Facebook Twitter Instagram

Agência lança cartilha com alternativas para as queimadas na agricultura familiar

Como parte do Agricultura Familiar Sem Queimadas, a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão lançou uma cartilha para ser distribuída pelos extensionistas  para os agricultores e agricultoras familiares. A cartilha fala sobre o perigo de utilizar fogo como prática agrícola. O uso desmedido pode afetar o solo, a fauna e a flora e também prejudicar a produtividade dos trabalhadores e trabalhadoras rurais. O documento também demonstra a importância de tecnologias alternativas. Confira aqui!

Extensionistas do Plano Mais IDH orientam plantio de agricultores e agricultoras familiares em povoados de Primeira Cruz

Agerp Site

Extensionistas do Plano Mais IDH seguem acompanhando a produção de agricultores e agricultoras familiares nos municípios maranhenses. Desta vez a ação ocorre nos povoados Alegria e São Domingos, no município de Primeira Cruz. O acompanhamento vai desde o plantio de culturas até a comercialização dos agricultores familiares.

Em visita técnica realizada pela Agerp de Rosário, temos a trabalhadora rural Maria de Jesus, do povoado Alegria que está na Segunda Fase do Plano e recebe orientações sobre criação de aves, caprinos, peixes, plantio de mandioca, hortaliças, controle de pragas e doenças. No povoado São Domingos. No povoado São Domingos, o agricultor familiar, Luiz Almeida também recebe orientação para melhorar e desenvolver sua produção.

WhatsApp Image 2020-10-21 at 17.13.11 (3)

Através deste trabalho dos extensionistas, os agricultores familiares estão comercializando seus produtos em feiras do município e para programas como o PAA e o PNAE.

Gestores e Gestoras responsáveis pelas Políticas de Apoio à Agricultura Familiar Dialogam sobre Plataforma de Financiamento do Consórcio Nordeste

WhatsApp Image 2020-10-14 at 21.18

 

Nesta quarta-feira (14), a presidenta da Agerp, Loroana Santana participou de videoconferência junto a outras gestoras, gestores e secretários executivos de órgãos de políticas públicas da agricultura familiar do Nordeste. Na pauta do diálogo, a Plataforma de Investimentos do Consórcio Nordeste com apresentação dos eixos Formação, Desenvolvimento, Inovação e Mensuração.

WhatsApp Image 2020-10-14 at 15.08.20

Além disso, os participantes propuseram a realização de cursos de formação, tratativas junto ao Banco do Nordeste, a fim de buscar apoio para o desenvolvimento das atividades do Consórcio Nordeste. As ações são resultado de reuniões do Fórum de Gestores e Gestoras da Agricultura Familiar do Nordeste. A expectativa é que as ações envolvam cooperativas de crédito que já desempenhem atividades nos estados.

Governo do Maranhão inicia regularização fundiária do Cajueiro com a entrega de 58 títulos de terra

WhatsApp Image 2020-10-19 at 17.23.39

Com a entrega de 58 títulos de terra em Cajueiro, na comunidade de Andirobal, o Governo do Estado apresentou, hoje (14), o processo de regularização fundiária daquela região que conta com o trabalho da Secretaria de Estado das Cidades (SECID), do Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (ITERMA), da Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (SEINC), Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e Sistema SAF.

De acordo com o presidente do Iterma, Júnior Verde, estão previstas, ainda, a entrega de mais 450 títulos, que irão contemplar os moradores do Cajueiro Sede, Guarimanduba e Andirobal. O presidente, afirmou que as entregas são o resultado de um legado do Governo do Maranhão, que através da união de esforços tem garantido o acesso à terra a centenas de famílias maranhenses, o que possibilita a articulação de outras políticas de geração de renda no futuro, que envolvam capacitação, criação de tanques de peixe e aprimoramento da agricultura.

Na ocasião, a beneficiária Maria Costa, de 52 anos, emocionou-se ao relembrar a trajetória de sua família há mais de 40 anos na casa em que mora há pelo menos 20 anos. Ela, que até então não tinha conseguido comprovar que a casa era sua de fato e de direito, enumerou todas as tentativas frustradas de regularizar o imóvel ao longo dos anos e comemorou: “agora que eu vou receber o papel, eu tenho mais autoridade para dizer que ela é minha!”.

WhatsApp Image 2020-10-19 at 17.32.02

A Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (AGERP), que atuou no Cajueiro realizando o Cadastro Ambiental Rural e faz acompanhamento da Assistência Técnica e a Extensão Rural (Ater), também participou da cerimônia de entrega dos títulos e agora está à disposição para a implantação de sistemas produtivos na comunidade.

Regularização Fundiária do Cajueiro

Desde 2015, com a criação da Comissão Estadual de Prevenção à Violência no Campo e na Cidade (COECV), coordenada pela Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (SEDIHPOP), o Governo do Maranhão, tem escrito outra história na prevenção e enfrentamento aos conflitos fundiários no estado. De forma pioneira no país, a Comissão atua na mediação de conflitos como método de promoção de direitos. A regularização fundiária do Cajueiro, que apresenta, hoje (14), os seus primeiros resultados com a entrega de 58 títulos de terra, é parte desta história.

História que é construída a muitas mãos e que iniciou com um processo de escuta às comunidades que compõem o Cajueiro. A escuta foi promovida pela Sedihpop, com o objetivo de conhecer as demandas e planejar as ações estatais que garantissem os direitos e a dignidade dos moradores da região. Por meio do diálogo, a regularização fundiária foi apontada como uma prioridade para a população local, como um modo de conquistar a segurança jurídica dos seus imóveis.

Em sua fala o secretário Adjunto de Direitos Humanos e coordenador da Coecv, Jonata Galvão, recordou o processo de mediação, que começou em 2015, pois desde este ano já havia decisão judicial a favor da empresa. Afirmou que esta atuação foi importante para garantir o diálogo entre o poder público, a comunidade e a empresa e, hoje, os moradores do Cajueiro podem comemorar o atendimento a uma de usas reivindicações, que é a entrega dos títulos de propriedade dos seus imóveis, garantindo segurança jurídica para cada família beneficiada.

Representando o governador Flávio Dino, o secretário de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular, Chico Gonçalves, realizou a entrega do primeiro título ao morador Silvestre Barros e destacou que o documento era uma prova e o reconhecimento de uma posse que existe há muitos anos, mas que é fundamental para garantir o direito humano a moradia, ao sono tranquilo de que essa casa é sua por direito. Lembrou que há um conflito na área com a instalação do empreendimento do porto, mas que o Governo do Estado mostra sua posição firme ao investir no diálogo, na mediação e na regularização fundiária.

Recuperando a história, o secretário lembra que o Cajueiro teve situações diversas: moradores que saíram com a indenização da empresa, pessoas que saíram por decisão judicial e as que permanecem no território. Em relação às que saíram, o governo mediou com a empresa assistência até que estas estivessem em suas novas moradias. Aos que permaneceram, o governo garante segurança jurídica e prossegue com as mediações para garantir a titularização, a educação, saúde, o transporte público, o trabalho e a moradia digna.

O advogado da Federação dos Trabalhadores Rurais do Maranhão (FETAEMA), Antônio Pedrosa, ressaltou que a terra é um direito e um direito ainda mais importante para os trabalhadores rurais, que vivem dela: “Mas, este é um direito que poucos têm, então, a entrega dos títulos aos moradores do Cajueiro é um primeiro passo para garantir os direitos e as dignidades dos moradores do bairro. Para ele, é preciso continuar as negociações com a empresa e com o Estado para garantir aos moradores seus direitos ao trabalho, à educação, à saúde e a moradia digna”.

Governo do Estado lança programa que visa cultivo de plantas medicinais em Santo Amaro do Maranhão

WhatsApp Image 2020-10-09 at 19.09.37Um espaço de cuidado da saúde das pessoas. Assim é a Farmácia Viva, que foi inaugurada nesta sexta-feira (9) em Santo Amaro do Maranhão. O projeto consiste na instalação de hortos medicinais, espaços onde serão cultivadas plantas utilizadas no tratamento e prevenção de doenças.

A Farmácia Viva é realizada pelo Governo do Maranhão, através da Força Estadual de Saúde, parte do Plano Mais IDH. Os canteiros foram instalados no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) da cidade pelos extensionistas da Agerp que atuam no município e serão mantido por um grupo de idosas beneficiárias.

“É para gente cuidar das plantas que servem de remédio, né? Muito bom para gente usar. Fazer chá para as pessoas e também para nós mesmas”, nos falou Maria Amélia, a Dona Dineia, de 75 anos, moradora de Santo Amaro do Maranhão
WhatsApp Image 2020-10-09 at 19.09.37 (1)

Na atividade de abertura, participaram Kallyne Bezerra, coordenadora do Farmácia Viva; Waldemar Diniz, gestor do Escritório Regional da Agerp de Rosário; Lícia Aguiar, secretaria municipal de Assistência Social; Graciano Santos, secretário municipal de Agricultura; equipes do município, da Agerp local e beneficiários do CRAS.