Facebook Twitter Instagram

Agerp promove reunião de nivelamento sobre ‘Mais IDH’

IMG-20150727-WA0044A Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), órgão vinculado a Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), realizou na última sexta-feira (24), no auditório da instituição, reunião de nivelamento para efetivação das metas e estratégias do plano “Mais IDH”, com a presença dos gestores das 19 regionais coordenadas pela Agerp.

Além do presidente, Fortunato Macedo e membros da diretoria da entidade, participaram da reunião o secretário de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Adelmo Soares, o secretário-adjunto de Comercialização e Organização Produtiva, Francisco Salles, o superintendente de Organização Produtiva, Josenildo Cardoso; a secretária-adjunta de promoção do IDH da Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), Aracea Carvalho; a representante do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (IMESC) Talita Sousa e o representante da Embrapa-Cocais, Carlos Vitoriano.

 A pauta do encontro incluiu a apresentação de alguns dos principais programas e ações desenvolvidos entre as secretarias e órgãos da estrutura governamental, reafirmando o compromisso das entidades com os municípios de menor IDH no Maranhão, contemplados incialmente pelo projeto, que inclui ações nas áreas da Saúde, Educação, Desenvolvimento Social e Agricultura.

De acordo com o presidente da Agerp, Fortunato Macedo o alinhamento entre a equipe é essencial para a execução de um bom trabalho. “A realização de encontros como esse é fundamental para a ampliação do debate e entendimento da lógica de mudança proposta pelo governo com os nossos gestores e toda equipe técnica, os responsáveis por oferecer aos homem do campo um serviço de assistência técnica e extensão rural satisfatório”, afirmou.

Na ocasião, o secretário Adelmo Soares destacou a participação do poder municipal como um dos fatores preponderantes no processo de mudança para a agricultura familiar, a partir do nivelamento político e alinhamento técnico. “Neste momento a política não está em primeiro plano, devemos estreitar a relação com o poder municipal, para que a agricultura familiar saia da informalidade, gere números para o Estado e consiga levar melhorias para o pequeno agricultor”, disse.

 O secretário afirmou ainda que a Agerp, por meio das regionais e do trabalho atuante dos gestores no ‘Mais IDH’, será um facilitador para a efetivação dos projetos. “O ‘Mais IDH’ deve ser tomado como meta pessoal por todos nós. Cada gestor e técnico que atuam nos municípios devem ficar cientes do papel dentro do processo de mudança proposto pelo governo. Temos a maior chance de transformar a realidade do nosso Estado, vamos construir o “Mais IDH” e dizer lá na frente que fizemos parte dessa história”, frisou.

 A secretária-adjunta de promoção do IDH da secretaria de estado de direitos humanos e participação popular (SEDIHPOP), Aracea Carvalho, defendeu a integralidade como fator preponderante na efetivação das metas do governo, apresentando para os 19 gestores as diretrizes do plano. “O “Mais IDH” é o garantidor de políticas públicas, um investimento social e humano do Estado, uma resposta ao povo maranhense que tanto esperou por assistência. E a realização deste projeto só será possível com a troca de experiências, com o trabalho de diversos órgãos, incluindo o sistema de agricultura familiar”, afirmou.

 Encerrando as atividades no encontro, Talita Sousa (IMESC), apresentou o Altas do “Mais IDH”, com os indicadores fornecidos pelo instituto, que serão utilizados como base para pensar estrategicamente a geração de renda nos 30 municípios do Mais IDH. Por fim, Carlos Vitoriano (Embrapa Cocais), explicou sobre os Sistemas Integrados de Tecnologias Sociais (Sistecs), versão adaptada para o Maranhão do ‘Sisteminha’, projeto já existente no Piauí. O Sistecs irá garantir a transferência de tecnologias para a execução de projetos voltados para a produção de alimentos por meio de pequenos sistemas como criatórios de peixes, criação de aves e cultivo de frutas e hortaliças.

Técnicos da regional Codó expõem produtos biofortificados na 20ª ExpoFran

IMG-20150713-WA0049Foi encerrada na noite do último domingo (19), a 20ª edição da Exposição Agropecuária de Porto Franco – ExpoFran, feira promovida em parceria com a Prefeitura Municipal e a Associação dos Produtores Rurais de Porto Franco – Aprofran, realizada no Parque Alfredo Santos.

A Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp/MA), uma das instituições representantes do Governo no evento, apresentou durante a semana da feira, algumas das ações que desenvolve em todo o Estado por meio de seus 19 escritórios regionais.

No estande da entidade, técnicos da regional de Codó trouxeram para os pequenos agricultores do município e público presente, exemplos de alimentos básicos para a saúde com até vinte vezes mais vitaminas e minerais, os produtos biofortificados, que incluíam as culturas de milho, feijão-caupi e batata-doce.

A biofortificação, conduzida pela Embrapa no Brasil, é realizada através de melhoramento de plantas da mesma espécie, em um cultivo de melhor qualidade, manipulado em laboratório, sem utilização de transgênicos (material geneticamente modificado), que sofrem processo de repetidos cruzamentos e seleção de sementes mais ricas, gerando cultivares mais nutritivas, com maiores teores de ferro, zinco e vitamina A, com foco voltado para os alimentos presentes na dieta da população.

O cultivar enriquecido pode representar nova opção de renda para agricultores familiares do Maranhão, como explica o técnico, Ednaldo Gonçalves. “Trabalhamos em parceria com a Embrapa Meio Norte, nesse projeto que vai auxiliar no combate a pobreza, com melhora na alimentação do pequeno produtor rural, assim como na renda dessas famílias e garantir maior produtividade, por ser um produto diferenciado para o mercado”, afirmou o técnico.

IMG-20150713-WA0047

A batata doce biofortificada foi um dos produtos que mais chamou atenção do público, pela coloração alaranjada, em decorrência dos altos índices de vitamina A e casca vermelho-arroxeada de superfície lisa. O estudante Filipe Micael, de 17 anos, por saber de todos os benefícios da cultivar, decidiu levar algumas sementes para casa. “A batata tem um gosto diferente da que já conhecemos e é bastante saborosa. Como a equipe técnica explicou é rica em vitamina A, traz benefícios para a visão, combate a desnutrição, então vou plantar na horta de casa”, disse.

Aos interessados no trabalho com os produtos biofortificados, o representante da regional de Codó, Ednaldo Gonçalves, explica que as sementes e ramas dos produtos para os agricultores familiares, são disponibilizadas na sede da Agerp-Codó, que recebem ainda assistência técnica. “Além de ceder às sementes, damos orientação técnica, levando uma equipe até as comunidades e ensinamos desde o plantio até a orientação para o trato e manejo das culturas. Já distribuímos sementes para sete comunidades no município, até então, verificamos que a aceitação e multiplicação das cultivares é bastante satisfatória”, relatou Ednaldo Gonçalves.

Governo apoia projeto de agricultura com acessibilidade para cadeirantes na 20ª edição da ExpoFRAN

HORTA DA ACESSIBILIDADEO Governo do Estado, por meio da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural – Agerp, participa da 20ª edição da Exposição Agropecuária de Porto Franco – EXPOFRAN, feira  realizada em parceria com a Prefeitura Municipal e a Associação dos Produtores Rurais de Porto Franco – APROFRAN,   que teve início no último sábado (11)  e que segue até domingo (19), no Parque de Exposição Alfredo Santos.

Entre os destaques está o projeto ”Horta da acessibilidade”, promovido pela equipe técnica da Agerp, Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Produção e Meio Ambiente de Porto Franco (SAAPROMA) e Associação Pestalozzi, que criaram um modelo de canteiro adaptado para permitir que os cadeirantes tenham acesso e cuidem da própria horta, possibilitando a ampliação da ideia de agricultura familiar em pequenos espaços, aumento na renda do pequeno produtor e acessibilidade.

O técnico agropecuário da Agerp, Delcimar Alves, explica que o modelo de horta proposto pode ser utilizado tanto pelo pequeno agricultor com maior mobilidade, como pelos deficientes físicos. “O uso das hortas em pequenos espaços, na zona urbana e na zona rural, é uma projeto viável e rentável, agregando todo cidadão produtor, com foco na participação dos cadeirantes, mostrando que eles também podem desempenhar o trabalho com autonomia na agricultura familiar”, frisou o técnico.

73

O presidente da Agerp, Fortunato Macedo, destacou a importância da Expofran no calendário do agronegócio do Estado e a participação da Agerp no evento. “O governo mais uma vez comprova a nossa preocupação em garantir a assistência técnica e extensão rural para o homem do campo ao participar da 20ª Exprofran, que se consolida como uma das maiores feiras de exposição agropecuária do Maranhão, que incentiva o agronegócio e o fortalecimento da agricultura familiar”, afirmou.

Ana Cláudia Parreão, bióloga e funcionária da Secretaria de Agricultura local, afirma que a produção em hortas de pequenos espaços também pode contribuir para um reforço na rendar familiar do pequeno agricultor e exemplifica sua afirmativa com cálculos: “Nossa equipe tentou trazer exemplos de horta familiar, onde o produtor, seguindo o modelo montado em área de  70m², pode arrecadar mensalmente cerca de R$ 800, assim como uma qualidade na alimentação, aumento da produção e mudança da realidade dos pequenos produtores no município”, disse.

A equipe técnica cultivou sementes de alface, couve, tomate cereja, abobrinha, cebolinha, maxixe, pimentão, entre outras culturas.  A programação prevista inclui ainda cursos sobre piscicultura, horticultura, e construção de cerca elétrica, além de palestras sobre o uso de energia solar na atividade agropecuária, Projeto Balde Cheio na região, a importância das análises físico-química e microbiológica do leite e controle de mastite bovina.

O Governo do estado conta ainda com a presença das secretarias de Agricultura Familiar (SAF), Agricultura e Pecuária e Abastecimento (SAGRIMA), Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (ITERMA) e Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged), reunidos no “Espaço de Todos Nós”.

 

20ª edição da ExpoFran tem início com Cavalgada

Foi aberta no sábado (11) e segue até dia 19 com extensa programação, no Parque de Exposições Alfredo Santos, a 20ª Exposição Agropecuária de Porto Franco (Expofran), marcada com a realização de mais uma Cavalgada, com o desfile de diversas comitivas que percorreram as ruas e avenidas da cidade.

Integraram a comissão de frente da Cavalgada: o prefeito do município de Porto Franco, Aderson Marinho, o vice-prefeito e presidente da Agência Estadual de pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp-MA), Fortunato Macedo, o deputado federal, Deoclides Macedo e a deputada estadual, Valéria Macedo, juntamente com o presidente da Associação dos Produtores Rurais de Porto Franco (APROFRAN), Itamar Miranda.

O Governo do estado participa da ExpoFran representado pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp) órgão vinculado à Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), pela Secretaria de Agricultura e Pecuária e Abastecimento (SAGRIMA), Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (ITERMA) e Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged), reunidos no “Espaço de Todos Nós”.

Durante a exposição serão realizados cursos, palestras, torneio leiteiro, leilões, financiamentos e shows.

A edição da Expofran 2015 é, também, evento comemorativo dos 20 anos da feira que movimenta milhões de reais com a realização de negócios e oportunidade de emprego e geração de renda, além de incentivar o agronegócio e o fortalecimento da agricultura familiar no município de Porto Franco e na região.

 

 

 

 

Parceria entre Governo e Embrapa vai incentivar produção de alimentos

DSC05668

ASSINATURA DO TERMO DE COOPERAÇÃO AGERP, SAF E EMBRAPA.

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF) e da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), assinou Termo de Cooperação Técnica com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para instalação dos Sistemas Integrados de Tecnologias Sociais (Sistecs) nos municípios atendidos pelo Plano “Mais IDH”. A solenidade ocorreu no auditório da Embrapa, nesta terça-feira (7), em São Luís.

A parceria garante a transferência de tecnologias para a execução de projetos voltados para a produção de alimentos por meio de pequenos sistemas como criatórios de peixes, criação de aves e cultivo de frutas e hortaliças. Beneficiará, inicialmente, três mil famílias de agricultores nos 30 municípios maranhenses com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

O presidente da Agerp, Fortunato Macedo, destacou a importância de fortalecer as ações do governo do estado, estabelecendo parcerias que contribuem com a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos  maranhenses. “Com a parceria os técnicos da Agerp e SAF estarão mais preparados para oferecer uma assistência técnica de qualidade, quanto à implantação e manutenção dos SISTECs, garantindo o desenvolvimento econômico dos agricultores familiares”, disse.

Para o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, por meio dos Sistecs, a segurança alimentar e nutricional do agricultor irá melhorar e sua renda será elevada, pois o excedente da produção pode ser vendido, mas, para isso, é necessário que profissionais capacitados transfiram conhecimentos aos agricultores. “O Governo Flávio Dino está levando a certeza de um futuro melhor às pessoas que moram no campo, por meio desses sistemas, com técnicos capacitados para atuar nos projetos. Com isso, vamos avançar no desenvolvimento do Maranhão e no combate à fome incentivando a geração de renda”, ressaltou o secretário.

Segundo o chefe-geral da Embrapa Cocais, Valdemício Ferreira, independentemente do nível de conhecimento do agricultor, só é possível mudar a realidade se for levada tecnologia ao campo, com atividades de combate à pobreza. De acordo com o presidente da Agerp, Fortunato Macedo, o combate à fome e à pobreza no campo ganhará forças a partir da implantação do Sistecs. “Permitirá que pequenos produtores das regiões produzam mais alimentos e elevem a suas rendas”.

Também presentes ao evento os secretários de Estado da Mulher, Laurinda Pinto, e de Trabalho, Julião Amin; o secretário-adjunto da Agricultura Familiar, Francisco Sales; o presidente do Instituto de Agronegócios do Maranhão (Inagro), José de Jesus Ataíde; o presidente do Instituto de Colonização e Terras (Iterma), Mauro Jorge; a secretária-adjunta da Mulher, Susan Lucena, além de representantes do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Federação de Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Maranhão (Fetaema) e da Associação das Comunidades Negras Rurais e Quilombolas do Maranhão (Aconeruq).