Bravo, Centro Novo do Maranhão, Colinas, São João Batista, Viana e Zé Doca. O investimento é de R$ 2 milhões.

Os kits foram entregues pela governadora Roseana Sarney, pelo secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Cláudio Azevedo, e pelo superintendente da Codevasf no estado, João Batista Martins, em solenidade no Palácio dos Leões. O ato reuniu secretários de Estado, apicultores, prefeitos e deputados.

A governadora Roseana destacou que o Maranhão é responsável por um mel de altíssima qualidade muito procurado na Europa por se desprovido de qualquer toxidez.  “Por conta desse potencial, a criação racional das abelhas é uma das atividades que mais têm crescido nos últimos anos com o aumento do número de produtores e a chegada de grandes empreendimentos voltados para a extração e beneficiamento do produto”, observou Roseana Sarney.

“Com essa entrega nós vamos cada vez mais melhorar a qualidade do nosso mel e produzir mais, gerando emprego e renda no campo. Nós já somos um grande produtor e pelas informações que temos dos técnicos seremos um dos maiores do Brasil. Essa parceria com a Codevasf e com os prefeitos é muito importante porque ela acompanha e dá sustentação à nossa produção”, completou a governadora.

O secretário Cláudio Azevedo destacou que nenhum estado brasileiro produz mel de melhor qualidade que o extraído no Maranhão. “Dentro de três a quatro anos seremos o maior produtor de mel do Brasil. Nós temos florada que começa em maio na região Sul do Maranhão e vem até dezembro nos manguezais; nenhum outro estado tem essa potencialidade”, observou o secretário.

Melhorias e aumento da produção

Com a entrega dos kits, o governo e a Codevasf garantem aos apicultores melhoria e aumento na produção. Foram entregues mais de 6 mil colmeias. O prefeito de Viana, Francisco Gomes, disse que com a qualificação dos apicultores poderá ser triplicada a produção do município, que hoje está entre 90 e 100 toneladas/ano. “Com o apoio do governo Roseana e da Codevasf, essa atividade está sendo incrementada, desenvolvida e, em consequência, também as regiões que têm essa potencialidade”, declarou o prefeito.

Ele afirmou, ainda, que um dos maiores feitos da governadora foi trazer uma Superintendência da Codevasf para o Maranhão para que a companhia possa também tocar o desenvolvimento do Estado, através das potencialidades das regiões e dos municípios. “A apicultura é um desses meios que temos que explorar para desenvolver os municípios da Baixada e com isso promover o desenvolvimento da região”, completou o prefeito.

Auxílio na produção

As famílias beneficiadas receberam, ainda, outros equipamentos para auxiliar na produção, como alimentador de abelhas, tela excluidora de rainha, tela de transporte para colméia, bandeja de aço para melgueiras, garfo desorpeculador, balde em aço inox, cavalete, luvas de borracha, baldes para transporte de materiais, luva tipo vaqueta de couro, estrado modular e tambores metálicos.

A distribuição dos kits de apicultura é uma das ações que integra o eixo de inclusão produtiva do Plano Brasil sem Miséria e é executada, no Maranhão, pela Codevasf com recursos da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) do Ministério da Integração Nacional. Os kits foram entregues de acordo com a capacidade produtiva de cada apicultor beneficiado.

O primeiro kit é composto por 10 colmeias completas, 10 suportes, 2 EPIs, 10 kg cera alveolada, 01 carretilha, 01 formão e 01 fumigador. O segundo kit é composto por 20 colmeias completas, 20 suportes, 2 EPIs, 20 kg cera alveolada, 01 carretilha, 01 formão e 01 fumigador. E o terceiro kit contem 30 colmeias completas, 30 suportes, 2 EPIs, 30 kg cera alveolada, 01 carretilha, 02 formão e 01 fumigador.

O presidente da Federação Maranhense de Apicultura e Meliponicultura, Euler Gomes Tenório, disse que os kits vão ajudar no desenvolvimento da apicultura na área de abrangência da Codevasf, que inclui terra às margens dos rios Itapecuru e Mearim.

“O potencial do Maranhão é ímpar. Temos cinco biomas trabalhando dentro do estado. O Maranhão tem a capacidade de produzir o ano inteiro e isso é muito bom. Muitos apicultores que atuam no estado migraram de outros estados porque reconhecem o potencial do Maranhão e nós queremos que os apicultores do estado abracem essa atividade que é sustentável, não destrói nada e gera renda”, observou o presidente.

Para o apicultor José Maria Lima, do município de Zé Doca, o apoio do governo e da Codevasf é fundamental para o crescimento da produção. “Com a qualificação e os kits vamos produzir mais e melhor. Isso resulta também em mais qualidade de vida para as pessoas que trabalham nesta área e incentiva outras para entrar nesse negócio”, disse.

 

Fonte: Secom     

Agerp e Embrapa lançam em Arari nova variedade de arroz

DSC08927O Governo do Estado por meio da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão –  Agerp-MA  e  a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), realizaram nesta sexta e sábado (13 e 14), na Fazenda Mamão em Arari, evento para o lançamento da variedade de arroz BRSMA 357.

A cultivar de arroz foi desenvolvida especialmente para o Estado do Maranhão e tem base genética que reúne características importantes para o ambiente da Baixada, como o baixo porte, a alta produtividade, o fácil manejo e a possibilidade de cultivo em pequenas áreas, o que adequa a variedade ao segmento da agricultura familiar.

É voltada para pequenas áreas, facilitando o plantio dos agricultores familiares. Também poderão utilizar essa nova cultivar os produtores que plantam em terras baixas, várzeas úmidas ou irrigadas. A BRSMA 357 tem uma estimativa de produtividade de sete toneladas/hectare, bem acima do alcançado atualmente, que é de 5 a 6 toneladas.

Apresentação

Durante os dois dias de apresentação do arroz na Baixada produtores, agricultores familiares, estudantes, pesquisadores e visitantes visitaram o local onde é cultivada a variedade. Uma vitrine com cultivares BRSMA 357 plantadas em uma área de aproximadamente 1.000 m².

Além da visita às vitrines, os produtores também receberam informações técnicas de pesquisadores da Embrapa sobre a nova cultivar que, ajustada às condições da Baixada Maranhense, chega ao mercado com um ciclo de 140 dias entre a plantação e a colheita, prazo que cobre quase todo o período de chuvas na região.

Pesquisa

Para o presidente da Agerp, Jorge Fortes, é necessário que sejam fortalecidos os elos entre a Embrapa e Agerp. Com essa iniciativa todos ganham e juntos transformam a  realidade. “O estado do Maranhão está reerguendo essa força que é a pesquisa, o espaço que já ocupa e que agora, mais do que nunca, se fortalece”, disse Fortes.

Para que a pesquisa tivesse resultado positivo, o Governo do Estado disponibilizou recursos financeiros e pessoais por meio de convênio e cooperação técnica. “Este ano a Embrapa completa 40 anos e o lançamento desta cultivar é um dos eventos que planejamos para comemorar a data. Essa comemoração, porém, não teria graça sem a participação de nossos parceiros”, disse a diretora-executiva de Administração e Finanças da Embrapa, Vânia Castiglionni.

A diretora ressaltou os trabalhos das unidades da Empresa, as parcerias com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima) e com a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp-MA), que é vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes).

 

*Com informações da Assessoria da Embrapa.

Em parceria, Embrapa e Governo lançam nova cultivar de arroz no Maranhão

Foto 1 Sagrima entrega sementes BRS MA foto Handson ChagasApós anos de pesquisa, a Embrapa e o Governo do Estado lançaram, no sábado (14), a nova cultivar de arroz desenvolvida principalmente para a Baixada Maranhense, a BRS MA 357. O lançamento, que aconteceu durante a VII Abertura da Colheita de Arroz Irrigado, na Fazenda Mamão, em Arari, contou com a presença do secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima), Cláudio Azevedo, que fez a entrega simbólica de 100 toneladas de sementes da nova cultivar a produtores maranhenses, ação que integra o programa Viva Sementes, desenvolvido pela Sagrima.

Também participaram do evento a diretora de Administração e Finanças da Embrapa de Brasília, Vânia Castiglioni, o empresário Benedito Mendes, o diretor regional da Camil Alimentos, André Ziglia – ambos realizadores do evento, o superintendente da Codevasf do Maranhão, João Batista Martins, o deputado federal Carlos Brandão, o prefeito de Arari, Djalma Melo, o chefe geral da Embrapa Cocais, Valdemício Ferreira, além de produtores, empresários, pesquisadores e secretários municipais.

A cultivar BRS -MA 357 proporciona uma planta de baixo porte – que evita o acamamento, alta produtividade e fácil manejo, e ainda voltada para pequenas áreas, facilitando o plantio dos agricultores familiares.

Por meio do Programa Viva Sementes, a Sagrima já distribuiu, nas últimas 3 safras,  5.700 toneladas de sementes de arroz, milho e feijão e 5.146 quilos de sementes de hortaliças e frutas. Para a safra 2013/2014 o órgão estadual já deu início a distribuição de mais 1.447 toneladas de sementes de arroz e milho, além de 773 quilos de sementes de frutas e hortaliças. “Essas sementes que compramos da Embrapa são adaptadas às condições do solo e clima do Maranhão”, enfatizou o secretário Cláudio Azevedo.

Também poderão utilizar essa nova cultivar os produtores que plantam em terras baixas, várzeas úmidas ou sob regime de irrigação. A BRS MA 357 tem uma estimativa de produtividade de 7 toneladas/hectare, bem acima do alcançado atualmente, que é de 5 a 6 toneladas.

A diretora da Embrapa, Vânia Castiglioni, ressaltou que o convênio assinado entre o Governo do Maranhão e a Embrapa resultou nessa pesquisa. “No entanto, não adianta gerar tecnologia se não houver inovação tecnológica no campo e não fazer a diferença na sociedade. Essa distribuição de sementes pela Sagrima é importante porque leva essa tecnologia aos agricultores”, elogiou Vânia Castiglioni.

O agricultor de Arari, Francisco de Sales Fernandes, foi um dos 3 produtores que receberam, simbolicamente, as sementes da cultivar BRS MA 357. “Ontem (sexta-feira, 13) eu participei do Dia de Campo e o que mais me chamou atenção foi a resistência da planta do arroz ao acamamento, a produtividade e a qualidade do grão”, contou ele. “Já recebi sementes da Sagrima nas safras anteriores e as sementes são de boa qualidade e nos ajudam bastante”, complementou o agricultor.

O lançamento da nova variedade de arroz faz parte das comemorações dos 40 anos da Embrapa, e está sendo promovido por cinco unidades da Empresa, em parceria com algumas instituições maranhenses, como a Sagrima, Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes) e Agência de Pesquisa Agropecuária do Maranhão (Agerp).

Após o lançamento da nova variedade e da entrega simbólica das sementes, os participantes do evento foram até o campo e acompanharam a abertura da colheita na Fazenda Mamão.

 Dia de Campo

Também em parceria com alguns órgãos, no dia anterior ao lançamento da BRSMA 357 (13 de dezembro), a Embrapa promoveu um “Dia de Campo” em Arari, que teve o objetivo de levar produtores e visitantes para uma visita à Fazenda Mamão, onde há uma vitrine da nova cultivar plantadas em uma área de aproximadamente 1.000 m².

 

Presidente da Agerp visita comunidades rurais de São Luís

IMG_1125O presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (AGERP), Jorge Fortes, visitou nesta quinta-feira (12), acompanhado pelo engenheiro agrônomo Jesus Evilio, produtores rurais que são atendidos pela Agerp no Cinturão Verde e comunidades tais como:  Itapera, Cajupari  e Matinha – todas na Zona Rural de São Luís.

A visita teve como objetivo ver de perto as produções e como estão sendo executadas, além de observar quais são as necessidades que os produtores rurais apresentam.

Produção

As áreas, de aproximadamente 330 hectares, possuem 32 comunidades e uma associação em Cinturão Verde que conta com 80 produtores de agricultura familiar.

A produção nas comunidades é diversificada com hortaliças, verduras e legumes, como coentro, alface, rúcula, quiabo, maxixe e milho, além da criação de galinhas e porcos.

Esses produtos são vendidos por 23 pessoas nas feiras do João Paulo e Angelim e o lucro de cada vendedor é de até dois salários mínimos de acordo com o dia.

Presidente da Agerp recebe o novo gestor da Regional de Pinheiro

DSC08900O presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), Jorge Fortes, recebeu na tarde desta quarta-feira, (11), o gestor da Regional da Agerp em Pinheiro, Marcelo Henrique Martins Pereira, acompanhado do prefeito do município de Bequimão, José Martins e do superintendente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), João Batista Martins.

A visita teve como objetivo apresentar o termo de posse do novo gestor da Regional de Pinheiro, Marcelo Henrique Martins Pereira.

“É importante que o gestor que está tomando posse tenha conhecimento dos municípios situados na regional e esteja sintonizado com as políticas públicas em execução no Estado visto que facilitará a sua atuação e proporcionará maior eficiência aos resultados que a AGERP busca pra a Regional de Pinheiro”, disse Fortes.

Marcelo Henrique destacou o trabalho que executou com a Agerp antes de assumir o cargo e enfatizou as ações a serem tomadas.

“ Tive a oportunidade de trabalhar em parceria com a Agerp quando eu era gestor no Sebrae e estou nesse primeiro momento, conhecendo a estrutura nova da Agerp e conhecendo os convênios que estão sendo executados para poder montar o planejamento para 2014 e desenvolver as ações que ficaram pendentes”, declarou  Marcelo à respeito da posse.

O prefeito de Bequimão, Zé Martins, veio acompanhar juntamente com o superintendente da Codevasf, João Martins, o termo de posse de Marcelo e se mostrou satisfeito com a escolha do gestor.

“Viemos aqui acompanhá-lo e torcemos para que ele faça uma boa gestão na regional de Pinheiro e que possa dar continuidade ao trabalho desenvolvido pela Agerp na cidade”, declarou o prefeito.

 

Agerp participa de Mostra sobre Agricultura Familiar em Minas Gerais

IMG_1095O presidente da Agerp-MA, Jorge Fortes, acompanhado do coordenador de Assistência Técnica (Ater), Josenildo Cardoso e do gestor do Escritório da Agerp em Viana, Marlúcio Mendonça – participou nesta sexta, (06), em Belo Horizonte (MG) de reunião nacional da Associação Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer).

Na ocasião, Fortes participou também  em Belo Horizonte, das comemorações do Dia do Extensionista organizado pela Emater local e da festa em homenagem aos 65 anos da inauguração da ACAR -MG, (hoje Emater). O evento reuniu convidados de diversas regiões do pais, e  retratou  – numa Mostra da Extensão Rural na Cidade Administrativa -, registros importantes da extensão rural. O Maranhão foi destaque em cenas importantes da agricultura familiar.  O local contou ainda com 13 espaços institucionais, entre eles o do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

A sede oficial do governo de Minas Gerais teve 90 barracas com produtos de agricultores familiares de todas as regiões do estado. O evento foi realizado pela Emater-MG e pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, em parceria com a Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Asbraer).

Convidado, o diretor do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural (Dater) da Secretaria da Agricultura Familiar do MDA, Argileu Martins da Silva, falou sobre as perspectivas do Governo Federal sobre a Agência Nacional de Ater (Anater).

“Após quase duas décadas, o Governo Federal passa a ter uma entidade que vai organizar o serviço de Ater no País com foco no sistema público estatal. Há, também, um sistema não governamental muito forte”, avalia o diretor do Dater. “Nossa expectativa é ampliar a oferta de assistência técnica e extensão rural e melhorar a qualidade do serviço. Vão ganhar o estado brasileiro (governos federal, estadual e municipal) e o conjunto dos agricultores”, afirmou Argileu.

Texto: Leocândida Rocha

*Com informações do site da Secretaria do Desenvolvimento Familiar (MDA).

Agerp homenageia José Belarmino Sobrinho com mensagem póstuma

2013-12-04 16.16.35-1A AGERP  está de luto! Deus chamou para vós, hoje, (04), pela manhã – o nosso colaborador e colega de trabalho José Belarmino Sobrinho.

Belarmino, como era conhecido, tinha 57 anos e era natural do estado da Paraíba e atuou por vários anos como técnico agrícola da Agerp atendendo aos agricultores familiares do município de São Domingos do Maranhão.

Que ele descanse no Reino de Deus Pai!

Que a vossa luz brilhe aos seus olhos.

Homenagem da família AGERP.

Agerp e Embrapa realizam Fórum sobre babaçu em São Luís

DSC08879O presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp-MA), Jorge Fortes, participou nesta terça, (03), no Brisamar Hotel –  do III BabaçuTec –  evento realizado pela Embrapa Cocais com a diretoria de Transferência de Tecnologia da Embrapa e o Ministério do Desenvolvimento Agrário, voltado às quebradeiras de coco de todo o Estado.

Com o tema “A política de assistência técnica e extensão rural para a agricultura familiar do Maranhão, Jorge Fortes, destacou na ocasião, as ações da Agerp e a importância da assistência técnica a serem aplicadas na agricultura familiar.

“Existe no Maranhão atualmente, um grande número de instituições que trabalham com Assistência Técnica (Ater), e é necessário que a rede seja fortalecida enquanto instrumento de promoção da melhoria da qualidade de vida para os agricultores familiares”, afirmou Fortes, enquanto apresentava aos presentes projetos exitosos desenvolvidos ao longo deste ano pela Agerp.

Tecnologia

A terceira edição do BabaçuTec teve como tema “O babaçu no desenvolvimento da agricultura familiar do Maranhão”, e reuniu representantes dos governos Estadual e Federal e oito representantes de associações que exploram o babaçu.

“O Fórum BabaçuTec é realizado anualmente para se discutir temas de pesquisa e transferência de tecnologia e tem como público alvo as associações de quebradeiras de coco”, ressaltou o coordenador e pesquisador da Embrapa Cocais, Marcelo Cavallari.

De acordo com Cavallari, além das palestras ministradas pelos órgãos governamentais, serão ministradas ainda oficinas de trabalho para discutir prioridades, demandas e desafios no grupo das quebradeiras de coco. Além disso, novas formas de parcerias nesse segmento serão discutidas, na oportunidade.
“É fundamental a participação da Agerp, pois não se pode fazer trabalho sem ela”, disse ele, ao  destacar  parcerias  entre esta Agência  e  a Embrapa Cocais, com a realização de  programas como Horta do Maranhão, que envolve os municípios de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa, Programa Brasil Sem Miséria – que integra toda a região do Baixo Parnaíba, Capacitação de agentes multiplicadores  e  o programa Cultivar de Arroz a ser realizado na Baixada Maranhense, nos próximos dias.

 

Texto e fotos: Leocândida Rocha