Facebook Twitter Instagram

Governo garante assistência técnica aos agricultores familiares do ‘Tabuleiros de São Bernardo’

Julio viista tabuleiros

Sistema de Agricultura Familiar (SAF, Agerp, Iterma), Sagrima, Seme e Dnocs se reúnem com irrigantes do Tabuleiros de São Bernardo

O Sistema de Agricultura Familiar, composto pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma) e Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), visitou nesta quarta-feira, 30, o perímetro irrigado ‘Tabuleiros de São Bernardo’, em Magalhães de Almeida, para dar continuidade às atividades de revitalização do projeto.

Criado há 30 anos com o objetivo de gerar produção de fruticultura irrigada, tirar famílias da pobreza e combater a seca, o projeto ‘Tabuleiros de São Bernardo’, executado pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), será retomado após assinatura de um acordo de cooperação técnica entre o Estado e o Dnocs para alavancar a produção agrícola no Maranhão.

“Após tantos anos sem a assistência necessária, os irrigantes do Tabuleiro de São Bernardo esperam deste governo a ação concreta que vai ajudá-los crescer e contribuir com o desenvolvimento do estado, diminuindo nossas importações de frutas, verduras e hortaliças. Com a visita técnica e o diálogo com os produtores, poderemos agir de forma ainda mais precisa na reativação do projeto, com a celeridade determinada pelo governador Flávio Dino”, destacou o secretário de Agricutlura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Márcio Honaiser.

O presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, acompanhou a visita ao local e reuniu com a equipe do Governo, Dnocs e irrigantes, e dialogou com os presentes ressaltando a importância do projeto para a agricultura familiar e garantiu Assistência técnica (Ater) para as famílias de produtores.

“O Governo vai levar ações para revitalizar o Tabuleiros e a Agerp colaborará na gestão levando Assistência técnica (Ater) e conhecimento às famílias dos agricultores familiares, pois sabemos que a Ater é fundamental para o desenvolvimento da agricultura familiar”, disse o presidente Júlio César Mendonça.

Tabuleiros

Equipe do Sistema de Agricultura Familiar (SAF, Agerp, Iterma) visita Tabuleiros de São Bernardo

São 78 famílias associadas e beneficiadas pelo ‘Tabuleiros de São Bernardo’ que utilizam pouco mais de 327 hectares – da área total de 11 mil hectares – para a produção de banana, melancia, coco, limão, tangerina, laranja, mamão, goiaba e caju. A primeira fase de revitalização do projeto planeja ampliar para 5 mil hectares para a produção de fruticultura irrigada, com a mescla de agricultura familiar e empresarial.

O superintendente de Reordenamento Agrário da Secretaria de Agricultura Familiar, Valdinar Barros, disse que a SAF reafirma o compromisso com o agricultor familiar em resgatar um projeto importante pela diversidade de produção. “O governador Flávio Dino defende o desenvolvimento do Maranhão por meio da produção, e com a retomada do ‘Tabuleiros’ estamos trazendo de volta a esperança aos irrigantes e vamos integrar ações para levar políticas públicas, principalmente, assistência técnica, para as famílias que tiram da terra o sustento ”, destacou o superintendente Valdinar Barros.

Além do Sistema, estiveram presentes representantes do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), o secretário de Agricutlura, Pecuária e Pesca (Sagrima), Márcio Honaiser, o secretário adjunto de Minas e Energia (Seme), Francisco Fraga, lideranças políticas da região e agricultores familiares irrigantes.

 

Fonte: Agerp    Texto: Samara Andrade   Data: 31/03/2016 

Municípios têm até sexta-feira (01) para solicitar vistoria que assegura o recebimento do auxílio Garantia-safra

Os municípios maranhenses inscritos no Programa ‘Garantia Safra’ 2015/2016, que estão em estado de emergência e sujeitos a perdas de 50% da lavoura ocasionada pela seca ou ao excesso de chuvas, têm até sexta-feira (01) para solicitar vistoria de apuração dos percentuais dos danos e indicar técnicos vistoriadores para preenchimento de laudos que irão atestar o auxílio do programa Garanta Safra para às famílias no campo.

O Governo do Estado, por meio da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), promoveu no último dia 24, em Codó, uma capacitação com os municípios inscritos, para esclarecer sobre os procedimentos do Garantia Safra, incluindo prazos, perdas e a importância do apoio municipal para assegurar que o recurso chegue ao agricultor familiar.

FOTO 1  Capacitação realizada em Codó com representantes municipais e equipe técnica da Agerp

Foto: Divulgação

O pedido de vistoria e o preenchimento dos laudos são tarefas de responsabilidade dos municípios, que indicam um técnico vistoriador para emitir os laudos por meio do sistema eletrônico do Seguro da Agricultura Familiar (SEAF) do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Para a safra de 2015/2016 foram 8.759 adesões, distribuídas em 21 municípios no Estado.

O presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, destaca o compromisso do órgão em promover o Programa Garantia-Safra no Maranhão e a importância do benefício. “Os agricultores familiares que estão vulneráveis ao período de estiagem ou excesso hídrico, podem contar com mais esta política pública que garante subsídios às famílias rurais. Ciente deste papel mobilizador, a Agerp tem buscado, juntamente com os municípios, levar este benefício ao maior número de famílias, fortalecendo a parceria institucional em prol do homem do campo”.

De acordo com o cronograma de implantação do Programa, o Maranhão está dividido em duas regiões, a primeira com calendário de plantio entre novembro e dezembro e a segunda no período entre dezembro e janeiro. O seguro prevê um benefício de R$ 850, pagos em cinco parcelas de R$170, que serão depositados na conta do agricultor cadastrado. O benefício do Garantia-Safra é pago com recursos do Fundo Garantia-Safra, composto por contribuições do agricultor, do município, Estado e da União.

Para receber o benefício do Garantia Safra, após avaliação da perda de 50% ou mais da lavoura de feijão, milho, arroz e mandioca por excesso de chuvas ou seca, é necessário que o agricultor familiar não possua renda familiar mensal superior a um salário mínimo e meio, excluindo-se a aposentadoria rural, e ainda, aderir ao Programa antes do plantio das culturas.

Mais de 120 mil agricultores foram beneficiados com projetos implantados pelo Governo

imagens_20102015955500

Divulgação

Após décadas marcadas pelo estigma do atraso e da pobreza, o Maranhão já deu grandes passos para mudar sua realidade e imagem desgastadas dentro do Brasil. Parte das conquistas vem do trabalho realizado pelo Sistema SAF, que já conseguiu beneficiar mais de 120 mil agricultores com as políticas públicas direcionadas ao setor.

Coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura Familiar, o Sistema SAF, também composto pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp) e pelo Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma), atua em frentes articuladas e integradas.

São ações de acesso à terra, assistência técnica e extensão rural de qualidade e continuada, comercialização com o programa ‘Mais Feiras da Agricultura Familiar’, capacitação com as Feiras de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão (Agritecs), estímulo das cadeias produtivas, incentivos para acesso ao Programa Nacional de Crédito Fundiário e ações articuladas para reforço no Plano de Ações ‘Mais IDH’ com a implantação dos Sistemas Integrados de Tecnologias Sociais – Sistecs.

O Iterma, no primeiro ano de gestão, desenvolveu atividades de regularização fundiária beneficiando 3.558 famílias, em 36 municípios, com a emissão de 957 títulos, sendo 922 títulos individuais e 35 comunitários. Já a Agerp prestou assistência técnica a 81.592 agricultores familiares, com emissão de 35.858 Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAP’s) homologadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA); elaborou e acompanhou 9.685 projetos do PRONAF; distribuiu 323.000 kg de feijão da variedade Guariba e implantou 17 experimentos com feijão-caupi inoculado.

“Nós acreditamos no Maranhão, nas suas potencialidades e riquezas, e essas riquezas podem levar justiça e mais igualdade para todos. É para isso que precisamos fazer a mudança: para que o governo e as riquezas do Estado deixem de ser de poucos e passem a estar a serviço de todos. A criação da SAF, para investir na produção, é parte desse projeto”, enfatizou Flávio Dino.

AGRITEC

Uma das grandes realizações do Sistema foram as quatro Feiras de Agricultura Familiar e Agrotecnologia (Agritec’s) nos municípios de São Bento, Açailândia, Caxias e Bacabal com 4.340 agricultores capacitados e a geração de R$ 2,5 milhões em negócios. Além disso, houve a comercialização de R$536 mil de produtos oriundos da agricultura familiar e atraiu aproximadamente 70 mil visitantes.

A Feira é uma iniciativa do Sistema de Agricultura Familiar em parceria com Embrapa, Sebrae, prefeituras municipais e movimentos sociais (MST, Miqcb, Aconeruq, Fetaema, Fetraf) que tem o objetivo de garantir o acesso do agricultor familiar ao conhecimento e a novas tecnologias simples e de baixo custo para melhorar sua produção e, assim, gerar renda e desenvolver a agricultura no território.

Durante as Agritecs os agricultores assinaram contratos com instituições financeiras, na ordem de R$ 2.034.734,00, com foco no ‘PRONAF MAIS ALIMENTOS’, programa que concede créditos de investimento destinados a promover o aumento da produção e da produtividade e a redução dos custos de produção, visando à elevação da renda da família produtora rural.

Em 2016, a expectativa é que o evento receba aproximadamente 300 mil pessoas distribuídas em cinco territórios, são eles: Codó (Território Cocais), Grajaú (Pré Território do Médio Serão), Zé Doca (Território Alto Turi e Gurupi), Viana (Território Campos e Lagos) e Chapadinha (Território Baixo Parnaíba).

KGÊ_Lancamento-da-edição-2016-das-Agritecs-e-Programa-Mais-Feiras-d-Agricultura-Familia-59

Divulgação

Plano Mais IDH

O Plano de Ações ‘Mais IDH’, lançado pelo governador Flávio Dino, tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida de pessoas, que vivem em situação de extrema pobreza, para isso, neste primeiro momento, estão sendo levados para os 30 municípios com os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do estado ações de saúde, acesso a documentação, entre outros serviços prestados pelas diversas secretarias participantes que também estão fazendo o levantamento das necessidades de cada cidade.

Com o ‘Plano Mais IDH’, os técnicos do Sistema SAF, que levam assistência técnica e extensão rural qualificada e continuada para famílias dos 30 municípios mais pobres do Estado, já cadastraram 3 mil famílias e instalaram 1.716 Sistemas Integrados de Tecnologias (Sistecs) e mais 600 Sisteminhas.

O Sisteminha foi produzido pela Embrapa e consiste na criação de peixes, aves, húmus e na produção de hortaliças e frutas. As ações na área da produção incluem, ainda, fomento no valor de R$ 2.700 para produção através dos Sistecs, cuja primeira parcela já foi entregue a 2.120 famílias pelo Governo do Maranhão e 723 famílias receberam a segunda parcela.

Este ano, o número de famílias atendidas pelos técnicos do plano ‘Mais IDH’, será aumentado com a parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) que irá ampliar para mais 6 mil famílias esse atendimento.

“Me sinto feliz e orgulhoso com o trabalho que está sendo realizado. É um trabalho feito com muito amor e dedicação e nós vemos a importância do Plano quando olhamos o brilho nos olhos de cada pessoa beneficiada e que acreditam que agora são capazes de superar a fome e a miséria”, afirmou o secretário Adelmo Soares.

Foto1_Divulgação_290216-Entrega-de-kits-da-Feira-de-Agricultura-Familiar-136581

Divulgação

Mais Feira da Agricultura Familiar

A Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) beneficiará 15.498 mil agricultores dos 30 municípios do ‘Mais IDH’ e de 19 municípios que sediam as regionais da Agerp com a entrega de kits de feiras, no âmbito dos programas ‘Mais Renda’ e ‘Mais Produção’. O kit feira é composto por: barracas, balanças, caixas plásticas, gaiolas, caixas de isopor, pallete, jalecos, bonés, camisas, além de seminários e cursos sobre comercialização.

“Além das regionais, o programa será levado para os 30 municípios do Plano ‘Mais IDH’. É a Agerp e o ‘Mais IDH’ levando conhecimento e produção às famílias e o ‘Mais Feiras’ inserindo esses agricultores no mercado”, ressaltou o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça.

Outro programa relacionado à comercialização coordenado pela SAF é o Programa de Aquisição de Alimentos – PAA. O recurso aplicado até setembro de 2015 foi da ordem de aproximadamente R$ 9 milhões, contribuindo para a produção de 3.504 agricultores. Só no início de 2016, nove novos municípios do Maranhão aderiram ao Programa e estão inicializando a comercialização. O recurso aplicado nessas localidades soma R$ 1.703.610,55, beneficiando 403 agricultores familiares.

Segundo o superintendente de Reordenamento Agrário da SAF, Valdinar Barros, a SAF vem trabalhando fortemente para melhorar a vida do produtor rural. Em 2015, o Governo do Estado conseguiu destravar o Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) no Maranhão, e liberou recursos na ordem de R$ 11.781.232,55 para execução de Subprojetos de Investimentos Comunitários (SIC), que visa dar condições de infraestrutura básica e produtiva das associações de trabalhadores rurais. Os recursos liberados do SIC estão beneficiando 127 associações de produtores rurais, atendendo cerca de 2.630 mil famílias de 41 municípios.

Fonte: SAF     23/03/2016

Governo realiza capacitação sobre o Programa Garantia Safra 2015/2016

A Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF), em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), realizou nesta terça-feira (22), em Chapadinha, a primeira capacitação sobre o Programa Garantia Safra 2015/2016. A capacitação tem como objetivo nivelar o conhecimento de todos os atores envolvidos no Programa e dar procedimentos de operacionalização de todas as etapas do Garantia Safra, especialmente nos de verificação de perdas.

Foto 1_Divulgação_Agerp_22-03-2016 - Governo do Estado realiza capacitação sobre o Programa Garantia Safra 2015 2016

Governo do Estado realiza capacitação sobre o Programa Garantia Safra 2015 2016

Representantes da Agerp, de Sindicatos de Trabalhadores Rurais, Prefeituras e Secretarias Municipais de Agricultura de oito municípios das regiões do Baixo Parnaíba e Vale do Itapecuru participaram da capacitação.

O Garantia Safra é uma ação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) voltada para os agricultores familiares da Região Nordeste, uma parte de Minas Gerais e do Espírito Santo – áreas de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), que sofrem perda de safra por motivo de seca ou excesso de chuvas.

De acordo com o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Agerp, Pedro Pascoal, a Agência coordena todas as etapas do Programa no Maranhão e defende, junto ao MDA, quantitativo de cotas necessárias para atender às demandas dos municípios e agricultores beneficiários pelo Garantia. “A Agerp funciona como o órgão estadual articulador e mobilizador do Programa juntos aos municípios, e levando em consideração os prazos e requisitos relacionados ao pleno funcionamento do programa. As capacitações são imprescindíveis, tendo em vista a observação dos prazos de pedido e de solicitação de vistoria e indicação dos técnicos vistoriadores, feito pelas prefeituras municipais”, explicou o diretor da Agerp, Pedro Pascoal.

Serão realizadas mais duas capacitações, uma nesta quarta-feira (23), em Caxias e outra em Codó, na quinta-feira (24), com a participação dos municípios da região.

Garantia Safra

“O Garantia Safra 2015/2016 atende 8.759 agricultores familiares de 21 municípios e a Agerp é parceira de todos os municípios, inclusive disponibilizando técnico vistoriador, onde o município não dispõe”, enfatizou o diretor de Ater, Pedro Pascoal.

Foto 2_Divulgação_Agerp_22-03-2016 - Governo do Estado realiza capacitação sobre o Programa Garantia Safra 2015 2016

Foto : Divulgação

Para receber o benefício do Garantia Safra, é preciso ser agricultor familiar, conforme definido pelo Pronaf, e não possuir renda familiar mensal superior a um salário mínimo e meio e, ainda, aderir ao Programa antes do plantio das culturas. Constatada a perda de 50% da produção de feijão, milho, arroz, mandioca, algodão ou outras culturas, por excesso de chuvas ou estiagem, o Governo Federal pagará o benefício em cinco parcelas mensais.

As capacitações estão sendo coordenadas pelo diretor de Ater da Agerp, Pedro Pascoal e do assessor técnico, Oscar Valois e executada pela consultora do MDA, Mineia Patrícia.

 

 

AGERP realiza reuniões para definir metas globais e programáticas do Sistema SAF

Agerp se reúne com representantes municipais e sindicato para definir Metas Globais

Regional da Agerp se reúne com representantes de sindicatos e prefeituras para definir metas globais

Com o objetivo de qualificar as atividades que serão desenvolvidas em 2016 pelo Sistema de Agricultura Familiar, a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp) realiza, durante os meses de março e abril, o planejamento para definir as Metas Globais e Programáticas nos municípios.

As metas globais têm como foco articular com prefeituras, sindicatos rurais, representantes da agricultura familiar e demais entidades para definir estratégias que colaborem com as ações para o desenvolvimento da Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) e da Pesquisa nas respectivas localidades.

As 19 Regionais da Agerp se mobilizam para promover, ao longo desse mês, reuniões onde serão discutidas as principais políticas públicas voltadas para a agricultura familiar desenvolvidas nos municípios, gerando ao final um relatório situacional, que deverá conter informações sobre Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), e a partir deste diagnóstico firmar parcerias para melhorar a execução de projetos.

Para o cumprimento das Metas Programáticas, as Regionais irão supervisionar as atividades já desenvolvidas pelo Sistema, como o Plano Mais IDH, o programa Mais Sementes e os Contratos e Convênios de Ater e os projetos de Pesquisa, como as Unidades de Referência Tecnológica (URTs) e as demais unidades de pesquisas.

De acordo com o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, é a primeira vez que o órgão realiza essa articulação nos municípios. “Quando a gente estabelece as Metas conseguimos avaliar a nossa atuação no campo e otimizar os trabalhos das Regionais para empregar melhor os recursos públicos no atendimento às famílias de trabalhadores rurais,” disse o presidente, Júlio César Mendonça.

Para a coordenadora de Gestão da Informação Rural da Agerp, Alessandra Lima Araújo, “as Metas Globais e Programáticas são importantes para ter em mãos relatórios do que, de fato, os Escritórios Regionais têm articulado com as Prefeituras e, assim, criar um mapa da assistência técnica e identificar onde está acontecendo atuação da Agerp e das Prefeituras voltadas para a agricultura familiar”.

Fonte: Agerp    |   21/03/2016

Técnicos da Agerp participam de seminário sobre o Programa ‘Mais Feiras da Agricultura Familiar’

capa seminario agerp

Técnicos da Agerp participam de Seminário do ‘Mais Feiras’

Técnicos das 19 regionais da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), participaram nos dias 10 e 11, em São Luís, do Seminário sobre o programa “Mais Feiras da Agricultura Familiar”.

O programa visa implantar e estruturar feiras de comercialização dos produtos da agricultura nas 19 regionais da Agerp e nos 30 municípios do Plano ‘Mais IDH’, beneficiando aproximadamente 15 mil agricultores familiares no estado.

O Seminário, realizado pela SAF, teve como objetivo apresentar aos técnicos da Agerp, do ‘Mais IDH’, a gestores municipais e representantes de movimentos sociais, como funcionará o programa e as Feiras da Agricultura Familiar.

Também proporcionou a troca de experiências por meio de palestras com a presença de gestores com palestrantes da SAF, Secretaria de Estrado de Agricultura, Pecuária e pesca (Sagrima), Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Aged) e do Ministério da AgriculturaPecuária e Abastecimento.

Foram discutidos temas como os relacionados à comercialização e a serviços de inspeção sanitária estadual e federal. Os participantes foram orientados da importância das condições higiênico-sanitárias na comercialização de produtos e debateram estratégias de comercialização e de gestão das feiras com o fortalecimento do associativismo e cooperativismo.

Para o secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, o ‘Mais Feiras’ representa um momento ímpar no Maranhão, pois os agricultores recebem equipamentos e são capacitados para entrar no mercado consumidor. “Estamos oferecendo ao produtor a possibilidade dele comercializar sem atravessadores para ganhar seu próprio dinheiro e melhorar sua vida e estamos felizes em oferecer esse seminário com a participação dos atores que vão atuar nas Feiras”, disse o secretário.

Cada município receberá um kit de Feiras composto por 18 barracas de estruturas metálicas padronizadas, balanças eletrônicas, caixas de plásticos e de isopor, jalecos, bonés e camisas com identificação da Feira.

De acordo com o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, todas as dezenove regionais da Agerp receberão um kit do ‘Mais Feiras’ que vai garantir aos agricultores condições salubres de venda e oferecer maior qualidade atendimento.

“Além das regionais, o programa será levado para os 30 municípios do Plano ‘Mais IDH’. É a Agerp e o ‘Mais IDH’ levando conhecimento e produção às famílias e o ‘Mais Feiras’ inserindo esses agricultores no mercado”, ressaltou o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça.

O técnico da Agerp de Caxias, Francisco Prazeres, informou que, entre 50 a 60% da população do município vive da agricultura familiar. Para ele, oferecer aos produtores um kit Feiras é proporcionar uma infraestrutura melhor de comercialização.

“Todos nós consumimos produtos da agricultura familiar e a viabilização de estrutura adequada para comercializar e de assistência técnica aos agricultores para produzirem corretamente, vai garantir ao consumidor alimentos de boa qualidade, além de ajudar o agricultor a comercializar sem depender de atravessadores”, destacou Francisco Prazeres.

A regional de Caxias presta assistência técnica para agricultores dos municípios de Caxias, São João do Sóter, Aldeias Altas, Afonso Cunha, Duque Bacelar e Coelho Neto.

 

Fonte: AGERP     Texto: Samara Andrade      11/03/2016

Governo lança conjunto de ações para fomento da agricultura familiar em 2016

Apoio às Feiras da Agricultura Familiar, que irão beneficiar cerca de 15 mil agricultores.Foto: Karlos Geromy/Secap

Apoio às Feiras da Agricultura Familiar, que irão beneficiar cerca de 15 mil agricultores.Foto: Karlos Geromy/Secap

O Governo do Estado deu mais um importante passo para a consolidação de uma economia inclusiva voltada para a produção familiar. Em solenidade no Palácio Henrique de La Rocque, nesta quinta-feira (10), o governador Flávio Dino anunciou as ações da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF) para o ano de 2016, com o lançamento do calendário das Agritecs (Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnologia do Maranhão), a entrega do cartão Mais Agricultura Familiar, apoio às Feiras da Agricultura Familiar, além da entrega de carros e tratores para execução de políticas de inclusão produtiva rural das famílias em situação de extrema pobreza.

Dando continuidade às várias ações exitosas do ano de 2015, o governador Flávio Dino e o secretário da SAF, Adelmo Soares, anunciaram apoio às Feiras da Agricultura Familiar, que irão beneficiar cerca de 15 mil agricultores dos 30 municípios do Mais IDH e de 19 municípios que sediam as regionais da Agerp (Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão) com a entrega de 642 kits de feiras, no âmbito dos programas ‘Mais Renda’ e ‘Mais Produção’.
Na solenidade, também foram lançadas as Agritecs 2016 que serão realizadas nos municípios de Codó, Grajaú, Zé doca, Viana e Chapadinha que englobam os territórios: Cocais; Pré-território do Médio Sertão;  AltoTuri e Gurupi; Campos e Lagos; e Baixo Parnaíba. A Feira é uma iniciativa do sistema de agricultura familiar em parceria com Embrapa, Sebrae, prefeituras municipais e movimentos sociais (MST, Miqcb, Aconeruq, Fetaema, Fetraf) que tem o objetivo de garantir o acesso do agricultor familiar ao conhecimento e a novas tecnologias.

KGÊ_Lancamento-da-edição-2016-das-Agritecs-e-Programa-Mais-Feiras-d-Agricultura-Familia-59

Agerp recebe veículos para atender municípios do Baixo Parnaíba

O governador Flávio Dino ressaltou que essas ações visam fortalecer a comercialização dos produtos da agricultura familiar no Estado, tornando-os competitivos no mercado, agregando valores com foco na comercialização local e melhorando os índices de desenvolvimento humano dos municípios. “Nós temos a preocupação de garantir que esse processo chegue até o momento de expansão da produção, não só para que a família possa retirar o seu sustento, mas possa retirar daí também o seus excedentes que sejam comercializáveis, portanto agregando renda às famílias”, destacou.


Na ocasião, o governador realizou a entrega simbólica do cartão ‘Mais Agricultura Familiar’ que irá garantir o acesso ao fomento de R$ 2.700 a 3 mil famílias de agricultores familiares, totalizando R$ 8,1 milhões liberados. Ele entregou ainda cinco veículos para incremento da agricultura familiar do Baixo Parnaíba, adquiridas por meio do acordo de cooperação técnica com os ministérios do Desenvolvimento Agrário (MDA) e do Desenvolvimento Social (MDS), além de três tratores para as cidades de Parnarama, Viana e Lago da Pedra.

A agricultora do povoado Lagoas, do município de Bélagua, Maria de Fátima Andrade, recebeu das mãos do governador o cartão do ‘Mais Agricultura Familiar’ e, emocionada, relatou que a assistência para os municípios do Plano Mais IDH tem melhorado significativamente a vida dos lavradores do interior. “Uma coisa que a gente nunca tinha visto lá no interior, nem meu pai que até já faleceu nunca tinha alcançado. Eu já plantava, mas agora nós estamos vendo aumentando muita coisa”, frisou, enaltecendo a assistência técnica dada para a produção familiar nos 30 municípios do plano de ações.

Sucesso e expansão das Feiras

De acordo com Adelmo Soares, as ações realizadas pela SAF em 2015, sobretudo as Agritecs, foram importantes para alavancar a agricultura familiar no Estado. Segundo ele, as Feiras movimentaram quase R$ 2 milhões de reais, com participação de mais de 70 mil pessoas, e cerca de 15 mil agricultores receberam cursos, capacitações e treinamentos. “Nós acreditamos que é um eixo muito importante para nós continuarmos trabalhando em prol do desenvolvimento do Maranhão através da agricultura familiar”, elogiou.

KGÊ_Lancamento-da-edição-2016-das-Agritecs-e-Programa-Mais-Feiras-d-Agricultura-Familia

Veículos que atenderão o Contrato de Ater do Baixo Parnaíba

O secretário destacou que a realização de Feiras da Agricultura Familiar movimenta o eixo da produção e da comercialização, e o Governo estimula a realização destas iniciativas oferecendo, além de capacitação, infraestrutura necessária como: barracas, bancas, caixa térmica, balança, jalecos, camisa e etc. “Nós acreditamos em uma assistência técnica permanente. Em contato com a agricultura familiar e com a unidade familiar, porque adquirindo essa confiança nós podemos ter uma assistência técnica de qualidade para a população do Maranhão”, completou Adelmo Soares.

No Palácio Henrique de La Rocque foi montada uma Feira da Agricultura Familiar que contou com agricultores dos municípios de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa. “O Governo tem incentivado o agricultor familiar com essa estrutura. Esse é o primeiro programa que vem ajudar o agricultor diretamente. Antes eu somente revendia. Agora eu ganhou 50% a mais vendendo direto para o comprador”, explicou José Dorisvam, de Raposa.

Também participaram da solenidade o prefeito de são luís, Edivaldo Holanda Júnior, o presidente do Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma), Mauro Jorge, o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, além de representantes de prefeituras e de movimentos sociais.

FONTE: SECAP        |     10/03/2016

Governo do Estado dialoga com técnicos que atendem a ‘Chamada Pública da Sustentabilidade’ em Zé Doca

ze doca 2

Divulgação

O Governo do Estado foi representando pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), em reunião realizada na última terça-feira (08), com a equipe técnica da regional Agerp de Zé Doca, para definir ações e reforçar o compromisso do órgão em dar continuidade à “Sustentabilidade”.

O presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, ressaltou que a reunião representa o recomeço de um trabalho para fortalecer as atividades desenvolvidas junto às famílias no campo. “Estamos dialogando com os técnicos para enfatizar a importância que eles têm enquanto extensionistas. Sabemos que a Agerp tem grandes desafios a serem superados, mas, com firmeza e assumindo um compromisso dado pelo governado Flávio Dino, vamos melhorar cada vez mais a vida do agricultor familiar”, disse o presidente.

Para o gestor Regional da Agerp de Zé Doca, José Raimundo Mendonça, a presença da diretoria da Agência representa uma nova esperança para a agricultura familiar. “Estamos levando assistência às famílias beneficiadas pelo Contrato de Ater e ainda capacitando os agricultores. O presidente Júlio veio conhecer nosso trabalho e mostrar que não estamos sozinhos nessa luta,” ressaltou o gestor Raimundo Mendonça.

São 34 técnicos das regionais de Zé Doca, Bacabal, Santa Inês, Açailândia e Imperatriz que atendem o Contrato de Ater da Sustentabilidade, em 17 municípios, totalizando 2.240 famílias de agricultores recebendo orientação técnica.

De acordo com a coordenadora do contrato, Ângela Santa, as ações têm como principal objetivo o desenvolvimento rural sustentável, ou seja, fazer com que os agricultores possam transformar a unidade de produção em um espaço autossustentável e inserir esses produtores no mercado de comercialização.

ze doca

Divulgação

Participaram da reunião, o diretor de Ater da Agerp, Pedro Pascoal, o coordenador de Ater, Artur Costa, a coordenadora da do contrato, Ângela Santos e técnicos das regionais de Zé Doca e Santa Inês.

Contrato de Ater – ‘Chamada Pública da Sustentabilidade’

A ‘Chamada Pública da Sustentabilidade’ atende a 2.240 famílias divididas nos municípios de Açailândia, Alto Alegre do MA, Amarante do MA, Araguanã, Bacabal, Bom Jardim, Bom Jesus das Selvas, Buriticupu, Governador Newton Bello, Lago Verde, Maranhãozinho, Presidente Médici, Santa Luzia, Santa Luzia do Paruá, São João do Caru, Vitorino Freire e Zé Doca, totalizando 17 municípios distribuídos em seis regiões de planejamento do Estado: Alto Turi, Baixo Turi, Pindaré, Carajás, Mearim e Tocantins.

A referida chamada tem por objetivo promover o desenvolvimento e a diversificação sustentável na unidade de produção familiar (UPF) para melhorar a capacidade de produção, elevar a renda e a vida do homem do campo.

Fonte: Agerp

Maranhão participa de Fórum sobre agricultura familiar em Sergipe

Diretor do Iterma, Chico Freitas; secretário da SAF, Adelmo Soares; presidente da Agerp, Júlio César e o secretário-adjunto da SAF, Chico Sales

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar – SAF, participou do 5º Fórum dos Secretários de Estado Responsáveis pelas Políticas de Apoio à Agricultura Familiar do Nordeste e de Minas Gerais. O evento ocorreu no Salão de Convenções do Real Classic Hotel, em Aracaju.

O 5º Fórum dos secretários discutiu o tema: ‘Acesso à Terra e Regularização Fundiária: Bases para o Fortalecimento e Expansão da Agricultura Familiar no Nordeste.’ Uma questão que extrapola os limites dos territórios rurais, sendo um componente estratégico das dinâmicas de desenvolvimento sustentável da Região.

O secretário, Adelmo Soares, ressaltou que o evento é mais uma oportunidade para troca de experiências e consolidações de parcerias para melhorias de políticas públicas voltadas para o Nordeste.

“Já fizemos cinco fóruns. Aqui em Aracaju temos o compromisso de apontar setorialmente os desafios, focando ao Acesso à Terra e Regularização Fundiária que ébase para o fortalecimento e expansão da agricultura familiar”, ressaltou Adelmo Soares.

O secretário informou ainda que o Instituto de Colonização e Terras do Maranhão- ITERMA, órgão vinculado à SAF tem como missão a execução da política agrária do Estado. Só em 2015 o Instituto assentou 36.253 famílias e mais de 11 mil famílias que tem Cadastro Ambiental Rural- CAR em 39 municípios.

Forum de secretarios

V Fórum dos Secretários de Estado Responsáveis pelas Políticas de Apoio à Agricultura Familiar do Nordeste e de Minas Gerais.

Segundo o Diretor de Recursos Fundiários do ITERMA, Chico Freitas, em 2016 o Iterma está trabalhando para Georreferenciar a estrutura fundiária e destinação de terras nas áreas de Amazônia Legal, por meio do convênio estabelecido entre a Secretaria de Regularização Fundiária das Áreas da Amazônia Legal – SERFAL/Ministério do Desenvolvimento Agrário- MDA e Governo do Maranhão. Com a execução do convênio serão beneficiados 4.715 ocupações. “A Agerp reassume todos os dias o papel de articulador de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) qualificada e continuada, com um trabalho focado nas melhorias”.

O Fórum de Secretários conta com o apoio do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida), por meio do projeto ‘Semear’, e do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA). Criado em março de 2015, o Fórum já esteve reunido em Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), São Luiz (MA) e Belo Horizonte (MG).

Além do secretário da SAF, Adelmo Soares, representaram o Maranhão, o secretário Adjunto de Comercialização e Organização Produtiva da SAF, Francisco Sales, o presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão – AGERP, Júlio César Mendonça e o diretor de Recursos Fundiários do ITERMA, Chico Freitas.

Regularização fundiária

Nesta sexta-feira o debate foi em torno da ‘A Integração das Políticas de Desenvolvimento Regional e Desenvolvimento Territorial no Nordeste’. Os debatedores foram: o secretário de Desenvolvimento Territorial do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), José Humberto Oliveira; e o secretário de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração (MI), Alexandre Chumbinho. A programação prosseguiu com uma apresentação do tema “Políticas Diferenciadas de Desenvolvimento Rural para os Territórios no Nordeste”, tendo como palestrantes José Humberto Oliveira, Carlos Miranda e Jan Biton.

Fonte: SAF   |   07/03/2016

Governo do Estado investe em agroindústria do açaí no município de João Lisboa

Típico das regiões norte e nordeste, o açaí ganhou novas versões de consumo. Se antes era degustado apenas na tigela acompanhado de farinha de mandioca e camarão seco, hoje, a polpa do açaí é utilizada em fabricação de sorvetes, geleias, picolés, sucos, doces e até na indústria da beleza para produção de cremes, hidratantes e sabonetes.

Com o objetivo de levar o açaí maranhense a uma escala comercial, a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura Familiar, está desenvolvendo no município de João Lisboa, um projeto piloto de agroindústria de polpa de açaí.

Agricultores de cipó cortado conhecem projeto de açaí

Foto : Divulgação

Agricultores familiares do povoado Cipó Cortado receberam técnicos da regional da Agerp de Imperatriz, que realizaram uma palestra sobre a produção do açaí, na última sexta-feira, 04. De acordo com o gestor da regional Agerp Imperatriz, Humberto Nascimento, o açaí predominante nativo está escasso devido ao desmatamento da área, mas o local tem um grande potencial para o projeto com a cultivar BRS Pará, desenvolvida pela Embrapa Amazônia Oriental, de Belém (PA).

“A Agerp Imperatriz presta assistência técnica no município e estamos incentivando a comunidade para o projeto da agroindústria que é uma experiência nova para a região, ” disse Humberto.

A cultivar BRS Pará apresenta precocidade de produção, com os primeiros cachos colhidos aos três anos de plantio e produtividade estimada de 10 ton/ha/ano, aos oito anos de idade e ainda possui bom rendimento de polpa, entre 15% e 25%.

Para Humberto, a agroindústria de polpa de açaí no povoado vai agregar valor para a população local, além de oportunizar a inserção dos produtores a programas de comercialização da agricultura familiar, como o Programa De Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

“Esse projeto pode mudar bastante a vida daquela comunidade, pois essa Agroindústria vai diversificar a produção, visto que eles plantam outras culturas. Com o projeto, podemos alcançar 140 famílias de produtores e gerar renda, qualidade de vida e proteção ambiental às áreas desmatadas às margens do rio,” finalizou o gestor.

07/03/2016