Facebook Twitter Instagram

Apicultura é discutida na 1ª reunião da Câmara Setorial do mel

txtRepresentantes da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Sagrima) e criadores de abelha que integram a Câmara Setorial do mel, discutiram, em março, ações para o desenvolvimento das atividades relacionadas à apicultura no Maranhão, no Sindicato de Trabalhadores Rurais do município de Junco do Maranhão.

Na ocasião foram apresentados os novos membros governamentais da Comissão, que passa a ser composta por José Malheiros, coordenador de pesquisa da Agerp, Luís Coelho, da Sagrima, Silmara Sousa, da Secretaria de Agricultura Familiar (SAF) e Mario Lemos, da Aged.

Dentre as ações destacam-se a regularização da Federação Maranhense de Apicultura (FEMAMEL), aquisição de novos equipamentos para produção e distribuição do mel, regulamentação da apicultura migratória do Piauí no Maranhão e o georreferenciamento dos apiários do Estado que será realizado pela Agerp.

O georreferenciamento é uma tecnologia que identifica, com precisão, a propriedade, apiário, estrada, casa do mel, aguada, ou qualquer outro ponto desejado no globo terrestre através do GPS a partir de bases cartográficas e da identificação de latitude e longitude.

O objetivo deste programa é identificar e cadastrar os apiários, as residências dos apicultores, as unidades de beneficiamento do mel, as associações e cooperativas e trará como resultado a rastreabilidade do mel da região agregando mais valor a agricultura familiar.

MMA lança cadernos de educação ambiental e agricultura familiar

AC_796O Programa de Educação Ambiental e Agricultura Familiar (PEAAF), do Ministério do Meio Ambiente (MMA), ganhou novo material que traz o contexto, histórico, conceitos, estratégias pedagógicas da iniciativa, além de um guia metodológico das oficinas da iniciativa. Foram impressos 3 mil exemplares que servirão de subsídio para novas ações do MMA e também serão enviadas para estados prioritários onde o PEAAF já está funcionando e para parceiros do programa. As publicações também podem ser conferidas na página do MMA na internet (veja abaixo).

O primeiro caderno explica que o PEAAF é um programa de educação ambiental destinado ao público envolvido com a agricultura familiar. O objetivo é desenvolver ações educativas que busquem a construção coletiva de estratégias para o enfrentamento da problemática socioambiental rural. A publicação aborda os princípios e diretrizes do programa, o público-alvo, o processo educativo, as linhas de ação, articulações e parcerias e ações de monitoramento e avaliação.

Já o Caderno Conceitual do PEAAF aprofunda a proposta pedagógica do programa, abordando a questão histórica, as temáticas principais, estratégias para o desenvolvimento de processos formativos e educação a distância. A terceira publicação é o guia metodológico de oficina do PEAAF. O guia traz o passo a passo das oficinas e a elaboração do plano político pedagógico de educação ambiental na agricultura familiar, visando auxiliar gestores públicos e demais parceiros na realização das oficinas de planejamento do programa.

Links: Clique aqui para ter acesso aos cadernos

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

Agerp realizará assistência técnica para agricultores do Baixo Parnaíba

IMG-20150316-WA0005

Reunião com técnicos da Agerp no Baixo Parnaíba

A Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp) realizou, na última semana, reuniões estratégicas sobre políticas públicas nos municípios atendidos pelo “Plano Brasil sem Miséria”, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

O Plano agrega transferência de renda, acesso a serviços públicos nas áreas de educação, saúde, assistência social, saneamento, energia elétrica e inclusão. Para o desenvolvimento deste tipo de projeto, são estabelecidos critérios de concentração de pobreza, proximidade, acessibilidade, área e número de agricultores familiares.

A Chamada Pública, que iniciou nesta segunda-feira (23) abrange o planejamento, a execução e a avaliação de atividades individuais e coletivas para a inclusão produtiva, promoção da segurança alimentar e incremento da renda dos agricultores familiares do Maranhão.

Os agricultores familiares atendidos receberão orientações da equipe da Agerp sobre políticas públicas, além da assistência técnica e fomento, que serão entregues e aplicados de acordo com a aptidão de cada agricultor familiar. As famílias participantes do processo são aquelas que se encontram em situação de extrema pobreza (com renda mensal per capita de até 70 reais), no âmbito do Plano Brasil sem Miséria.

Quatro mil e cem agricultores familiares integram a Chamada Pública do Baixo Parnaíba, que será composta por duas fases. Na primeira etapa, que inclui os municípios de Chapadinha, Urbano Santos, São João do Rio Preto, São Bernardo, Santa Quitéria, Milagres do Maranhão, Brejo, Buriti e Mata Roma, serão realizados 2.800 atendimentos. Já na segunda, outros 1.300 agricultores familiares, moradores dos municípios de Água Doce do Maranhão, Santana do Maranhão, Magalhães de Almeida, Araioses e Tutóia, serão beneficiados. Todos receberão assistência técnica dos Governos Federal e Estadual.

A Agerp possibilita o acesso produtivo dessas famílias por meio dos programas federais como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), Garantia Safra, Programa de Garantia de Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Comitê Gestor do Garantia-Safra cria grupo de trabalho

downloadPara avaliar iniciativas que possam contribuir para a melhoria da convivência com o semiárido, o Comitê Gestor do Garantia-Safra criou um Grupo de Trabalho (GT). Nos encontros, serão debatidos temas como: a ampliação do controle social do benefício e o aumento da oferta de ações de capacitação e de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater).

O primeiro encontro está previsto para o dia 31 de março, quando será definido: coordenação, relatores e cronograma de trabalho.

O GT será composto por representantes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA); do Ministério do Desenvolvimento e Combate à Fome (MDS); da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag); do Conselho Monetário Nacional (CMN); da Defesa Civil; da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); da Casa Civil da Presidência da República; e dos governos dos estados do Ceará, Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Norte.

Garantia-Safra

O Garantia-Safra visa auxiliar agricultores familiares, que vivem em municípios do Nordeste e do semiárido brasileiro, sujeitos a perda de safra devido à seca ou ao excesso de chuva.

O benefício é pago com recursos do Fundo Garantia-Safra, composto por contribuições do agricultor, do município, do estado e da União.

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário

Agerp realiza capacitação de técnicos para atuação em Chamada Pública

fotooooooA Coordenadora de Chamada Pública de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), Solange Pinto, da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), ministrou nos dias 18 e 19 de março o curso de capacitação da equipe de técnicos da Agerp, para utilização do Sistema Informatizado de ATER (SIATER) do Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA) nas ações emergenciais da Chamada Pública de ATER que atenderá 4.100 famílias no Maranhão.

Para Solange Pinto esta formação é de extrema importância para qualificar o atendimento ao agricultor familiar. “A formação irá garantir o domínio dos técnicos da Agerp com o SIATER o que, além de agilizar o atendimento, envia automaticamente todos os dados ao MDA”, afirmou a coordenadora da Chamada Pública.

Além dos técnicos, participaram da capacitação o diretor e o coordenador de ATER, Pedro Pascoal e Artur Costa Soares Júnior e a coordenadora de Gestão da Informação Rural, Alessandra Lima de Araújo.

Chamada Pública

A Chamada Pública é uma seleção de entidades para prestação de serviços de ATER destinado a famílias em situação de extrema pobreza, no âmbito do Plano Brasil Sem Miséria (PBSM), compreendendo o planejamento, a execução e a avaliação de atividades individuais e coletivas, para garantir a inclusão produtiva, promoção da segurança alimentar e incremento da renda dos agricultores familiares. A Agerp venceu 03 (três) chamadas realizadas pelo MDA: Região do Baixo Parnaíba (para o atendimento a 4.100 famílias), Região dos Campos e Lagos (5.400 famílias) e a de Sustentabilidade (2.240 famílias) que abrangerá municípios das Regionais de Açailândia, Bacabal, Imperatriz, Santa Inês e Zé Doca.

Estado nomeia novos chefes dos escritórios regionais da Agerp

Sem títuloO governador Flávio Dino nomeou os novos chefes dos Escritórios Regionais da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp). As nomeações foram publicadas no diário oficial do estado.

A Agerp, vinculada à Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), é responsável pelo planejamento e execução das atividades de extensão rural, pesquisa agropecuária e assistência técnica continuada, socializando as novas tecnologias para diversificar o aumento da produção no setor agropecuário, e o apoio à produção agrícola, garantindo assim, a dignidade das famílias rurais que são atendidas através dos 19 escritórios regionais distribuídos pelo Maranhão.

Para o presidente da Agerp, Fortunato Macedo, com a reorganização das regionais será possível o desenvolvimento efetivo das ações da Agência em prol do Estado. “A assistência técnica e extensão rural têm um papel fundamental nesse novo momento que vive o Maranhão. E a Agerp, congregando todas as regionais, junto aos agricultores familiares, assentados e quilombolas, firmará de modo incontestável o seu papel como instituição voltada para o desenvolvimento rural, atuando como irradiador da assistência técnica para o Estado”.

Veja a lista:

1. HELDIANE ALVES ARANHA – Chefe de Escritório Regional Acailândia DANS-3

2. SOLANEIDE VIEIRA RESENDE – Chefe de Escritório Regional Bacabal DANS-3

3. ALDECY ANTÔNIO DOS SANTOS PEREIRA – Chefe de Escritório Regional Balsas DANS-3

4. ANTONIO JOSÉ XIMENES – Chefe de Escritório Regional Caxias DANS-3

5. GILVANILDO RAMOS DA SILVA – Chefe de Escritório Regional Chapadinha DANS-3

6. MARIA ROSEANE CHAGAS LOBO – Chefe de Escritório Regional Codó DANS-3

7. BENTO HUMBERTO FRANCONASCIMENTO – Chefe de Escritório Regional Imperatriz DANS-3

8. MUBARAKI ZAKI SANTOS TRABULSI – Chefe de Escritório Regional Itapecuru Mirim DANS-3

9. GEOVANE DE ARAÚJO DUARTE – Chefe de Escritório Regional Pedreiras DANS-3

10. ROGERIO BARROS TRINDADE – Chefe de Escritório Regional Rosário DANS-3

11. MARCIO FRANCISCO MENDES DOS SANTOS – Chefe de Escritório Regional Santa Inês DANS-3

12. EDNALDO DA SILVA QUIRINO – Chefe de Escritório Regional São João dos Patos DANS-3

13. AÉCIO FRANCISCO SANTOS BORGES – Chefe de Escritório Regional Timon DANS-3

14. ELTON BRITO EVERTON – Chefe de Escritório Regional Viana DANS-3

15. JOSÉ RAIMUNDO MENDONÇA – Chefe de Escritório Regional Zé Doca DANS

Os chefes dos escritórios regionais de Barra do Corda, Pinheiro, Presidente Dutra e São Luís não constam nesta lista.

 

Agerp e SAF visitam comunidade quilombola produtora de farinha em Santa Rita

Representantes da Agerp e da Secretaria de Agricultura Familiar (SAF) visitaram no município de Santa Rita, Região Metropolitana de São Luís, os trabalhadores da comunidade quilombola Jequiri, área rural do município, que tem como atividade principal a produção da farinha com o intuito de estabelecer medidas para beneficiar os agricultores familiares e atender as reivindicações antigas dos trabalhadores do campo.

Na ocasião, os trabalhadores das 145 famílias que ocupam a comunidade, relataram as dificuldades que enfrentam desde o plantio da mandioca até chegada do produto final ao consumidor. Problemas como falta de irrigação, de fornos para torrar a farinha, de selo com certificação e embalagem.

IMAGEM SITE

As casas de forno, além de precárias, feitas de palha e taipa, são insuficientes para atender toda a demanda da região. Existem apenas oito casas para torrar a farinha dos agricultores de Jequiri e de outras comunidades próximas. “Estamos produzindo seis toneladas por hectare de mandioca, mas a capacidade é produzir 30”, ressaltou o agricultor João Ferreira Mendes.

Os agricultores ressaltaram a importância da visita dos representantes do Estado no município, visto como um novo momento, como ressaltou disse o pequeno produtor Raimundo José. “Antes tínhamos que ir atrás do governo para nos ajudar, agora mudou. É o Estado que vem nos procurar para ouvir o que temos a dizer. Isso é novidade, muito bom para nós”.

Também participaram da visita, o prefeito de Santa Rita, Tim Ribeiro; e dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santa Rita.

Agerp realiza campanha de valorização às servidoras em homenagem ao dia Internacional da Mulher

DSC02980

Presidente Fortunato Macedo com servidoras da Agerp

A Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp) está promovendo, durante este mês de março, uma campanha de valorização às servidoras em comemoração ao dia Internacional da Mulher.  A programação desenvolvida pela Agerp iniciou na sexta-feira (08), com uma tarde de beleza oferecida por uma famosa linha de cosméticos que incluiu limpeza e orientações sobre o cuidado com a pele e maquiagem das servidoras.

Já nesta segunda-feira (09), foi realizado um momento de integração com todos os funcionários, no qual foram feitas homenagens às mulheres através de poemas, cartões e uma fala especial do presidente Fortunato Macedo: “Desejamos que as mulheres sejam fortes para superar todos os desafios e inteligentes para adquirir o conhecimento que tais desafios proporcionam, tornando-se cada vez mais sábias”, destacou o presidente.

A programação em homenagem às mulheres será encerrada com uma palestra realizada pela Secretaria Estadual da Mulher (SEMU) com o tema “Violência contra a mulher à luz da lei Maria da Penha” que propõe esclarecer as especificidades da lei e em quais casos ela se aplica ou não.

100_2759 DSC02952

Agerp integra comissão para elaborar plano de desenvolvimento da agricultura na Grande Ilha

imagesO diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural, Pedro Pascoal, representou a Agerp em reunião no Palácio de La Roque, no Calhau, com o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares e representantes dos municípios de Raposa, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e São Luís para criação da comissão de elaboração do Plano de Desenvolvimento da Agricultura Familiar na Grande São Luís.

Foram discutidas as prioridades, estratégias e os desafios para uma intervenção efetiva e eficaz do poder público para o setor, a médio e longo prazo, com base em visitas que já foram realizadas em vários projetos agrícolas de comunidades rurais da região metropolitana de São Luís.

Durante a reunião, para tratar sobre as metas e avanços da agricultura e definir a construção do plano, foram nomeados para integrar a comissão: os representantes da e da Agerp, Artur Costa Soares Júnior e Abderval Pinto Bandeira Júnior, além de representantes da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento de São Luís (Semapa), dos secretários Rosany Aranha (Paço do Lumiar); Alonso de Jesus (Raposa); Isaac de Holanda (São José de Ribamar); e dos técnicos da SAF, Estevão Macedo e Josenildo Cardoso;

O secretário de Agricultura de São José de Ribamar, Isaac de Holanda, demonstrou a preocupação com a posse e uso da terra, devido aos avanços das ocupações desordenados das áreas agricultáveis.  Segundo ele, os agricultores estão produzindo em pequenas áreas.

Raposa e Paço do Lumiar apresentaram projetos que conseguiram implantar em suas áreas rurais e se comprometeram em colaborar com a criação do plano metropolitano. Os representantes dos municípios defenderam o fortalecimento do agricultor da Ilha para enfrentar a concorrência com os produtos que vêm de outros estados.