Facebook Twitter Instagram

Agerp e MDA capacitam agentes que atuarão no Plano Brasil Sem Miséria

Abertura_capacitao

Técnicos da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp) e do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), deram início nesta segunda-feira, (24), no município de Chapadinha, ao curso de Formação de Agentes para Atuação no Plano Brasil Sem Miséria (PBSM) no território do baixo Parnaíba Maranhense em atendimento aos agricultores familiares.

curso_chapadinha_-_aberturaTécnicos da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp) e do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), deram início nesta segunda-feira, (24), no município de Chapadinha, ao curso de Formação de Agentes para Atuação no Plano Brasil Sem Miséria (PBSM) no território do baixo Parnaíba Maranhense em atendimento aos agricultores familiares.

 

Nele, 39 agentes, dentre eles – técnicos agrícolas e engenheiros agrônomos das regionais de Chapadinha, Itapecuru e Rosário -, serão qualificados durante toda a semana, para atender as demandas da Chamada Pública SAF/ATER, nº 02/2012 e em seguida, atuarem nos 14 municípios atendidos pela regional, durante 30 meses (ou dois anos e meio).

 

Tcnico_apresenta_perspectiva_-_chapadinhaA equipe formada por profissionais da Agerp desenvolverá ações de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para 4.100 famílias beneficiadas de acordo com os objetivos e diretrizes da Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (PNATER), no âmbito do Plano Brasil Sem Miséria.

 

No Maranhão, o trabalho será desenvolvido nas rotas produtivas, cujas famílias serão auxiliadas de acordo com suas aptidões recebendo fomento no valor de R$ 2.400,00 divididos em três parcelas. Além disso, os agricultores familiares receberão ainda, kits de hortaliças e de sementes de milho e feijão.

 

Plano Brasil sem Miséria

 

Prof._UFMA_palestraO Plano Brasil Sem Miséria é uma iniciativa do Governo Federal e tem como objetivo elevar a renda e as condições de bem-estar às famílias consideradas extremamente pobres cuja renda é inferior à R$ 70,00 (setenta reais). De acordo com o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estão nesta situação 16,2 milhões de brasileiros.

 

O PBSM agrega transferência de renda, acesso a serviços públicos, nas áreas de educação, saúde, assistência social, saneamento e energia elétrica, e inclusão produtiva. Com um conjunto de ações que envolvem a criação de novos programas e a ampliação de iniciativas já existentes, em parceria com estados, municípios, empresas públicas e privadas e organizações da sociedade civil, o Governo Federal quer incluir a população mais pobre nas oportunidades geradas pelo forte crescimento econômico brasileiro.

 

equipe_de_coordenao_em_ChapadinhaA coordenadora da capacitação de Técnicos e também consultora do MDA, Aládia Fregolenti, destacou empenho do Governo Federal para pôr fim à pobreza extrema no Nordeste e especialmente no Maranhão. Todo o esforço, segundo ela, tem vistas a garantir segurança alimentar aos agricultores familiares incluídos no processo por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

 

“O Plano Brasil sem Miséria tem por finalidade incluir as famílias, que se encontram nesse momento em situação de extrema pobreza, no mercado institucional, com projetos viáveis que gerem renda e consequentemente passem a ser assistidas pelas políticas públicas”, afirmou Fregolenti.

 

Ainda na abertura, a diretora de Assistência Técnica e Extensão Rural da Agerp, Thelma Aragão, falou do envolvimento e entusiasmo da Agência em integrar o programa nacional e destacou o empenho do Governo do Estado na erradicação da extrema pobreza, haja vista o lançamento recente pela Sedes de programas que atendem diversas camadas da sociedade. “É prioridade do Governo do Estado ser parceiro do MDA nessa empreitada, destacou ela, afirmando ser a assistência técnica fundamental no sistema.

 

engenheira_agrnoma_em_ChapadinhaMarlene Magalhães, agrônoma e participante do curso, disse esperar melhor aproveitamento possível para que possa, juntamente com seus colegas, contribuir com os Governos Federal e Estadual, nessa nova política.

 

“Quero nesses dias de curso poder aprender mais sobre Ater, me afinar com todas as políticas públicas. Dessa forma, serei bastante útil no atendimento aos agricultores familiares que necessitam do nosso atendimento”, enfatizou.

 

Agerp participa da 5ª Feira de caprinocultura em Vargem Grande

Palestrante_discorre_sobre_a_prtica_da_capirnocultura

A Agência Estadual Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), órgão da Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes), participou neste final de semana em Vargem Grande (MA), da 5ª Expovargem (Exposição de Caprinos e Ovinos de Vargem Grande).

 

Antnio_secretrio_de_V._GrandeA Agência Estadual Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), órgão da Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes), participou neste final de semana em Vargem Grande (MA), da 5ª Expovargem (Exposição de Caprinos e Ovinos de Vargem Grande).

 

O evento é de iniciativa da Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos de Vargem Grande (Accovag) e da Secretaria Municipal de Agricultura e tem por finalidade mostrar a importância da produção de caprinos e ovinos, fortalecendo a atividade na região do baixo Itapecuru, gerando renda para a comunidade que vê na atividade, futuro promissor, uma vez que o município possui um dos maiores rebanhos do nordeste.

 

Raças do tipo santa Inês, dorper, anglo nubiano, boé, nambi, bergamasca, e parda alpina – de corte e leiteiras -, fizeram parte do plantel na Expovargem 2012 que contou com a participação do Serviço de Apoio ao Pequeno e Micro Empreendedor (Sebrae), da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e da comunidade de modo geral.

 

Quarenta expositores participaram do evento com pelo menos trezentas cabeças de caprinos. Alguns deles vieram dos estados de Pernambuco e Piauí. Outros, porém, vieram de Barreirinhas, Chapadinha, Timon e São Luis. A maioria dos criadores, portanto, são da cidade sede da exposição.

 

Palestrante_discorre_sobre_a_prtica_da_capirnoculturaA Feira Agropecuária teve como ponto alto a comercialização e interação entre os participantes e visitantes. Na programação, shows culturais, comida típica e a participação do médico veterinário Everaldo Cadena (Emater -PB), que na oportunidade falou do tema: “Caprinocultura leiteira – experiência exitosa no cariri paraibano”.

 

Cadena destacou a experiência do seu estado como um dos maiores criadores de rebanho de caprino no país e um dos maiores produtores de leite de cabra, bem como dos seus benefícios. Assistiram a palestra, criadores, agrônomos, técnicos, representantes de entidades e instituições, jornalistas especializados e pessoas da comunidade.
“O Maranhão possui diversas qualidades que possibilitam a caprinocultura”, destacou o convidado, referindo-se à climatização, nascentes de rios, chuva e alimento para o rebanho.

 

Nordeste e Maranhão

 

Adaptada a terrenos áridos e de vegetação pobre, a cabra coloca o Nordeste na posição de maior rebanho nacional de caprinos, atraindo investimentos e promovendo convênios com países mediterrâneos na busca de melhores práticas na cadeia de comercialização e melhoria genética. Em sua apresentação, ele disse que o Nordeste concentra cerca de 9 milhões de cabeças de caprinos, o que significa 93% do rebanho nacional.

 

Caprinocultura_-Além de 6 milhões de ovinos, número equivalente a 56% de toda a criação brasileira. Já no Maranhão, de acordo com a Accovag, o município de maior rebanho é Vargem Grande, com uma média de 20 mil cabeças de caprinos e ovinos. “Precisamos valorizar as pessoas que acreditam nesta iniciativa. O caminho é da mudança e da melhoria na vida do agricultor familiar”, ressaltou o presidente da Agerp, Jorge Fortes.

 

Fortes, na ocasião agradeceu à participação de todos os apoiadores e afirmou ser a caprinocultura, uma atividade lucrativa para o agricultor familiar. “Eu não tenho dúvida da importância da criação do bode e da cabra pelo agricultor familiar e que essa atividade muda pra melhor a vida de quem acredita nela”, ressaltou o presidente da Agerp.

 

Na opinião do secretário de Agricultura de Vargem Grande e presidente da Accovag, Antônio de Sousa Filho, a Expovargem é de fundamental importância para o município e para a região, haja vista o incentivo aos 85 criadores cadastrados na Associação, para maior investimento no rebanho de corte e agora e de leite – utilizado na produção de queijo, iogurte e outros derivados que agora recebe incremento da minilaticínio, brevemente inaugurado e que será administrado pela Associação local.

 

O fornecimento do leite também vai ser feito por produtores que foram cadastrados para o recebimento de matrizes reprodutoras de leite. O mini laticínio será certificado no Serviço de Inspeção Estadual (SIE), emitido pela Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged), órgão vinculado à Sagrima. O SIE é obrigatório para que o minilaticínio comercialize não só em Vargem Grande, mas também em outros municípios.

 

“A realização da exposição é importante porque incentiva os criadores a melhorar o seu plantel. Percebemos depois de iniciarmos essa atividade, uma maior preocupação com a assistência técnica e com outros investimentos”, disse ele.

 

criadores_expovargemO criador de Timon, José Pereira Pinto que há quatro anos participa da Expovargem, disse que Feiras deste tipo, agregam valor aos produtos, incentivando o produtor a investir mais em seus animais e fundamentalmente, serve de interação entre os demais participantes.
“Só tenho a agradecer aos organizadores da Expovargem. Todos os anos somos muito bem tratados, percebemos a responsabilidade dos organizadores”, ressaltou ele, que garante fazer bons negócios no período.

 

Minibiblioteca


Além de permitir aos criadores e visitantes bons negócios, programação cultural variada e todo o incentivo para permanecer no local, a Expovargem também contou com a implantação pela Embrapa de uma minibiblioteca composta por títulos apropriados voltados aos agricultores familiares, técnicos e comunidade de modo geral.

 

esta_vaiLivros de coleções agroindustriais – com dicas simples mais fundamentais ao homem do campo -, folhetos, pequenos manuais e livros ilustrados apropriados á crianças e adolescentes do meio rural, formam a coleção que se encontra instalada no prédio da Secretaria Municipal de Agricultura.

 

A iniciativa integra o programa Brasil sem Miséria do Governo Federal e tem por finalidade estimular a leitura e o incremento do plantio com aplicação de tecnologia resultando na melhoria da qualidade de vida aos agricultores familiares.

 

“O nosso intuito é fazer com que os agricultores familiares tenham acesso aos 120 livros ou tecnologias de leitura simples e eficazes, cujo objetivo é orientar o agricultor, seus filhos, técnicos e quem dele necessitar para empreender mais e melhor.” destacou Valdemício de Sousa, chefe-geral da Embrapa no Maranhão.

 

A Embrapa pretende atingir até 2014, todos os municípios maranhenses. Ainda este ano, segundo Sousa, o projeto atingirá todas as dezenove regionais da Agerp.

Governadora e ministra lançam Viva Oportunidades

Gov._ministra_e_autoridadesCom a meta de retirar 1 milhão de famílias maranhenses da condição de extrema pobreza até 2014, a governadora Roseana Sarney, a ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e o secretário de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Fernando Fialho, lançaram na manhã desta quinta-feira (13), no auditório do Palácio Henrique de La Roque, o programa estadual Viva Oportunidades.

 

 

Gov_e_ministra_assimamCom a meta de retirar 1 milhão de famílias maranhenses da condição de extrema pobreza até 2014, a governadora Roseana Sarney, a ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e o secretário de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Fernando Fialho, lançaram na manhã desta quinta-feira (13), no auditório do Palácio Henrique de La Roque, o programa estadual Viva Oportunidades.

 

O programa tem como objetivos centrais promover a inclusão social por meio de oportunidades de capacitação, acesso ao crédito e a transferência de renda para a população que vive em condições de extrema pobreza no estado.

 

De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes), atualmente mais de 1 milhão de pessoas vivem em condições de extrema pobreza no estado. Com o Viva Oportunidades, que abrangerá áreas rurais e urbanas do Maranhão, esse número deve ter redução significativa, quando a população que vive em situação de extrema pobreza deve representar menos de 10% de todo o contingente populacional maranhense.

 

O programa estadual é alinhado ao Plano Brasil sem Miséria, do Governo Federal. O Viva Oportunidades contará com R$ 15, 9 bilhões, sendo 90% provenientes da receita federal e 10% de contrapartida do Governo do Estado.

 

Participaram da solenidade de lançamento do Viva Oportunidades, os secretários de Estado Luís Fernando Silva (chefe da Casa Civil) e Luíza Oliveira (Direitos Humanos e Cidadania); além de deputados e representantes de órgãos parceiros do programa. Na ocasião, a governadora e a ministra foram presenteadas com uma cesta de alimentos provenientes da agricultura familiar das mãos das agricultoras Ildeci Mendes e Cleilde Cantanhede, produtoras rurais de Catucá, remanescente de quilombo povoado da cidade de Bacabal.

 

PAA

No ato de lançamento do programa, a governadora assinou a adesão do Governo do Estado ao novo modelo do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). O novo PAA foi lançado em julho deste ano e acaba com a obrigatoriedade da contrapartida financeira dos governos locais, instituindo repasses financeiros às administrações estaduais e municipais para gestão do programa.

 

Com o PAA, toda a alimentação envolvida nas ações do Viva Oportunidades (estímulo a expansão do mercado para o pequeno agricultor, restaurantes populares e cozinhas escolas) deverá ser oriunda da agricultura familiar.

 

A governadora ressaltou a utilização da ação conjunta para aplicação do programa e destacou as várias ações que permeiam o Viva Oportunidades. “São várias ações envolvidas, que incluem qualificação profissional, acesso à renda, estímulo ao mercado e assistência social para combater a pobreza extrema no Maranhão”, frisou a governadora.

 

Gov._ministra_e_autoridadesA ministra Tereza Campello apontou os impactos que programas como o Bolsa Família e o Brasil Carinhoso representam no atual cenário socioeconômico maranhense e falou sobre a importância do Viva Oportunidades, que ela chamou de “parceiro e irmão” do Plano Brasil sem Miséria. “Com o Brasil Carinhoso, o Maranhão apresentou redução de 48% nos números da extrema pobreza e mais de 900 mil famílias foram incluídas no Cadastro Único (CadÚnico) que integra o Bolsa Família, Brasil Carinhoso Viva Água e Viva Luz. Com o Viva Oportunidades, nós queremos que esse números sejam melhorados no Maranhão, que é prioridade para o Ministério do Desenvolvimento”, frisou a ministra.

 

Durante a cerimônia, o secretário Fernando Fialho fez questão de ressaltar que esse é um programa de governo e não especificamente da Sedes, uma vez que todos as Secretarias de Estado estarão envolvidas com o Viva Oportunidades.

 

Viva Oportunidades

O programa se estrutura em três eixos principais:
– Garantia de renda
– Inclusão produtiva
– Acesso a serviços

EIXOS

Garantia de renda
– Utilização dos programas federais compreendidos pelas famílias incluídas no CadÚnico (Bolsa Família, Brasil Carinhoso) e aprimoramento do Programa Viva Água e do Programa Viva Luz, que exclui tarifas para os contemplados com os programas Água e Luz para Todos.

Inclusão Produtiva

– Ampliação e emissão de Declarações de Aptidão (DAP’s) ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).
– Entrega de títulos de terra
– Mutirões de serviços para quilombolas
– Novos projetos de assentamento
Acesso à Serviços
– Expansão da Assistência Social
– Restaurantes populares e Cozinha Escola

 

A previsão é que o programa contribua para geração de 20 mil empregos para jovens e adultos e para a criação de 80 mil negócios familiares, beneficiando 326 mil pessoas com qualificação e acesso a crédito, especialmente ao microcrédito produtivo urbano.

Agerp fortalece parceria com entidade para atendimento ao jovem rural

O presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão – Agerp, órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, (Sedes) – Jorge Fortes -, recebeu na tarde desta quarta-feira, (12), visita de representantes da Arcafar (Associação Regional das Casas Familiares Rurais do Nordeste e Norte do Brasil), com sede em São Luis.

Arcafar_e_Dr._JorgeO presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão – Agerp, órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, (Sedes) – Jorge Fortes -, recebeu na tarde desta quarta-feira, (12), visita de representantes da Arcafar (Associação Regional das Casas Familiares Rurais do Nordeste e Norte do Brasil), com sede em São Luis.

 

O motivo da reunião com o titular da Agerp, segundo a presidente da entidade, Antônia das Graças Santos Silva, foi fortalecer a parceria com esta Agencia que já acontece desde 2007, por meio das regionais distribuídas no Estado, bem como discutir a inserção das Casas Familiares Rurais e Escolas Familiar Agrícola, no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), ação do Governo Federal, desenvolvido pelo governo do Estado – para colaborar com o enfrentamento da fome e da pobreza no Brasil e, ao mesmo tempo, fortalecer a agricultura familiar.

 

“Temos tido bons resultados com os nossos jovens que participam de capacitação e orientação no campo. A perspectiva é que a gente atinja cada vez mais e que a acessibilidade ao campo traga harmonia com a ecologia e diversidade cultural”, destacou Antônia das Graças, explicando que o programa da Arcafar envolve jovens filhos de agricultores familiares, pescadores, quilombolas, ribeirinhos e trabalhadores do campo.

 

Dr._Jorge_e_ArcafarPara Jorge Fortes, tem sido muito gratificante apoiar uma entidade que se preocupa em promover a melhoria da qualidade de vida de jovens maranhenses. “É muito importante que o governo do Estado, por meio da Agerp participe da qualificação de jovens do campo, com orientação sobre o sistema de assistência técnica e políticas públicas aos agricultores rurais”.

Ministra e Governadora lançam Viva Oportunidades

Gov._RoseanaA governadora Roseana Sarney, a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e o secretário de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Fernando Fialho, lançam nesta quinta-feira (13), às 11h, no auditório do Palácio Henrique de La Rocque, no retorno do Calhau, em São Luís, o Viva Oportunidades.

A governadora Roseana Sarney, a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e o secretário de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar, Fernando Fialho, lançam nesta quinta-feira (13), às 11h, no auditório do Palácio Henrique de La Rocque, no retorno do Calhau, em São Luís, o Viva Oportunidades.

 

Fialho antecipou que o Viva Oportunidades é a “ponta de lança” de uma série de ações e estratégias do Governo do Maranhão para criar uma “onda” de cooperação, integração e coparticipação de todos – órgãos públicos, instituições financeiras, sindicatos, lideranças políticas e comunitárias – todos os entes e atores da sociedade para levar cidadania aos maranhenses excluídos ou que vivem à margem da sociedade.

 

“Estabelecemos como meta a redução substancial para menos de 10% do índice da pobreza extrema no Maranhão. Então, estamos apresentando à sociedade o Viva Oportunidades, que tem as mesmas linhas mestras do Brasil sem Miséria, cujos eixos são a garantia de renda, a inclusão produtiva e o acesso a serviços”, enfatizou o titular da Sedes.

Agerp participa da Expoema com Pavilhão do Agricultor Familiar

hortalias_cinturo_verde

Trinta agricultores familiares advindos de diversos pontos do Estado participaram no período de 1º a 09 deste mês – da 56ª Exposição Agropecuária do Maranhão, (Expoema) – , no Pavilhão do Agricultor Familiar, no Parque Independência (São Luis).

 

Jorge_Fortes_e_agricultoraTrinta agricultores familiares advindos de diversos pontos do Estado participaram no período de 1º a 09 deste mês – da 56ª Exposição Agropecuária do Maranhão, (Expoema) – , no Pavilhão do Agricultor Familiar, no Parque Independência (São Luis).

 

A iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar (Sedes), foi coordenada pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp), que participou com mobilização, atendimento ao transporte, alimentação e alojamento dos agricultores familiares possibilitando assim, o bom andamento da Feira na Exposição Agropecuária.

 

babauNo local, os visitantes puderam encontrar produtos derivados do mel, babaçu, mandioca, buriti, caju, madeira, cerâmica, dentre outros. Além disso, foram comercializadas ainda, hortaliças, frutas e verduras, oriundas das unidades produtivas da Grande São Luis (São José de Ribamar, Maracanã e Cinturão Verde).

 

Entidades Sociais


Doces_IfmaA iniciativa teve a participação de diversas entidades sociais, de algumas prefeituras por meio de intercâmbio com as dezenove regionais da Agerp.

 

No Pavilhão, podia-se encontrar ainda, estande do Instituto Federal do Maranhão, (IFMA) que permaneceu até o último dia com venda e exposição de produtos feitos por alunos e pela comunidade do Maracanã.

 

“É uma excelente oportunidade de alavancar o pequeno negócio do produtor, por que ele pode tornar conhecido o seu produto”, destacou o engenheiro agrônomo da Agerp e coordenador da exposição, José Ribamar Moreira.

 

Artesanato_de_madeiraO artesão José Orlando Garreto de Carvalho, de São João dos Pilões (Brejo), disse ter sido uma ótima ideia do governo do Estado manter um espaço com tão boa estrutura garantindo a permanência dos agricultores por uma semana.

 

“O espaço é ótimo. A Agerp tem sido um ótima parceira e tenho certeza que esta iniciativa será boa para todos nós que aqui estamos “, afirmou ele.

 

Outro que não se conteve em elogiar a Agerp foi o agricultor Iomar Ribeiro. Bem sucedido em seu projeto de plantação no Cinturão Verde (zona rural de São Luis), ele celebrou boas vendas de hortaliças e frutas frescas durante todos os dias em que participou da Expoema.

 

“Parabenizo a oportunidade e o espaço para vender meus produtos e poder divulgá-los em um local tão bem apropriado como este”, destacou Ribeiro, atentando para o atendimento da coordenação e apoio da Agerp ao agricultor familiar nesta e nas demais feiras.